Siga-me no TWITTER

    follow me on Twitter

    sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

    Fortaleza contrata Rômulo, Lucas e Ciro



    Depois de anunciar contratações sem nenhum impacto junto à torcida, o Fortaleza anunciou mais três reforços de uma só vez: o zagueiro Ciro Sena, 29 anos, o volante Lucas, 27 anos, e o atacante Rômulo Antoneli, 29 anos. O zagueiro Ciro já havia sido anunciado, desde o último dia 13, pelo repórter Aloísio Lima (Rádio Globo Fortaleza), sendo confirmado agora como a última contratação do ano.

    Já publicamos um vídeo com alguns momentos interessantes do zagueiro Ciro Sena. Agora, publicamos bons momentos do atacante Rômulo, aquele mesmo que sofreu uma contusão grave, três anos atrás, quando jogava pelo Cruzeiro contra o Vitória.

    Vale a pena conferir.

    terça-feira, 27 de dezembro de 2011

    Qual é o orçamento do futebol cearense?

    Quanto nossos clubes têm no caixa?

    Depois de ouvir alguns números sobre previsão orçamentária de alguns clubes brasileiros para 2012, confesso que fiquei deprimido ao refletir sobre as situações de Ceará, Fortaleza e Ferroviário. Assim mesmo, nessa escala. O Ceará viu evaporar R$ 30 milhões com o rebaixamento para a 2ª Divisão do Brasileiro, o Fortaleza luta para quitar dívidas trabalhistas e montar um time que não volte a frustrar a torcida no desejo (e necessidade) de subir para 2ª Divisão e o Ferroviário vive uma das piores crises de sua história.

    Não coloquei nessa reflexão, o Tiradentes (também da capital) nem o Horizonte (da Região Metropolitana), que já estão habituados a trabalhar sem previsão orçamentária. O primeiro, conta com os oito mil sócios voluntários (militares da PM do Ceará), que colocam quase R$ 100 mil no caixa do clube. O segundo, conta com a criatividade do presidente Paulo Wagner, além de ajudas de empresas e do Município.

    Nos clubes do interior do Estado, a palavra ORÇAMENTO deve soar como um palavrão. O Icasa não aprendeu a se planejar e caiu para a 3ª Divisão. O Crateús subiu para a 1ª Divisão do Cearense 2012 sem estrutura melhor que os demais interioranos, mas promete novidades. É uma incógnita. O Guarany de Sobral funciona como "time dos Torquato" e, por isso, administra relativamente bem as finanças. Crato e Guarani de Juazeiro ainda têm que provar eficiência com uma vida longa sem rebaixamento.

    O SUSTO

    Vou citar apenas três exemplos de orçamentos para 2012.

    O Flamengo do Rio/RJ tem um orçamento de R$ 203 milhões, menor que a dívida de R$ 280 milhões. Somente a folha de pagamento do time vai consumir R$ 58 milhões. A presidente Patrícia Amorim disponibilizou R$ 18 milhões para contratações. Parece muito dinheiro, mas a grandeza do Flamengo e a competitividade exigem bem mais do administrador rubro-negro. A questão é saber se o orçamento será cumprido ou não. Pra começar, o Flamengo já está pensando em pegar dinheiro adiantado do contrato com a TV.

    O Vitória de Salvador/Bahia tem um orçamento de R$ 50 milhões, com a garantia de R$ 30 milhões do contrato com a TV, apesar de ter caído para a 2ª Divisão, por ter direitos garantidos no Clube dos 13. O Vitória ainda conta com negociações de jogadores da Base e restos a receber de transações feitas na temporada 2011. Se o time for bem em campo, a torcida pode comparecer ao Barradão com boa frequência, garantindo reforço no caixa.

    O Santa Cruz de Recife/PE está mergulhado numa dívida impagável (?) para alguns, estimada em mais de R$ 50 milhões. Por causa disso, está com as contas bloqueadas pela Justiça para recebimentos. Agora mesmo, o Internacional portoalegrense não paga R$ 850 mil da transferência do atacante Gilberto, alegando bloqueio judicial. O Santa se defende e diz ter feito um acordo com o Banco Central, mas está de "mãos atadas". A diretoria contratou o professor Marcos Soares para "obrar um milagre" financeiro.

