Siga-me no TWITTER

    follow me on Twitter

    terça-feira, 18 de dezembro de 2012

    Ceará contrata atacante corintiano



    Em estilo "à mineira", o Ceará confirmou, na noite desta segunda-feira, a contratação do atacante Adilson, jogador de 25 anos, com um largo curriculum, com passagens pelo futebol suíço e português. O baiano Adilson dos Santos Souza, nascido na pequena cidade de Barra do Rocha, no Sul do Estado, traz o futebol no sangue. Aos 13 anos, já corria atrás de um lugar ao sol, jogando no Rio Branco de Paranaguá/PR.

    Como cada um de nós, Adilson tem uma história para contar. A história dele, no entanto, promete muitos questionamentos quando for apresentado no próximo dia 26. Em 2011, Adilson teve de parar de jogar por seis meses por causa de um problema no coração.

    No Nororeste/SP, durante um jogo, o atacante desmaiou por causa de uma inflamação no miocárdio. Passado o susto, Adilson foi liberado para jogar no Nhô Quim, no Campeonato Paulista, onde voltou a se destacar.

    Agora, em 2012, antes de ser contratado pelo Corinthians junto ao XV de Piracicaba/SP, Adilson teve de ser submetido a uma bateria de exames médicos. Foi aprovado, jogou uma dezena de vezes, mas não conseguiu obter sucesso. A fila andou.

    O espera estar contratando esse atacante, que pouco tempo atrás balançava as redes dos adversários, pelo Campeonato Paulista.    

    terça-feira, 11 de dezembro de 2012

    Ceará contrata goleiro à la Ceni


    Depois de algumas dúvidas, o Ceará confirmou a contratação do goleiro paranaense Tiago Campagnaro, de 29 anos, que estava no Grêmio Barueri, e ganhou fama de cobrador de faltas (à la Rogério Ceni) quando vestiu a camisa da Portuguesa, em 2007.

    Tiago começou no Paraná Clube (talvez isso diga alguma coisa), mudou-se para o Matsubara, cruzou a trincheira e foi jogar no Juventus paulista - um pulo até o Corinthians. Lá, teve poucas oportunidades e foi para a Portuguesa, onde fez história com os treze gols marcados.

    No Vasco da Gama, de 2008 a 2010, Tiago jogou mais partidas, porém marcou menos gols - apenas cinco, entre eles, o gol do vídeo. Depois que saiu do vasco da Gama não conseguiu repetir a mesma performance. Em 2011, emprestado ao Bahia, não correspondeu à expectativa.

    A temporada que está terminando também não foi das melhores para Tiago. Mais uma transferência no curriculum e não dá para fazer previsões tão otimistas assim para 2013. Apesar das trapalhadas durante o Brasileirão da Série B 2012, o goleiro Fernando Henrique vai brigar para recuperar a camisa que perdeu para Diónantan.

    O jovem Diónantan, por sua vez, que terminou a temporada como titular é uma pedra na chuteira dos concorrentes. A verdade é que a diretoria do Ceará parece não estar segura sobre a permanência de Fernando Henrique. Se for assim, imagino a contratação de um goleiro melhor que os três. Se não for...   

    quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

    Ceará contrata lateral direito Éric


    O lateral direito Éric, de 28 anos, será o substituto de Apodi na temporada 2013 com a camisa do Ceará.

    O jogador acabou de passar pelo Criciúma/SC - um dos quatro que conseguiram acesso à 1ª Divisão do Campeonato Brasileiro de 2013.

    O que se espera é que o momento de Éric seja tão bom quanto o momento que vive o filho dele, Rodrigo Góes, de apenas 11 anos, campeão e artilheiro do Campeonato Paulista, pelo time sub-11 do Santos.

    Rodrigo já tem até assessoria de imprensa e apoio da fornecedora de materiais esportivos Nike.

    Enquanto Rodrigo não ganha idade ideal, vamos curtir lances do pai dele, o lateral Éric. 

    Vale a manifestação da torcida alvinegra de Porangabussu. Aprovado ou não?

    Meia Carlos Magno também no Fortaleza


    O meia Carlos Magno, 26 anos, também foi contratado pelo Fortaleza para a temporada 2013.

    Jogador habilidoso, começou no Vitória da Bahia e logo ganhou o mundo. Em 2010, no futebol mineiro, teve uma temporada destacada pelo Boa Esporte/MG.

    E aí, o que diz a torcida tricolor?

    quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

    Atacante André Luiz é do Fortaleza


    O atacante André Luiz, 27 anos, estava jogando no Moreirense, no futebol português, e já marcou a apresentação para depois do Natal.

    A diretoria do Fortaleza anunciou as renovações dos contratos dos seguintes jogadores: zagueiro Fabrício, lateral esquerdo Marinho Donizete e volante Eslei.  

    Aprovado ou não?

    segunda-feira, 26 de novembro de 2012

    Fuleco já está jogando capoeira!


    Podem não ter gostado do nome dele, mas dá sinais que será muito interessante. 

    Como bom brasileiro e nordestino já aprendeu a jogar capoeira.

    Boa sorte, Fuleco.

    Domingo, vou contar detalhes da mascote oficial da Copa 2014 no Programa História das Copas, às 9h, na Rádio FM Assembleia - 96,7 MHz.

    Você pode nos encontrar, também, na página www.al.ce.gov.br.  

    sábado, 24 de novembro de 2012

    VITÓRIA subiu apesar do sufoco


    Durante toda a semana, nos programas esportivos da Rádio Assunção, disse que o jogo não seria fácil para o Vitória, apesar do raquitismo do time do Ceará. E não foi fácil confirmar o acesso à 1ª Divisão do Brasileirão 2013. William fez um gol suado, aos 42 minutos, em posição duvidosa, e o Ceará empatou aos 35 minutos do 2º tempo, com gol contra do zagueiro Victor Ramos. O empate foi a conta do chá.

    Muita gente andou falando besteira, dizendo que o Vitória já havia comprado o resultado. Um insulto aos profissionais decentes, que trabalham sério, que honram a camisa e respeitam o torcedor. O resultado do jogo foi o reflexo dos problemas que o Vitória enfrentou durante toda a competição. O acesso premiou a torcida.

    O Ceará entrou em campo, moralmente derrotado, com uma equipe fragilizada. Depois de uma viagem de avião no mesmo dia do jogo, os jogadores alvinegros não reclamaram de cansaço e correram até o final da partida. Depois do gol de empate, o Vitória passou apuros nos 10 minutos finais.

    Foi como eu esperava.

    O Vitória subiu suando muito. O Ceará se despediu com seriedade em campo. Pena que a diretoria alvinegra "jogou a toalha" várias rodadas atrás, quando ficou confirmado que o time não caía mais. Com mais de 15 dispensas de jogadores, o treinador Anderson Silva quebrou a cabeça para escalar o time.

    Valeu, pela sinceridade do jogo. Pelo menos nesse jogo, as mentes maldosas não podem alimentar seus comentários corruptos sem corruptores. Ficam as lições para as duas diretorias. Que o Vitória não cometa os mesmos erros ano que vem. Que o Ceará dê dois passos à frente para compensar o atraso dessa temporada.

    Até 2013 com novas esperanças!

    Ficha Técnica do acesso do Vitória à 1ª Divisão:

    Estádio Manoel Barradas (Barradão)
    Salvador / Bahia

    Vitória jogou com Deola, Nino Paraiba, Victor Ramos, Gabriel Paulista e Mansur; Michel (Rodrigo Mancha), Fernando Bob, Pedro Ken e Willie; William (Leílson) e Dinei (Marcelo Nicácio). Técnico: PC Gusmão.

    Ceará jogou com Dionatan, Apodi, Heleno, Jailton (V) e Vicente (Eusébio); João Marcos, Everton (Luis Henrique), Leandro Chaves e Magno Cruz (Régis); Mota e Robert. Técnico: Anderson Silva.

    Apitou o jogo Sandro Meira Ricci (PE), auxiliado por Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Paulo César Faria (MT).

    terça-feira, 13 de novembro de 2012

    O que Minelli disse sobre Ricardinho?


    O treinador Ricardinho foi apresentado, na tarde dessa segunda-feira, pelo presidente do Ceará, Evandro Leitão, como o novo comandante da equipe alvinegra para o início da temporada 2013. 

    Garante o presidente que Ricardinho tem o perfil desejado pelos alvinegros: novo na função e competente. Acho que Ricardinho não é novo, é noviço. Independente da capacidade dele, precisará de suporte da diretoria. Que receba e dê retorno.

    Os dirigentes alvinegros ainda prometem contratar um diretor de futebol para arrumar a casa. Falam em diversos nomes. Seja quem for, também precisará de suporte da diretoria para trabalhar nas adversidades. O futebol cearense não tem cultura de suportar tropeços e precisa aprender.

    Não se constrói um time vencedor da noite para o dia, somente com a vontade e muito discurso. Está mais que provado que a continuidade do trabalho traz resultados positivos. O Ceará precisa de ideias novas. O presidente Leitão dá sinais de uma reinvenção que deve dar certo.

    É preciso ter firmeza na proposta e acertar a dose nas contratações.     

    segunda-feira, 12 de novembro de 2012

    Faltou maturidade ao Fortaleza



    Ainda que sejam ditas e reditas mil razões para explicar a derrota do Fortaleza para o Oeste de Itápolis/SP, em pleno estádio Presidente Vargas, nenhuma delas deixará o torcedor tricolor conformado. Foi uma das tardes mais tristes que já testemunhei, porque ninguém imaginava que a vitória do Oeste, por 3 x 1, seria tão fácil.

    Nem o Oeste esperava tanta facilidade. O Fortaleza "relaxou" e se apavorou com o gol sofrido. De "caçador" virou "caça". Literalmente, o tiro saiu pela culatra. Na linguagem boleira, o Fortaleza "amarelou". 

    O próprio Fortaleza foi traído pela combinação de resultados. Jogava pelo empate sem gols e por qualquer vitória. O Oeste era um franco atirador. Tudo que o time paulista queria era um gol para ficar dono da situação. A partir do empate com gols, o Fortaleza teria de correr atrás da vitória.

    E foi exatamente o que aconteceu. Faltou maturidade ao Fortaleza. Não confundir maturidade com idade. A média de idade da equipe é de 30 anos - até elevada para correr atrás de equipes mais jovens. Faltou maturidade para administrar o início do jogo e os momentos de crise dentro da partida.

    O treinador Vica (e aí é preciso conhecer as razões dele) parece não ter acreditado que a equipe poderia jogar da mesma forma que vinha jogando. Desde o primeiro jogo, Vica mudou a forma de jogar. O time ganhou uma formação de três zagueiros em linha, dois volantes e os laterais sumiram. Os atacantes sofreram.

    Como culpar os atacantes se a bola não chega e quando chega, chega quadrada, queimando os pés deles. Aliás, a bola também queimava os pés dos zagueiros. Ninguém conseguia enxergar um volante na saída da bola. Era só chutão.

    O que esperar de Geraldo 38? Eu não tenho resposta. Além do peso da idade (38 anos), correr em todas as direções e armar jogadas? Como? Essa nunca foi a função dele, sozinho. Geraldo depende de boas companhias para jogar e não as teve nesses dois jogos. Aonde estavam os meias do time?

    O Fortaleza perdeu o acesso à Série B, mas não desperdiçou a temporada. Depois de esfriar a cabeça, o presidente Osmar Baquit admitiu que topa a reeleição. O treinador Vica também disse que fica para a próxima temporada. Dos males, o menor! Restam muitas ações positivas que podem ser levadas para 2013.

    Que não se esqueçam de acrescentar uma pitada de maturidade no elenco da próxima temporada. 

    Lamentável o comportamento de parte da torcida, que não soube suportar a dor da derrota e quebrou centenas de cadeiras do estádio. Também não dá para deixar de citar a atitude do atacante Serginho, autor do último gol do Oeste, que correu em direção à torcida adversária para comemorar. Foi uma provocação.              

    sábado, 3 de novembro de 2012

    Fortaleza mantém vantagem contra Oeste


    O Fortaleza arrancou um valoroso empate, em 1 x 1, em Itápolis/SP, no estádio dos Amaros, contra o Oeste, no primeiro jogo da decisão pelo acesso à Segundona do Brasileirão 2012. O empate mantém o favoritismo do Leão do Pici para o jogo de volta, no estádio Presidente Vargas, no próximo domingo, quando defenderá a invencibilidade de 17 jogos.

    O Oeste foi o único dos quatro mandantes que não venceu. Um empate sem gols e uma vitória dará a classificação ao Fortaleza. O Oeste, ao contrário, terá de vencer o jogo fora de casa. Empate só servirá ao time paulista se for 2 x 2, 3 x 3 em diante.

    O treinador Vica foi muito cauteloso e não escondeu isso de ninguém. Poderia ter trocado um dos três zagueiros ou um volante por um meia para dar mais agressividade à equipe, mas preferiu manter a equipe compactada até o fim do jogo.

    Depois do jogo, Vica disse que pediu aos jogadores para terem cuidado. “Uma saída desordenada poderia resultar no segundo ou terceiro gol para o adversário”, alertou Vica.

    O gol do Oeste aconteceu, aos 19 minutos, quando o goleiro Lopes falhou. Wanderson cobrou falta, pela meia esquerda, direto para o gol. Lopes saiu ao encontro da bola e quando tentou voltar não deu mais. E foi só no 1º tempo.

    Vica processou mudanças na equipe, mas não mudou a forma de jogar, sempre cauteloso. O Oeste joga um futebol solidário. Ataca em bloco e se defende em bloco. O 2º tempo foi mais movimentado. Aos 22 minutos, Waldison foi ao fundo do campo, pela esquerda, e cruzou a bola na direção de Geraldo, que não desperdiçou a rara oportunidade: 1 x 1.

    O Oeste foi o único que não manteve a vantagem de jogar em casa nessa primeira rodada decisiva da Terceirona. Agora, é esperar domingo chegar. No PV, acredito que Vica não será tão cauteloso assim como foi em Itápolis. É aguardar!

    O Oeste jogou com Fernando Leal, Dezinho, Eduardo e Lígger; Dedé, Dionísio, Paulo Vitor (Lelê), Hudson e Piauí ( Jheimy); Wanderson e Serginho (Samuel). Técnico: Luis Carlos Martins.

    O Fortaleza jogou com Lopes, Micão, Fabrício e Ciro Sena; Rafinha, Esley, Elton, Geraldo (Alex Maranhão) e Guto; Jailson (Waldison) e Assisinho (Jackson). Técnico: Vica.

    Apitou o jogo o gaúcho Anderson Daronco, auxiliado pelos mineiros Celso Luiz da Silva e Pablo Almeida da Costa. Renda R$ 17.415,00 e público pagante 1.509.

    sexta-feira, 2 de novembro de 2012

    Icasa dá virada espetacular


    O Icasa está escrevendo uma história espetacular na Terceirona do Brasileirão 2012.

    A vitória dessa quinta-feira, no estádio Romeirão, por 2 x 1, sobre o Duque de Caxias/RJ, deixou o Verdão mais próximo do retorno à Segundona. A reação foi espetacular desde a chegada do treinador Francisco Diá, na fase passada.

    Para quem não se lembra, o Icasa esteve na zona de rebaixamento por várias rodadas. Chegaram a encomendar velório e sepultamento. 

    O Icasa reagiu, passou a vencer, ganhou uma vaga, desclassificou o Santa Cruz e empurrou o Salgueiro para o rebaixamento. O Verdão está a um passo do acesso. Ainda que não suba, o treinador Francisco Diá terá marcado época.     

    quarta-feira, 31 de outubro de 2012

    Palmeiras e o medo da degola


    Não vejo problemas no primeiro momento, mas temo que os homens que zelam pelas Leis do futebol no Brasil tenham uma recaída "euricomirandiana" e resolvam dar uma mãozinha na tentativa de diminuir (ou eliminar) o risco de queda do Palmeiras para a 2ª Divisão do Campeonato Brasileiro.

    Querer validar um gol escandalosamente "ilegal" é vergonhoso, ainda que utilize o argumento do erro jurídico na "opinião externa", em relação à ajuda que foi dada ao árbitro alagoano, Francisco Carlos do Nascimento, o Chicão, até o momento em que ele tomou a decisão de anular o gol.

    Muita gente já estava sentindo saudades daqueles tempos da "virada de mesa". Que esses tempos não estejam de volta. Que o Palmeiras consiga salvar a própria pele em campo. Não é possível que o futebol brasileiro bagunçou de novo.

    Pensei que a lambança do Treze de Campina Grande/PB, na Série C do Brasileirão, tinha sido a única do ano de 2012. Espero não ter pensado equivocadamente.  

    sexta-feira, 26 de outubro de 2012

    Ceará perde de novo com ajuda do "apito inimigo"


    O Ceará volta a perder, por 1 x 0, desta feita para o Boa Esporte, no estádio Melão, em Varginha/MG, apesar de ter criado algumas situações de perigo ao longo do jogo. Éverton fez um golaço, aos 38' do 1º tempo e, na 2ª etapa, o Boa contou com uma ajuda do "apito inimigo" do Ceará, quando o árbitro paulista, Vinícius Furlan, deixou de marcar um pênalti cometido pelo lateral Neílson sobre o atacante Misael.

    É verdade que o erro do árbitro não pode servir como justificativa para a derrota, mas foi uma variante grave que não deve ser desprezada. Os árbitros têm errado muito, prejudicado várias equipes e fica tudo por isso mesmo. Ninguém pode garantir que rumo tomaria a partida caso o pênalti fosse marcado, aos 38' do 2º tempo, mas é justo admitir que o Ceará foi prejudicado.