    Qual comparação faria entre esses três exemplos e os três maiores clubes da capital cearense?

    O Ceará acreditou que não cairia até a última rodada do Brasileirão, mas caiu. Agora, corre para fazer um novo plano administrativo-financeiro com demissões, revisões salariais e ajustes de gastos. Tarefa complexa e traumática. Ainda não se sabe quais serão os reflexos fora e dentro de campo. E quanto será mesmo o orçamento do Ceará para 2012? Difícil ter uma resposta concreta.

    O Fortaleza não está refazendo as contas. Pelo menos isso. Conseguiu arrecadar dinheiro para pagar acordos trabalhistas na ordem de R$ 60 mil mensais até que volte a entrar dinheiro no caixa. Agora, aposta em montar um time na base da "garimpagem" do técnico Nedo Xavier, com jogadores desconhecidos e baratos. Se a aposta for correta, tudo bem; se der errada, as consequências podem ser terríveis.

    E o Ferroviário, que volta a jogar após sete meses parado! Depois de muitos desencontros, o deputado Wanderley Pedrosa foi eleito presidente do clube e encontrou 10 meses de salários atrasados, estrutura física sucateada, dívidas com fornecedores (até para a alimentação diária), falta de bolas para treinar e o material utilizado ainda é o mesmo do ano passado. O técnico Júlio Araújo está montando o time, mas a única vitória até agora foi o pagamento de três meses de salários.

    Paremos por aí.

    segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

    Ceará anuncia lateral Romano



    A diretoria do Ceará Sporting segue replanejando o clube para a temporada de 2012. Todos os setores estão passando por mudanças, inclusive, com dispensas de pessoal. As principais mudanças atingem o elenco de jogadores, departamento médico, setor de comunicação e até a segurança preventiva.

    Nessa segunda-feira (enquanto o elenco se reapresentava, o presidente interino, Robinson de Castro, apresentou o lateral direito Paulo Sérgio, 33 anos, e o volante Bruno, de 20 anos (trazido do Fluminense do Rio por indicação do goleiro Fernando Henrique).

    Já à noite, o repórter Danilo Queiroz (Rádio Globo Fortaleza) anunciou que o Ceará contratou o lateral esquerdo Romano Rodrigues, 24 anos, procedente do Avaí/SC. O vídeo apresenta bons momentos vividos pelo novo lateral do alvinegro.

    quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

    Meia Thiago Potiguar é do Fortaleza

    O presidente do Paysandu, Luis Osmar, confirmou ao repórter Aloísio Lima (Rádio Globo Fortaleza) que o meia Thiago Potiguar, 26 anos, está emprestado ao Fortaleza para a temporada 2012. Entre o jogador, Fortaleza e Paysandu está tudo certo. O dirigente admitiu uma dúvida: "Ainda não sei se vou colocar no contrato a proibição de Thiago Potiguar jogar contra o Paysandu", confessou.

    segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

    Substituto de Guto é goleador




    Na dúvida quanto a permanência do lateral esquerdo Guto para a temporada de 2012, a diretoria do Fortaleza  providenciou a contratação do lateral esquerdo Kauê, jogador de 28 anos, com passagens por equipes medianas do futebol nacional, uma passagem pelo Internacional portoalegrense e uma passagem pelo futebol turco.

    Kauê estava no Barueri/SP nessa temporada. Chega disposto a ser titular e repetir a temporada que o marcou com bom aproveitamento ofensivo, na Turquia, atuando pelo Konyaspor. Segundo o técnico Nedo Xavier, o Fortaleza está selecionando jogadores com o perfil de 3ª Divisão, isto é, jogadores que estejam dispostos a correr muito e superar as dificuldades da competição.
         

    terça-feira, 13 de dezembro de 2011

    Fortaleza em busca de Ciro Sena




    Jogadores do Fortaleza EC já iniciaram a preparação para o Cearense 2012, no estádio Alcides Santos, no Pici. O gerente de futebol, Jurandi Jr., passou o dia fazendo contatos com possíveis reforços, a partir de indicações do técnico Nedo Xavier. Uma das novas indicações é o zagueiro Ciro Sena, que já atuou com o quarto zagueiro Cléber Carioca e podem voltar a formar dupla no Leão.