    Também é verdade que o Boa Esporte não tem nada a ver com o erro do árbitro e fez um gol legal. Criou boas situações de ataque e foi ligeiramente melhor no 1º tempo. O Ceará assumiu a postura de pressionar em busca do gol de empate no 2º tempo e criou várias alternativas, mas não conseguiu acertar o gol adversário. Esse tem sido o grande pecado do time alvinegro.

    Mota pareceu nervoso, irritado; Magno Alves entrou no lugar de Itamar e pareceu ansioso; o próprio Itamar não conseguiu encontrar o caminho do gol enquanto esteve em campo. O tempo passou, o gol não saiu e a derrota foi inevitável. De novo, o Ceará perde um jogo relativamente fácil, jogando contra uma equipe do mesmo nível, com menor pontuação na tabela de classificação.

    Nem o treinador PC Gusmão explica. Aliás, na conta dele ficam as alterações que não surtem efeito algum. Nesse jogo, trocou o lateral direito Paulo Sérgio pelo meia Thiaguinho e deslocou o volante Heleno para aquele setor. Thiaguinho nada produziu e Heleno também, portanto, a equipe deixou de funcionar nos dois setores. O meia Magno Cruz também deu lugar ao atacante Misael com pouco efeito positivo.

    Na minha infância, nos nossos times lá do bairro em que morava, diríamos que está faltando tutano aos alvinegros.   

    terça-feira, 23 de outubro de 2012

    Ceará leva "gude preso" do Paraná


    Francamente, faltam adjetivos!

    Triste incompetência é o mínimo que se pode dizer. 

    Como explicar a derrota do Ceará para o Paraná Clube, por 1 x 0, em pleno estádio Presidente Vargas, com um jogador a mais durante 38 minutos do 2º tempo? Nem o treinador PC Gusmão teve o comprometimento de comparecer à entrevista coletiva para explicar o que aconteceu. No mínimo, não será injusto dizer que faltou competência ao time do Ceará.

    O único gol do Paraná aconteceu, aos 4' do 1º tempo, numa descida rápida de Ângelo pela direita. A bola foi enfiada na área e os zagueiros ficaram olhando enquanto o atacante Artur escorou para o fundo do gol. O zagueiro Thiego reconheceu que houve um cochilo dos zagueiros e lamentou a derrota, deixando a garantia de não cair para a 3ª divisão.

    Além do gol, o Paraná fez apenas um ataque perigoso, aos 39', quando o lateral direito Ângelo escapou mais uma vez e cruzou na área. O Ceará, ao contrário, tentou com Márcio Careca, Apodi, João Marcos, Magno Alves, Mota, Eusébio, mas não deu em nada. O alvinegro não conseguiu furar o bloqueio paranista. E perdeu o jogo logo na primeira etapa.

    Pior aconteceu na volta do vestiário. Leandro Chaves entrou no lugar de Magno Cruz para dar mais velocidade à bola e terminou expulso com pouco mais de 1 minuto de jogo. No Paraná, Ricardo Conceição também foi expulso. Menos mal. Acontece que, aos 7', o atacante Luisinho foi expulso e os paranistas ficaram com um jogador a menos.

    A partir daquele instante, os jogadores do Ceará penaram. Virou jogo de travinha, ataque contra defesa, tipo treinamento tático em dia de chuva, tedioso. Márcio Careca deve ter ficado com a perna esquerda inchada de tanto cruzar a bola na área. Apodi, de tanto correr, quase pediu muletas para deixar o estádio. Fora as tentativas, nenhuma jogada organizada, nenhuma jogada individual, nenhuma surpresa.

    Foi uma noite melancólica. Sem explicações. Aliás, PC Gusmão deveria ter explicado como ter deixado Heleno no banco se queria jogar no esquema 3 x 5 x 2. Depois, quando ficou com um jogador a mais, porque tirou João Marcos se era o mais lúcido e articulador que tinha em campo? A não ser que João tenha pedido para sair. Fora disso, não há explicação.

    O Ceará jogou com Dionatan (A), João Marcos (Misael), William Thiego e Victor Hugo; Apodi (A), Juca (Thiaguinho), Eusébio, Magno Cruz (Leandro Chaves) (V) e Márcio Careca; Magno Alves e Mota. Técnico: PC Gusmão. O Paraná jogou com Thiago Rodrigues (A), Ângelo (Cambará), Anderson, Alex Alves e Wendell Borges (A) (Paulo Henrique); Amarildo, Ricardo Conceição (V), Douglas Packer e Lucas; Arthur (Geraldo) e Lusinho (V). Treinador: Toninho Cecílio.

    Apitou o jogo o trio catarinense: Paulo Godoy Bezerra, auxiliado por Rosnei Hoffmann Scherer e José Roberto Larroyd. A renda não foi fornecida até a publicação dessa postagem.

    terça-feira, 16 de outubro de 2012

    Confira os inimigos (do Ceará) do apito em São Caetano



    Com a imagem não dá para ter dúvidas.

    Apito inimigo prende o Ceará na tabela


    Somente o assistente Marco Aurélio Pessanha (RJ) não viu a bola cabeceada pelo atacante Misael (que entrou no lugar de Itamar) entrar no gol do São Caetano, aos 33' do 2º tempo, assim como não viu a posição de impedimento do meia Marcelo Costa, aos 11' do 1º tempo, no 1º gol do time Azulão.

    Os dois erros contaram com o aval do árbitro Rodrigo Braghetto (SP), que seria o 4º árbitro, mas substituiu o alagoano Francisco Carlos do Nascimento, o Chicão, esta noite no estádio Anacleto Campanella/SP. Resultado: São Caetano 2 x 0 Ceará. Esperança redobrada para o Azulão e reduzida para o alvinegro.

    O Ceará teve medo do Chicão, reclamou, pediu, a CBF negou e depois aceitou a troca do árbitro. Deu no que deu. O gol de Marcone (que entrou no lugar de Éder), aos 35' do 2º tempo, foi legal, nada a reclamar. E a história do jogo foi essa.

    O Ceará teve lá suas oportunidades, mas não conseguiu colocar a bola dentro do gol. A melhor chance foi aos 40' do 1º tempo, quando Magno Alves acertou um bolão e o goleiro Luiz fez uma defesa espetacular, tirando a bola para escanteio.

    O São Caetano voltou ao G-4 com 56 pontos enquanto o Ceará empacou no 8º lugar com 45 pontos. O Azulão segue com chances de ficar com uma vaga do G-4, o Ceará vê reduzidas ao mínimo as chances de chegar no G-4. É o preço pelo que deixou de fazer no início da competição.

    Não é o caso de jogar a toalha, mas já é chegada a hora de começar a pensar nos erros e traçar planos para o futuro. Foi mais uma noite desastrosa para os destinos alvinegros. Essa não foi a primeira vez que o Ceará deixou escapar pelos dedos a oportunidade de seguir brigando pela classificação.

    O São Caetano jogou com Luiz, Samuel Xavier, Gabriel, Wagner e Diego; Augusto Recife, Moradei, Éder (Marcone) e Marcelo Costa; Danielzinho (Geovane) e Leandrão (Somália). Técnico: Emerson Leão. O Ceará jogou com Dionantan, Apodi, Luizão, Daniel Marques e Márcio Careca (Robert); Juca, João Marcos, Eusébio e Magno Cruz (Leandro Chaves); Itamar (Misael) e Magno Alves. Técnico: PC Gusmão.

    Gols: Marcelo Costa (11' do 1º tempo) e Marcone (35' do 2º tempo) para o São Caetano.

    Cartões amarelos: Gabriel e Augusto Recife (SC), Daniel Marques, Márcio Careca e Misael (CE).

    Apitou o jogo o paulista Rodrigo Braghetto, com assistências de Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ) e Otávio Correia de Araújo Neto (AL). O 4º árbitro foi Francisco Carlos do Nascimento, o contestado Chicão (AL), que não teve nada a ver com os erros dos colegas (dessa vez).

    sábado, 13 de outubro de 2012

    Fortaleza vence no Arruda e dorme líder


    "Clássico é clássico!"

    Essa expressão responde a uma infinidade de perguntas e, por isso, nunca ficará ultrapassada.

    Santa Cruz 1 x 2 Fortaleza, no estádio do Arruda, em Recife/PE, fervilhou como uma panela de pressão. Os donos da casa cochilaram e terminaram chamuscados. O time coral precisava da vitória para afastar a ameaça de perder a quarta vaga, estava sob pressão e terminou perdendo a calma no finalzinho do 1º tempo. A confusão foi ruim para o Santa.

    O gol do Santa foi contra (do volante Esley), aos 21 minutos, porque o time coral pressionava mais. Quando terminou a confusão, iniciada numa disputa de bola entre Esley e Chicão, o treinador Zé Teodoro fez duas substituições e enfraqueceu o time coral. O treinador Vica mexeu melhor e virou o placar do jogo.

    Esse clássico foi histórico. Duas expulsões de cada lado: Chicão e Everton Sena pelo Santa Cruz, Esley e Ciro Sena pelo Fortaleza. Os dois treinadores também foram expulsos: o interino Sandro Barbosa pelo Santa e Vica pelo Fortaleza. O árbitro Paulo Henrique de Godoy (SC) agiu corretamente.

    No 2º tempo, o que vimos foi o velho jogo de travinha. Bastante espaço para nove jogadores de linha em cada lado. O meia Alex Maranhão, que substituiu Geraldo (Fortaleza), foi quem mais soube tirar proveito disso. Comandou a equipe Tricolor, chutou a gol, ajudou na marcação, reclamou, orientou os companheiros e quase fez gol.

    Jogo para guardar na memória!     

    Ceará reacende as esperanças no PV


    Em meio a tantas dúvidas, o Ceará aplicou uma goleada de 4 x 0, no América/RN, no estádio Presidente Vargas, pela 29ª rodada do Brasileirão 2012, e reacende as esperanças por uma vaga no G-4. É apenas o primeiro passo da difícil caminhada, mas é real. Agora, o Ceará precisará seguir vencendo os demais adversários.

    No jogo desta tarde, o Ceará teve um gol legal anulado. Depois, Mota desperdiçou um pênalti. Apesar de tudo, o próprio Mota fez dois gols. Eusébio abriu o placar e Magno Alves desencantou. Antes do gol, Magnata colocou uma bola na trave.

    A vitória veio como um alimento necessário ao Ceará. Agora, é mostrar que pode! 

    sexta-feira, 12 de outubro de 2012

    Gilberto Gil canta "Guerra Santa"


    Vamos curtir uma das belas obras de Gil!

    Soa como um protesto aos vendilhões da fé, segundo meu amigo Marcos Niemeyer.  

    sábado, 6 de outubro de 2012

    Ceará deixa escapar o empate. Veja os gols.


    Apesar da derrota, o Ceará realizou um dos seus melhores jogos desse Brasileirão 2012, no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma/SC, pela 28ª rodada. O goleiro Dionantan entrou na equipe num momento crítico e foi bem, tendo feito defesas importantes.

    Mais uma vez, o atacante Magno Alves não conseguiu finalizar bem. A ânsia de fazer o gol aliada à necessidade do gol terminou prejudicando o atacante. Não entendi porque o treinador PC Gusmão tirou o zagueiro Daniel Marques. Se era por nervosismo, colocou um Thiego inseguro e que falhou no 2º gol. 

    No primeiro gol, os defensores alvinegros não entenderam a jogada ensaiada do Criciúma. No segundo gol, os zagueiros foram vencidos pela qualidade do artilheiro Zé Carlos. O resultado foi normal, considerando que o Criciúma é um dos líderes e jogou em casa.

    De qualquer maneira, o resultado distanciou o Ceará da esperança da volta à Série A, mas ainda existe chance matemática. A instabilidade da equipe tira a expectativa positiva de todos nós. Vejamos: a essa altura da competição, o treinador ainda não tem certeza sobre algumas definições da equipe. 

    Infelizmente, muito tempo perdido pelo Ceará Sporting!

    sábado, 29 de setembro de 2012

    Torcida vaia Ceará após empate com Ipatinga


    Mesmo com a concorrência do sábado à noite, a torcida do Ceará compareceu ao estádio Presidente Vargas com 14.028 pagantes, proporcionando uma renda de R$ 167.773,00, na expectativa de uma vitória para continuar alimentando o sonho da classificação. Em campo não foi bem assim. O time esbarrou na retranca do Ipatinga/MG, sofreu um gol bobo, cedendo o empate (1 x 1), e saiu de campo vaiado.

    A torcida permaneceu calada durante quase todo o jogo, dando sinais de suspense, mas não "jogou a toalha". Quando o jogo terminou, no entanto, uma sonora vaia veio de todas as direções da arquibancada. A torcida ficou em pé até o apito final, como se não estivesse acreditando no que estava vendo. O Ceará foi impotente para vencer o bloqueio do adversário.

    No primeiro tempo, o Ipatinga impediu as avanças de Apodi (pela direita) e Márcio Careca (pela esquerda), ainda assim saiu o gol de Magno Alves, aos 18 minutos, numa jogada rápida pelo meio. No segundo tempo, o treinador PC Gusmão saiu da marcação com duas mudanças: tirou Jardel e colocou Robston, tirou Robert e colocou Misael. Empurrou os alas do Ipatinga e aumentou a pressão, mas faltou organização.

    Aos 31 minutos, o ala esquerdo Bruninho chutou uma bola da intermediária. A trajetória foi desviada pelo zagueiro Luisão e o goleiro Fernando Henrique não conseguiu voltar para o lado esquerdo, sofrendo o gol. Daí em diante, começou o sofrimento alvinegro. Apesar das mexidas do intervalo, o Ceará não conseguiu ter calma e qualidade técnica para "passar por cima" do "ferrolho" ipatinguense.

    Frustrada, a torcida voltou para casa com a sensação de derrota. Para uns, a noite acabou. Para outros, o sonho da Série A virou pesadelo. No vestiário, a resposta foi muita demora para o início das entrevistas. E quando João Marcos apareceu, os repórteres ficaram imprensados num espaço reduzido, prejudicando o trabalho da imprensa. 

    Foi uma noite frustrante!

    Fortaleza carimba classificação na C


    Apesar de ter sido melhor no 1º tempo, o Fortaleza só conseguiu vencer o Treze/PB nos 45 minutos finais, esta tarde, no estádio Amigão, em Campina Grande. Com a vitória, o Tricolor do Pici garante presença no cruzamento dessa fase ao lado do Luverdense/MT, restando definir as posições de 1º e 2º colocado. As outras duas vagas seguem bem disputadas.

    Confiram os gols de Guto e Ciro Sena.   

    terça-feira, 25 de setembro de 2012

    Fortaleza satisfaz desejo de Vica


    Depois de cautelosa procura, bem à mineira, o Fortaleza encontra o meia solicitado pelo técnico Vica para a reta final do Brasileirão da Série C. Alex Maranhão, 27 anos, não é nenhuma novidade, mas foi uma peça importante no time do Nacional de Nova Serrana/MG, no Brasileirão da Série D. O clube mineiro abriu mão do jogador até dezembro, quando volta para cumprir o contrato até dezembro de 2013.

    O meia Alex Maranhão esteve no Leão do Pici, em 2009, como sempre, depois de ter feito o caminho inverso. Começou pelo Uniclinic/CE, passou pelo Ceará e chegou ao Criciúma/SC. De lá, esteve no Palmeiras B/SP, Barueri/SP, entre outros clubes, quando veio para o Fortaleza. De volta ao mundo, Alex Maranhão jogou pelo exterior e desembarcou de volta em Minas Gerais.

    Vida de boleiro é assim mesmo. Mais uma passagem por aqui, na chamada entressafra, quando terá a oportunidade de mostrar um futebol de melhor qualidade já que está mais maduro. Chega como a opção ideal para que o time ganhe uma cara diferente, com um meia que possa arrumar o jogo, carregar a bola, encostar nos atacantes, dar um novo "molho" ao jogo.

    É claro que o titular é Geraldo (G-38), mas o momento é bom assim mesmo. O técnico tem reclamado um meia de estilo tradicional, ainda que não abra mão da titularidade de Geraldo. Além do mais, o campeonato chegou no momento nervoso, decisivo e ter elenco competitivo poderá fazer a diferença na hora de decidir uma vaga por detalhes.

    quarta-feira, 19 de setembro de 2012

    segunda-feira, 17 de setembro de 2012

    Fortaleza dá virada no Papão


    Mais do que nunca, o treinador Vica entrou no jogo, nesse domingo, no estádio Presidente Vargas, e foi decisivo para a virada do Fortaleza sobre o Paysandu (3 x 1), pelo Brasileirão 2012 da Série C. O Papão venceu o 1º tempo, por 1 x 0, gol de Yago Pikachu, aos 13 minutos, com um 3 x 5 x 2 sólido - uma linha de cinco que funcionou como uma muralha.

    Vica entrou no jogo no vestiário, quando decidiu trocar o meia Geraldo pelo meia Doda e o atacante Ray pelo também atacante Cléo. Foi seis por meia dúzia, é verdade. Mas a movimentação dos que entraram foi absurdamente superior aos que saíram. Eis a fundamental diferença.

    Somente aos 32 minutos, depois do placar sacramentado (3 x 1), foi que Vica resolveu dar uma segurada e trocou o atacante Assisinho pelo volante Careca. No vestiário, portanto, Vica reposicionou a equipe, fez mudanças fundamentais e deu um gás e tanto aos 11 jogadores.

    Quem observou bem o 2º tempo, percebeu que o meia Jackson cresceu com as entradas de Doda e Cléo por motivo óbvio: a marcação do Fortaleza foi adiantada, começando lá na defesa do Papão; os meias e os atacantes passaram a jogar como um rolo compressor. 