    Conheça um pouco do novo zagueiro na mira do Fortaleza.

    Tire dúvidas entre Messi x Neymar



    Ainda resta alguma dúvida?

    quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

    Ramon do Boa a caminho do Pici




    O novo treinador do Fortaleza EC, Nedo Xavier, chegou indicando jogadores que atuaram com ele e avalizando aqueles que conhece de outras equipes. O nome da vez é Ramon Rodrigo, meia, 28 anos, que disputou a Segundona pelo Boa Esporte, equipe treinada por Nedo. Ramon chega para um setor que tem sido prova de fogo para vários jogadores experientes.

    Os bastidores do tricolor andaram agitados nesse início de semana após a eufórica "secada" pela queda do Ceará para a Segundona. É que circulou a informação dando conta da possibilidade da volta de Jurandi Jr. ao Fortaleza a convite do diretor de futebol, Jorge Mota, para gerenciar o clube.

    Uma parcela da torcida se manifestou de forma radical, pelas redes sociais, contra a volta de Jurandi Jr. ao tricolor. Não sei se as manifestações são as mesmas fora das redes sociais. Também não entendo porque tanta recusa. Por mais que culpem o Jurandi pelo insucesso do time na Série C de 2011, o trabalho foi coletivo e com aval da diretoria.

    domingo, 4 de dezembro de 2011

    Meus pêsames, Ceará!




    O Ceará estaria rebaixado para a Segundona ainda que vencesse o Bahia. Talvez, por isso, o pós-jogo do rebaixamento alvinegro foi seguido por declarações infelizes do zagueiro Thiago Mathias e do dirigente Robinson de Castro. Algo do tipo transferência de responsabilidade.

    O dirigente alvinegro deixou o estádio de Pituaçu dando mais atenção ao que aconteceu em Sete Lagoas/MG. Em nenhum momento, Robinson lamentou a derrota do Ceará para o Bahia, mas gastou boa parte do tempo na entrevista concedida ao repórter Danilo Queiroz, da Rádio Globo Fortaleza, para suspeitar da goleada aplicada pelo Cruzeiro sobre o Atlético-MG: 6 x 1.

    O zagueiro Thiago resolveu prestar uma declaração prometida há uma semana e não acrescentou nada que possa nos ajudar a entender (internamente) a queda do Ceará. Estilo "bocão", Thiago Mathias disse que o técnico Estevam Soares havia passado informações técnicas do Ceará a dirigentes do Fluminense, antes do jogo Ceará 1 x 2 Fluminense, no PV, pela 32ª rodada.

    Dando uma olhada na tabela, Estevam Soares havia sido demitido após a rodada anterior, quando o Ceará perdeu para o Atlético-PR, por 1 x 0, em Curitiba. Não sei qual o grau de denúncia que o zagueiro pretendia fazer. Não sei até onde o encontro de Estevam (se é que existiu) com dirigentes do Fluminense foi decisivo para a queda do Ceará.

    Robinson de Castro também não deu muita importância às declarações do zagueiro. Disse que iria apurar. Resta saber qual apuração será essa. O dirigente disse desconhecer algo nesse sentido e tem o treinador como amigo do clube.

    Sabe o que acontece nessa hora. Muita gente não assume a parcela de responsabilidade. Jogadores e dirigentes têm contas a prestar com a torcida, mas isso jamais vai acontecer. O time segue na Segundona, alguns jogadores serão dispensados, outros vão reformular salários e os mais caros vão embora. Nada mais que isso.

    Ano que vem, os mesmos erros, as mesmas emoções e sabe Deus o que acontecerá. Dessa vez, a luta se arrastou até a última rodada, mas é inevitável lamentar a queda. Meus pêsames aos que têm sentimento verdadeiro e derramam lágrimas pelo clube.