    O resultado foi uma sequência de finalizações e os três gols saíram em oito minutos: Assisinho, aos 22'; Guto, aos 25'; Assisinho, aos 30'. Foi um 2º tempo que valeu pelos 90 minutos. A solidez tática do Paysandu foi desmantelada pela velocidade e eficiência de quatro jogadores: Jackson, Doda, Assisinho e Cléo.

    Foi um bom teste para desmistificar a ideia de que o time não tem alternativa de jogo para sair das possíveis dificuldades que vai encontrar com equipes mais qualificadas na próxima etapa. É claro que essa fase ainda não terminou, mas é difícil pensar que Luverdense/MT e Fortaleza irão deixar escapar as vagas que estão segurando até aqui.   

    domingo, 16 de setembro de 2012

    Um jogo para relembrar sempre


    Ceará 4 x 3 Joinville, no estádio Presidente Vargas, dia 15 de setembro de 2012, pela 25ª rodada do Brasileirão da Série B. Com a vitória, o Ceará chega ao 7º lugar com 41 pontos. A anulação de um gol do Joinville, no minuto final do jogo, gerou muita confusão e expulsões.

    O goleiro Ivan, do JEC, foi detido por desacato à autoridade e punido com pena educativa (cinco salários mínimos: R$ 3.110,00), que serão revertidos ao Ipred - instituição que cuida de crianças carentes e desenvolve trabalho no combate à desnutrição. 

    sexta-feira, 14 de setembro de 2012

    Copa do Nordeste volta em alto estilo


    A Copa do Nordeste 2013 (nova versão) foi lançada em grande estilo.

    Apoio oficial da CBF, organização, cobertura financeira, patrocínios, premiação apetitosa e a possibilidade de uma vaga na Sul-Americana 2014. Uma receita ideal para o sucesso nas arquibancadas e nos gramados.

    Os dirigentes dos clubes demonstraram satisfação e segurança. O regulamento, previamente definido, com a garantia de equipes titulares na competição sinaliza para o sucesso dos jogos.

    A Copa do Nordeste será realizada em 12 das 23 datas destinadas aos campeonatos estaduais, de janeiro a março. Os clubes integrantes da Copa não disputam a primeira fase dos estaduais. Essa é a boa nova.

    As Federações terão a incumbência de reformar a forma de disputa dos estaduais. Há uma sutil reação dos clubes menores, que esperam os grandes para fazer caixa, mas é preciso encontrar outras saídas.

    Entendo que a competição volta melhor que as outras nove edições. Agora, só depende dos clubes. Tudo que reclamamos nos estaduais está na Copa do Nordeste. Um exemplo, inclusive, para os estaduais.

    Grupo A
    Bahia, Ceará, ABC/RN e Itabaiana/SE.

    Grupo B
    Sport/PE, Fortaleza, Confiança/SE e Sousa/PB

    Grupo C
    Vitória/BA, América/RN, ASA/AL e Salgueiro/PE

    Grupo D
    Santa Cruz/PE, CRB/AL, Campinense/SE e Feirense/BA

    Na primeira fase, os jogos serão entre si, no mesmo grupo, ida e volta, para saírem oito classificados: dois de cada grupo. 

    Na segunda fase, os cruzamentos serão da seguinte forma, jogos de ida e volta: A1 x C2 / C1 x A2 = B1 x D2 / D1 x B2 para saírem quatro semifinalistas - dois de cada lado do cruzamento, de onde sairão os finalistas.

    As rodadas de meio de semana terão quatro horários, sendo dois às quartas-feiras e dois às quintas. As rodadas de fim de semana terão dois horários aos sábados e dois aos domingos.

    A tabela completa deve ser publicada até a semana que vem, segundo expectativa do diretor de competições da CBF, Virgílio Elisio.

    Boa sorte!

    quarta-feira, 12 de setembro de 2012

    Ceará engata a marcha de subir de novo


    O Ceará volta a vencer a segunda partida consecutiva e engata a marcha de força para subir a ladeira em direção ao G-4. Com um gol de Eusébio, aos 25 minutos, o Vovô venceu o ABC/RN, no Estádio Frasqueirão, e chegou ao 7º lugar, com 38 pontos ganhos. Sábado, será fundamental outra vitória, no PV, diante do Joinville, que é o 6º colocado, com 41 pontos.

    Foi daquelas noites em que deu tudo certo. No 1º tempo, o jogo foi bem equilibrado, corrido, lá e cá, embora o time potiguar tivesse levado mais perigo ao gol de Fernando Henrique. Basta observar que foram cinco escanteios a mais contra o Ceará. Depois do gol de Eusébio, FH fez duas espetaculares defesas e garantiu a vitória parcial.

    Na volta do vestiário, o treinador Ademir Fonseca tirou o volante Guto e colocou o meia Eleilton. A pressão foi incessante durante os 45 minutos do 2º tempo, mas o Ceará resistiu bem. Aos 31 minutos, o goleiro alvinegro voltou a fazer uma defesa arrojada, espalmando para escanteio uma bola chutada por Alan, de dentro da área.

    Ao Ceará restaram poucas escapadas em jogadas de contra-ataque. A melhor chance alvinegra foi desperdiçada por Eusébio, aos 21, quando o zagueiro Flávio Boaventura não alcançou a bola cruzada da direita. A bola espirrou no peito de Eusébio e o chute saiu prensado com um dos zagueiros do ABC.

    O treinador do Ceará, PC Gusmão, surpreendeu a imprensa com Magno Cruz e Itamar na equipe. O Ceará jogou com Fernando Henrique, Apodi, Thiego, Luizão e Márcio Careca; Juca, Eusébio (Bruninho), João Marcos e Magno Cruz (Misael); Itamar (Robert) e Mota.

    O ABC jogou com Andrey, Pedro Silva, Flávio Boaventura e Airton; Guto (Eleilton), Serginho, Walter Minhoca e Cascata; Diego Clementino (Eliomar Bombinha) (Alan) e Adriano Pardal. Bombinha saiu machucado 14 minutos depois que entrou no lugar de Diego.

    O árbitro Edmar Campos da Encarnação (AM) cometeu equívocos na parte técnica e foi omisso na parte disciplinar. Felizmente não influenciou no placar do jogo. Os assistentes Evandro Gomes Ferreira e Marco Antonio Moreira (GO) também cometeram erros nas marcações de impedimentos.     

    domingo, 9 de setembro de 2012

    Fortaleza e Luverdense iguais em tudo


    Foi tudo igual, da produtividade ao placar: 3 x 3.

    Poderíamos explicar dessa forma, simples assim, o resultado de Fortaleza x Luverdense/MT, no Estádio Presidente Vargas, pela Terceirona do Brasileirão 2012, na segunda rodada do returno da competição. 

    Quando o Luverdense ficou com 10 jogadores, aos 9' do 2º tempo, o Fortaleza não criou situações para fazer valer a vantagem numérica e o jogo ficou quase igual de novo. O Fortaleza até que passou a atacar mais, contudo sem efeito algum.

    Waldison e Jailson podem ter feito falta porque finalizam bem, mas faltou envolvimento dos jogadores do meio-campo. Geraldo jogou entre os zagueiros e Jackson, isolado, não fez uma boa partida como nos jogos anteriores. Assim, não tem atacante que resista.

    Os seis gols nasceram de erros dos zagueiros. O Fortaleza fez dois gols de pênalti e um de falta. O Luverdense aproveitou duas falhas dos zagueiros Tricolores e uma do goleiro Lopes (o terceiro gol acima). A torcida ficou reticente por causa disso. E Lopes não gostou de ter sido vaiado por um pequeno grupo.

    O torcedor gosta de muitos gols, mas, do ponto de vista técnico, jogo assim sinaliza muitos erros. O próprio Vica reconheceu que o Fortaleza sofreu três gols em 45 minutos contra cinco gols em 10 jogos. Algo só pode estar errado.  

    Enfim, Vica fez três alterações, mas não mexeu em Geraldo e o time seguiu sem criatividade. O Luverdense, por sua vez, soube jogar. Tirou proveito das falhas do Tricolor e fez três gols no 2º tempo. Quando estava inferiorizado, jogou sem correr riscos e garantiu o empate.

    Fortaleza: Lopes, Rafinha, Micão, Fabrício e Guto; Elton, Esley (Cléo), Jackson e Geraldo; Assisinho (Doda) e Ray (Vinícius). Técnico: Vica. Luverdense/MT: Willian Alves, Régis, Zé Roberto, Dão e Raul Prata; Dê, Rodrigo Paulista, Carlos Alberto (Adriano) e Rubinho (expulso); Valdir Papel (Fio) e Rafael Tavares (Adnil Jr.). Técnico: Dado Cavalcanti.

    Renda: R$ 377.809,00 - público 17.721, caronas 1.004.

    Gols no 1º tempo: Valdir Papel, aos 7' (Luv); Geraldo de pênalti, aos 11' e aos 26' (Fort); Carlos Alberto, aos 27' (Luv); Assisinho, aos 32' (Fort); Dão, aos 34' (Luv).

    Apitou o jogo o árbitro Pablo Gonçalves Pinheiro, auxiliado por José Valmir dos Santos Xavier e Marcos Santos Vieira, todos do Rio Grande do Norte. Avelar Rodrigo foi o quarto árbitro. Foi ele quem avisou ao árbitro potiguar que Rubinho já havia recebido cartão amarelo, antes da expulsão.      

    Márcio Careca premiado com gol da vitória


    O Ceará venceu o Guarani/SP, por 1 x 0, no PV, e deu um passo importante, com gol do lateral esquerdo Márcio Careca. O lateral terminou premiado com as atuações regulares nas últimas rodadas. O gol foi importante para o Ceará que ganhou uma posição (9º lugar com 35 pontos ganhos) e para Márcio Careca que disputa posição com Vicente e tem mantido regularidade nas suas atuações.

    O treinador PC Gusmão voltou atrás da proposta tática aplicada nos dois jogos anteriores (3x5x2), tirou um zagueiro (Thiego), manteve Eusébio no meio, puxou Mota para a meia esquerda e colocou Misael na equipe. No meio da semana, eu havia falado sobre essa possibilidade, que me parecia mais racional que jogar com três zagueiros duros, sem saída de bola, sem um meia de ofício e um atacante isolado.

    Vamos ver qual será a atitude do treinador no próximo jogo, terça-feira, às 21h50min, contra o ABC de Natal/RN, lá no Estádio Maria Lamas.   

    quarta-feira, 5 de setembro de 2012

    Porque é véspera de feriadão!


    Não custa nada saber mais um pouco. 

    Para não quem não conhece, a oportunidade de conhecer.

    Enfim, um pouquinho de cada coisa.

    quarta-feira, 29 de agosto de 2012

    Gols de América/MG 1 x 3 Ceará


    Valeu pelo 1º tempo taticamente bem jogado e pela atenção nos minutos finais do jogo. O treinador PC Gusmão voltou a fazer mexidas que não melhoraram a equipe. Leia opinião completa abaixo.

    Após o susto, América/MG 1 x 3 Ceará


    Poderia ter sido mais tranquilo, mas a pressão do América/MG, no 2º tempo, dificultou a vitória alvinegra. Mais uma vez, PC Gusmão montou um esquema tático perfeito, venceu o 1º tempo, por 1 x 0, gol de Mota, aos 18 minutos, e quase perdeu o jogo depois que mexeu no time no 2º tempo. Assim como no jogo passado, Bruninho saiu e a pressão dos adversários aumentou. Felizmente, a vitória saiu nos dois minutos finais do jogo.

    Depois de um 1º tempo equilibrado, o América voltou para o 2º tempo mais agressivo, a partir de duas alterações e mudança de esquema tático. O treinador Milagres tirou o zagueiro Vinícius Simon e colocou o atacante Jr. Timbó, tirou o meia Thiago Humberto e colocou o meia atacante Tiaguinho. Saiu do 3x5x2 para o 4x4x2. O resultado foi uma equipe na frente buscando o gol de empate incessantemente.

    Aos 16 minutos, PC Gusmão tirou Bruninho e colocou Magno Cruz. Trocou um meia por outro. A diferença é que Bruninho estava bem taticamente, ajudando na marcação e segurando a bola. Com a saída dele, o América alugou o campo de defesa do Ceará até fazer o gol de empate, aos 34 minutos, numa jogada em que Adeílson passou entre dois zagueiros para chutar no canto esquerdo de Fernando Henrique.

    O sufoco seguiu até o final. Todos temíamos pela derrota até que a volúpia dos americanos terminou ajudando ao Ceará. Foram dois minutos apenas. Aos 45 minutos, Apodi sofreu falta. A bola foi lançada na área e Neneca errou. O zagueiro Thiego aproveitou a sobra da bola para desempatar com a cabeça: 2 x 1. Aos 47 minutos, Eusébio puxou o contra-ataque e deu uma bola de bandeja para Magno Cruz ampliar: 3 x 1.

    Tudo bem. Mais três pontos conquistados de forma arrojada, mas assustou. Depois de corrigido o passe, a saída de bola, o tempo de bola dominada, agora é hora de acertar o detalhe das mexidas na segunda etapa do jogo. Daqui em diante será assim: mudanças por cartão, por contusão e por cansaço. As mudanças são previstas, os equívocos é que não podem ser repetidos.

    América/MG 1 x 3 Ceará, no Estádio Independência, com renda de R$ 14.970,00 para um público de 758 pagantes. Bruninho e Mota foram os melhores do Ceará. Adeílson foi o melhor do América mineiro. O Ceará manteve-se na 10ª posição da Série B, com 30 pontos, e volta a jogar na sexta-feira, no Estádio Presidente Vargas, contra o Guaratinguetá/SP.    

    segunda-feira, 27 de agosto de 2012

    Fortaleza montou elenco para subir


    - O Fortaleza tem time para subir?

    Essa é a pergunta que os torcedores do Leão do Pici mais repetem em todos os lugares. Francamente, não gosto de arriscar esses prognósticos por vários motivos. Vou citar apenas dois: não sei fazer cálculos matemáticos com a propriedade de alguns sites nem costumo dar opinião pelo coração. Assim, recorrendo à razão, é preciso ter algumas certezas.

    No início do Brasileirão da Série C eu tinha muitas dúvidas. O time não engrenou sob o comando de Nedo Xavier, entre outros motivos, porque vários jogadores titulares se machucaram e o treinador relutou, relutou e não mexeu no time que não vinha jogando bem. Nedo é treinador que morre abraçado com os "amigos".

    Com a chegada do treinador José Luiz Mauro, o Vica, tudo mudou da água para o vinho. Antes mesmo de receber de volta do Departamento Médico os jogadores machucados, Vica teve a ousadia de mexer no time e avisou aos jogadores que "time que ganha se mexe", contrariando o velho jargão do futebol "time que ganha não se mexe".

    Os resultados foram imediatos. O grupo ganhou motivação, a torcida recuperou a autoestima e os números começaram a conspirar a favor do acesso do Fortaleza à Série B. Ninguém pode ir de encontro aos números. Em sete jogos sob o comando de Vica foram seis vitórias e um empate contra um empate e uma derrota sob o comando de Nedo Xavier.

    Verdade que ainda faltam muitos jogos pela frente, mas a realidade do Leão do Pici é outra, bastante diferente. O time está acertado e o treinador tem elenco. Faz tempo o Fortaleza não tinha time e reservas, tipo: Lopes/Fábio Lima/João Carlos (o melhor reserva), Rafinha/Thiago Granja/Micão/Cléber Carioca/ Gilmak/Fabrício/Ciro Sena (o melhor reserva), Guto/Kauê/Marinho Donizete.

    Meio time de bons volantes, sem titularidade certa: Esley/Careca/Leandro/Jefferson/Marielson (o melhor), Geraldo/Jackson/Edinho/Doda, atacantes como Jailson/Waldison/Assisinho/Cléo/Ray/Romarinho/Vinícius. Se faltou alguém não vai fazer diferença. Quando você vê um time bem azeitado em campo e um banco de reservas competente, sente firmeza na aposta.

    É esse sentimento que tenho. Não é prognóstico matemático nem palpite do coração. Mesmo faltando muito para terminar a competição, arrisco dizer que o Fortaleza e o Luverdense/MT estão garantindo duas vagas. Santa Cruz/PE, Salgueiro/PE, Paysandu/PA e Águia/PA vão brigar pelas outras duas vagas. Infelizmente, sobre o Icasa ainda não digo o mesmo, porque o time está em baixa. Precisa melhorar muito!

    Até breve quando poderemos fazer uma análise comparativa.   
        

    sábado, 25 de agosto de 2012

    Vitória retoma a liderança com erros do Ceará


    O Ceará apresentou um bom esquema tático no primeiro tempo. Abriu o placar, aos 11 minutos, com um gol de Mota cobrando pênalti sofrido por ele mesmo. O Vitória empatou, aos 38 minutos, com um gol de William. O rubro-negro só melhorou depois do gol de empate. Até ali, o Ceará anulou os dois laterais adversários - a melhor jogada deles - e foi melhor em campo.

    No intervalo, o volante João Marcos pediu para sair. O jogador estava ameaçado de não jogar por causa de uma indisposição viral, reagiu ao tratamento, entrou em campo, mas não suportou. Até aí, tudo bem. O que não entendi foi a saída do meia Bruninho para a entrada do atacante Robert. Com as duas alterações, o Ceará perdeu o poder de marcação.

    Os dois laterais do Vitória ganharam dois corredores para jogar. O meia Pedro Ken passou a ter espaço para jogar e o meia Willie encostou nos atacantes. O Vitória desempatou logo, aos 7 minutos do 2º tempo, com gol de Elton. Treze minutos depois, Pedro Ken fez 3 x 1. A partir daí, o rubro-negro administrou o placar. O Ceará ganhou volume de jogo, mas insistiu no balãozinho na área. Não deu em nada.

    PC Gusmão lamentou a saída de João Marcos, mas evitou falar sobre a saída de Bruninho, que fazia uma função tática importante, impedindo os avanços do lateral esquerdo Gilson. Eu comentei antes do jogo: "Tem jogador que a torcida não vê jogar, mas o time sente a presença dele". Esse pensamento tentava explicar a permanência de Bruninho no time, mesmo sem um futebol encantador. 

    Aliás, Mota disse aos repórteres no vestiário que reconhecia a qualidade do Vitória. Futebol é composto por tudo isso: jogadas bonitas, qualidade, eficiência, disposição física e acertos no trato com a bola. Não basta ter um futebol bonitinho ou encantador. Pra mim, o resultado foi normal. Agora, o time deve voltar a jogar bem e o treinador deve errar menos para vencer o América, nessa terça-feira, em Belo Horizonte/MG.

    Ceará 1 x 3 Vitória, no PV, com renda de R$ 316.934,00 para um público pagante de 15.011 e mais 935 caronas. A impressão é que tinha mais gente no estádio. Juca e Paulo Sérgio receberam o 3º cartão amarelo e não jogam contra o América mineiro.  

    domingo, 19 de agosto de 2012

    Ceará faz a trinca contra o Bragantino


    O Ceará voltou a jogar bem e venceu o Bragantino, por 3 x 1, no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista/SP (a 3ª vitória consecutiva), e melhorou o posicionamento na classificação. Fechou a 18ª rodada na 10ª colocação, com 27 pontos. Vai enfrentar o Vitória, sexta-feira, no PV, em clima de tranquilidade.

    Luisão, cuja presença em lugar de Thiego causou uma certa preocupação, cumpriu bem a função, inclusive, fazendo o gol do desempate, ainda no 1º tempo. O atacante Itamar não jogou bem, mas a volta de Mota, deu um certo equilíbrio. Poderia ter sido melhor.

    Dessa vez foi diferente. Um cochilo dos zagueiros e do goleiro Fernando Henrique resultou no gol do Bragantino, aos 7 minutos, através Rafael Caldeira. Heleno fez o gol do empate, com ajuda do próprio Caldeira. Robert fez o 3º gol, após uma boa jogada individual, já no finalzinho do jogo.

    Confiram!     

    quarta-feira, 15 de agosto de 2012

    O primeiro título ninguém esquece


              Ficha técnica da decisão da Copa do Mundo de 1958

    BRASIL 5 x 2 SUÉCIA
    29 de junho de 1958
    Local: Estádio Rasunda, em Estocolmo. 
    Público: 49.737 pessoas
    Árbitro: Maurice Guigue
    Gols: Nils Liedholm 3', Vavá 9' e 32', Pelé 55' e 90', Zagalo 73' e Agne Simonsson 80'.
    Brasil: Gilmar, Djalma Santos, Bellini, Orlando e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Pelé e Zagalo.
    Técnico: Vicente Feola.
    Suécia: Karl Svensson, Orvar Bergmark, Bengt Gustavsson e Sven Axbom; Rejno Borjesson e Sigvard Parling; Kurt Hamrim, Gunnar Gren, Agne Simonsson, Nils Liedholm e Lennart Skoglund.
    Técnicos: George Raynor.

    O estádio Rasunda será demolido ao final da temporada e sucumbirá com seus 75 anos de história. Mais fantástica ainda é a história de Robert Limpar, um sueco de 50 anos, que há duas décadas tem as chaves do estádio e guarda pedaços dessa rica história. Curioso saber, por exemplo, que Limpar guardou meiões sujos e rasgados do ex-atacante sueco Tomas Brolin, que sofreu graves lesões jogando no Rasunda.
    Vale a pena conferir: 

    terça-feira, 14 de agosto de 2012

    Itamar emplaca dois gols e Ceará vence o CRB alagoano


    Dois gols de Itamar (3' e 22' do 1º tempo) deram a vitória ao Ceará, no estádio Rei Pelé, nessa 17ª rodada da Série B do Brasileirão 2012. O CRB/AL, que vinha tendo um bom rendimento em casa, jogou um futebol abaixo da crítica e só ameaçou o alvinegro nos últimos 15 minutos do jogo. Foi a 2ª vitória consecutiva com melhora no desempenho técnico e tático da equipe.

    Ainda não é o ideal, mas houve progresso, sim. Juca e Bruninho aumentaram o poder de controle do jogo pelo meio campo. Até mesmo a presença de Luiz Henrique, 19 anos, no ataque, em lugar de Mota, foi positiva. Ainda que improvisado, o garoto se mexeu bem, marcou a saída de bola, encarou o desleal zagueiro Rogélio e tentou finalizar quando teve oportunidade.

    Ninguém sentiu falta de Rogerinho nem de Mota. Itamar mostrou oportunismo e eficiência dentro da área. Aproveitou cruzamento de Márcio Careca no 1º gol e um passe em diagonal de Paulo Sérgio no 2º gol. Eram  os quesitos que não funcionavam no Ceará. Com pouca melhora, o resultado prático veio com as duas vitórias seguidas. Simples assim!

    O CRB dependeu do veterano meia Geovani o jogo inteiro. No 1º tempo, cobrou falta, articulou as jogadas, chutou ao gol, fez de tudo. Com menos fôlego no 2º tempo já não produziu tanto, mas ainda criou problemas à defensiva do Ceará. Nos últimos 15 minutos, o CRB cresceu, mas o desgaste físico também atrapalhou.

    O CRB jogou com Cristiano, Diego Aragão, Rogélio, Tiago Gomes e Jadilson; Roberto Lopes (Mineiro), Gleidson, Luciano (Luis Paulo) e Geovani; Thiago Bezerra (Paulo Victor) e Aloísio Chulapa. O Ceará jogou com Fernando Henrique, Paulo Sérgio, Thiego, Daniel Marques e Márcio Careca; Heleno, Juca, João Marcos e Bruninho (Eusébio); Luiz Henrique (Robert) e Itamar (Misael).

    O goiano André Luis de Freitas Castro apitou bem, com assistências de Marrubson Melo Freitas (DF) e Adilson Marcelo Lopes Leal (BA).    

    domingo, 12 de agosto de 2012

    Fortaleza quebra invencibilidade do Santa Cruz

    Lopes teve atuação destacada  


    O Fortaleza venceu o Santa Cruz/PE, no PV, por 2 x 0, na 7ª rodada da Série C do Brasileirão 2012, somou 14 pontos e encostou no líder Luverdense/MT, que tem 15 pontos. Para o técnico Vica foi uma vitória de convencimento. E foi, principalmente pelo 2º tempo.

    A proposta do Santa Cruz foi clara. Ficava atrás, compacto, saindo rápido para explorar os erros do Fortaleza. O atacante Dênis Marques teve duas oportunidades (16’ e 21’), mas não conseguiu finalizar bem, o que permitiu ao Fortaleza seguir jogando com mais tranquilidade.

    Vica colocou em campo um time leve, flutuando pelo meio, com Elton e Marielson ao lado de Esley (na contensão) e Geraldo (na armação). Apesar de ter ficado mais tempo com a bola, foram poucos os chutes a gol. Foram exatamente dois chutes feitos por Elton e Waldison, sem perigo.

    Na intervalo, o técnico Zé Teodoro voltou com o Santa Cruz mais fechado. Tirou o lateral esquerdo Tiago Costa e colocou o zagueiro Everton Sena, puxando Renatinho do meio para a lateral esquerda, desfazendo o esquema que lhe garantiu o empate do 1º tempo.

    Melhor para o Fortaleza, que voltou mais agudo. Uma bola rebatida dentro da área e o lateral Rafinha chutou forte para abrir o placar, aos 13 minutos: 1 x 0. Treze minutos depois, outra bola rebatida na área, Waldison penetrou e chutou forte no canto direito de Fred: 2 x 0.

    Zé Teodoro tentou corrigir o Santa, mas não conseguiu. Mesmo antes do 2º gol, tirou o volante Chicão e o meia Sandro Manoel e colocou os meias Luciano Henrique e Fávio. Aos 30 minutos, Micão derrubou Flávio dentro da área. Dênis Marques cobrou o pênalti e o goleiro Lopes defendeu.

    Vica reforçou a marcação com as entradas de Leandro no lugar de Marielson e Fabrício no lugar de Elton. Na frente, Assisinho deu lugar a Jailson. Imaginei que o jogo fosse terminar de forma dramática, com pressão do Santa Cruz, mas não foi assim. Me enganei. Ainda bem.

    Sem reação do Santa Cruz, o Fortaleza venceu o jogo sem problemas. O Santa perdeu a invencibilidade de 6 jogos (4 empates e 2 vitórias). O Fortaleza, com Vica, empatou um jogo e chegou à 4ª vitória. A campanha do Vica é melhor que a campanha do Zé Teodoro. Esse dado já explica a superioridade tricolor.

    Fortaleza 2 x 0 Santa Cruz, no PV, com renda de R$ 414.570,00 – público pagante de 18.123. Esley recebeu o 3º cartão amarelo e desfalca o Fortaleza, domingo, em Juazeiro do Norte, contra o Icasa.

    quarta-feira, 1 de agosto de 2012

    Adilson foi vítima de falha ou fatalidade?



    O gol sofrido por Adilson no empate de 1 x 1, contra o Boa Esporte, no Estádio Presidente Vargas, pela 14ª rodada do Brasileirão 2012, continua gerando polêmica. Claro que Adilson falhou, mas não falhou sozinho. O desvio da bola na cabeça de João Marcos e a indecisão de Mota na descida da bola foram ações decisivas para a falha do goleiro. O que dizer?

    Está aí nova oportunidade para quem ainda não viu o lance. Pena que as imagens não mostram os três lances decisivos do ataque do Boa, quando Adilson atuou de forma espetacular, impedindo os gols que complicariam ainda mais a vida do Ceará. Não é defesa. É que vida de goleiro é isso aí. A diferença está entre fatalidade e falha individual.

    Aproveita e comemora o golaço de Itamar, embora tenha contado com uma ajuda da zagueirada do Boa, bastante comemorado pela torcida alvinegra.  

    terça-feira, 31 de julho de 2012

    Ceará repete o filme e só empata com o Boa Esporte


    Embora ao avesso, o Ceará repetiu o filme e só empatou, em 1 x 1, com o Boa Esporte/MG, no Estádio Presidente Vargas, pelo Brasileirão 2012. Os dois gols só saíram no 2º tempo. O Ceará fez primeiro, aos 11',  em jogada individual de Itamar (um golaço); o Boa empatou 23 minutos depois, na primeira participação de Jajá, que substituiu Marcelo Macedo. Falha geral lá atrás, levando Adilson a falhar também.

    No intervalo do jogo, a torcida já havia vaiado o time. Após o apito final, mais vaias e protestos por parte da torcida. O atacante Itamar (o melhor do time ao lado de Adilson e Daniel Marques) resumiu bem a situação quando disse: "Estamos perdendo pra nós mesmos". Eu tenho dito que falta qualidade e isento, em parte, o treinador PC Gusmão. O pecado dele é não melhorar quesitos como passe e articulação de jogadas.

    O fato do goleiro Adilson ter sofrido um gol bobo (frango para alguns) não faz com que eu tire dele a condição de um dos melhores jogadores em campo. No 1º tempo, salvou dois gols: aos 18', dividiu a bola com Francismar e tirou a bola dos pés do meia do Boa; aos 40', o mesmo Francismar cabeceou à queima roupa e Adilson tirou a bola com a mão direita.

    Antes de sofrer o gol de Jajá, Adilson defensou outra bola difícil em cobrança de falta feita por Radamés. O gol sofrido foi consequência de uma série de erros. A bola foi chutada quase do escanteio e passou por vários jogadores, tipo efeito dominó, e passou pelo goleiro. Ninguém entendeu direito. Para PC Gusmão, é uma questão de "maré de azar".

    O treinador do Boa, Sidney Moraes foi audacioso quando arriscou jogar com três atacantes, botou pressão no Ceará e ofereceu o contra-ataque. Aos 38' ainda teve o zagueiro Carciano expulso de campo. O Ceará, ao contrário, não tirou proveito. Três minutos antes do gol, PC Gusmão tirou o meia Thiaguinho (que entrou no lugar de Leandro Chaves, machucado) e colocou o volante Jardel. Não funcionou. E não entendi.

    O atacante Hugo (que entrou no lugar de Rogerinho) perdeu a oportunidade de desempatar o jogo, no minuto final, cabeceando para fora um bolão cruzado da direita por Itamar. Francamente, o Ceará deixou escapar uma vitória que poucos acreditavam que seria tão possível com a facilidade que vimos. Nem eu acreditava. O Ceará é que não foi competente para vencer.

    Ceará 1 x 1 Boa Esporte, no PV, com renda de R$ 70.572,00 e público pagante de 7.226 torcedores. O árbitro Emerson Luiz Sobral (PE) foi auxiliado por Márcio Dias e Lúcio Matos (PA), sem problemas no apito.         

    segunda-feira, 30 de julho de 2012

    Um golaço é como um bálsamo


    Em épocas tão escassas de golaços, ver e rever um gol como esse de Ibrahimovic, pelo Ajax da Holanda, é como um bálsamo. O cara "mandou ver" à la Pelé.  

    sábado, 28 de julho de 2012

    Paraná quebra invencibilidade do Ceará


    Uma falha de marcação e o Ceará perdeu o jogo para o Paraná Clube, por 1 x 0, na Vila Capanema, em Curitiba, quebrando a sequência de invencibilidade alvinegra (8 jogos = 4 vitórias e 4 empates) tão cantada em verso e prosa por alguns jogadores, antes da viagem. O lateral esquerdo Fernandinho recebeu a bola pela esquerda intermediária, aos 30 minutos, correu livre de marcação e chutou forte no ângulo. Adilson só olhou a bola balançar a rede.

    Logo começaram as manifestações de crítica ao goleiro alvinegro, que entrou no lugar de Fernando Henrique,  por causa das falhas do ex-titular. Não vou ficar discutindo falha de goleiro, como também fazia com FH, porque prefiro observar que vários jogadores ficaram olhando o avanço de Fernandinho sem oferecer combate, a começar pelo lateral direito Paulo Sérgio.

    O Ceará sofreu o gol quando já havia desperdiçado boas chances ofensivas. Em uma delas, Thiaguinho ficou de frente para o goleiro Luis Carlos e colocou a bola nas mãos dele. Foi um verdadeiro presente de aniversário (o goleiro faz aniversário nesse sábado). No geral, o passe do Ceará continua defeituoso, facilitando a retomada de bola pelo adversário e dificultando a finalização.

    No segundo tempo, o Paraná seguiu mais próximo de marcar mais um gol, que o Ceará de empatar. Somente Vicente cruzou duas boas bolas e Romário cabeceou fraquinho. Apodi entrou no lugar de Paulo Sérgio e melhorou a direita; Hugo entrou no lugar de Itamar e melhorou o toque de bola na frente, mas o gol não saiu por causa de muitos erros na finalização.

    Se fizermos comparação entre os dois goleiros, Adilson fez defesas arrojadas e difíceis enquanto Luis Carlos poderia ter começado a comemoração de aniversário em campo tal a tranquilidade que teve durante o jogo. Além dos passes errados e defeitos nas finalizações, o Ceará ainda sofreu com o desgaste físico de alguns jogadores, a exemplo de Thiaguinho, Leandro Chaves e Romário.

    Paraná 1 x 0 Ceará, gol de Fernandinho, na Vila Capanema, Curitiba/PR, com renda de R$ 112.845,00 e público pagante de 8.090 torcedores.  

    domingo, 22 de julho de 2012

    "Bicicleta" de Jailson dá vitória ao Fortaleza


    A ousadia do atacante Jailson na arte de fazer gols fez a diferença, esta tarde, no Estádio Presidente Vargas, quando o Fortaleza venceu o Salgueiro, por 2 x 1. Este vídeo mostra como Jailson faz gol ousado.

    O Salgueiro mandou no jogo nos 15 minutos iniciais, com as articulações de Clébson e Edmar. Jailson aproveitou um rebote do goleiro Luciano, aos 17 minutos, e quase abriu o placar. Daquele momento até o gol de Waldson, aos 45 minutos, o Salgueiro teve maior posse de bola, mas concluiu mal. Por isso, perdeu o 1º tempo, por 1 x 0.

    O Salgueiro ainda teve um polêmico gol anulado, aos 41 minutos, quando Marciano dominou a bola com a mão e ainda estava em posição de impedimento. O árbitro Pablo Gonçalves Pinheiro e o assistente Ubiratan Bruno Viana (RN) validaram o gol, mas o 4º árbitro, Wladyerisson Oliveira (CE), foi decisivo ao informar a irregularidade ao árbitro potiguar, que voltou atrás.

    Na volta do vestiário, o Salgueiro seguiu com melhores ações pelo meio-campo. Aos 13 minutos, Marciano aproveitou um cruzamento do lateral Peri e empatou: 1 x 1. Começou a sequência de mudanças. O Fortaleza teve Marielson (Gustavo Moura), Guto (Geraldo) e Assisinho (Doda). O efeito foi positivo. Aos 31, o zagueiro Luiz Eduardo tirou a bola em cima da linha.

    O gol da vitória saiu, aos 35 minutos, com um golaço de bicicleta, quando Jailson pegou bem o cruzamento de Rafinha. A entrou no ângulo direito de Luciano, sem chance de defesa. Valeu pela vitória, pelo belo gol, mas o time precisa melhor o senso de marcação, o trabalho da bola curta e a paciência.

    Fotaleza 2 x 1 Salgueiro, no Estádio Presidente Vargas, com renda de R$ 302.577,00, público pagante 14.833.