    Ceará quer repetir 1º turno




    Nem mesmo os mais apaixonados alvinegros esperavam que o Ceará goleasse o Bahia, por 3 x 0, no 1º turno do Brasileirão 2011. No jogo desse domingo, última rodada da competição, precisando vencer para escapar do rebaixamento, a torcida alvinegra não pensa em outro resultado que não seja a vitória.

    O Bahia também precisa da vitória de olho na Sul-Americana. As duas equipes ainda dependem de combinações de resultados.

    Mais do que nunca, uma decisão com selo Nordeste.

    quarta-feira, 30 de novembro de 2011

    Sebá é modelo para nossas bases




    O Fortaleza Esporte Clube deve contratar, por indicação do seu novo treinador, Nedo Xavier, o atacante Sebá, um jovem atacante de 19 anos. O que chama a atenção de qualquer observador é a experiência do jogador, apesar de ainda ter idade para divisão de base, por conta de estar sendo preparado desde os 9 anos de idade.

    O baiano Sebá chegou ao Cruzeiro em 2008, depois de ter feito 11 gols, no Baianão de 2007, pelo time da ABB/BA. Ele tinha apenas 15 anos, mas vinha de uma preparação que começou em 2001, no Esporte Clube Vitória. Antes da notável artilharia na ABB, Sebá ainda jogou no Esporte Clube Bahia, de 2004 a 2007.

    O atacante não ganhou destaque por acaso. Desde 2004 conquista títulos nas categorias de base, senão vejamos: Copa Tricolor sub-14 2004, Gothia Cup sub-16 2008, Copa Macaé sub-17 2009, Copa Integração sub-17 2009, Campeonato Mineiro Juvenil 2009 e Copa Integração sub-20 2010.

    São pequenos detalhes, para alguns, que fazem a grande diferença. Sebá fez carreira na base, onde teve tempo de aprender fundamentos e corrigir os eventuais defeitos. Claro, ainda não é o artilheiro que todo time grande procura, mas está bem à frente dos nossos garotos da base.

    O Sebá pode servir de modelo. Assim como não se monta um time em dias, não é possível formar um bom jogador em meses, sem disputar competições com graus diferentes de dificuldades e sem tempo para corrigir os defeitos naturais de todo aprendiz.

    Aqui, bem embaixo do nosso nariz, o trabalho feito por Fortaleza, Ceará e Ferroviário precisa apenas de planejamento mínimo, investimento em todos os setores da base e valorização daqueles jogadores que se destacam em campo com atenção à família e contratos diferenciados.

    Essa é outra fronteira imaginária que o futebol cearense precisa atravessar.

    domingo, 27 de novembro de 2011

    Ceará e Cruzeiro ainda pendurados




    Ceará 2 x 2 Cruzeiro, no estádio Presidente Vargas, foi um jogo cheio de dificuldades para as duas equipes, como era esperado pela crítica. A torcida do Ceará estava quase certa da vitória e sentiu uma ponta de frustração. A torcida do Cruzeiro respirou aliviada e segue para a última rodada com esperanças de sair do rebaixamento.

    A dupla chega à última rodada com chances. O Ceará precisará vencer o Bahia e torcer por derrota do Cruzeiro ou empate no clássico mineiro. O Cruzeiro permanecerá na Série A até com um empate ou derrota no clássico, desde que o Ceará perca para o Bahia, no estádio de Pituaçu.

    O Ceará perdeu, pelo 3º cartão, o goleiro Fernando Henrique, o zagueiro Daniel Marques, o lateral esquerdo Eusébio e o meia Thiago Humberto. O Bahia, por sua vez, perdeu, pelo mesmo motivo, os meias Fahel, Diones e Ricardinho.

    O Cruzeiro também vai fragilizado para o jogo contra o Atlético mineiro. Perdeu, pelo 3º cartão, o goleiro Fábio, o lateral direito Marquinhos Paraná e o meia Montillo. Ninguém pode reclamar, porque todos estão em desvantagem quanto às baixas sofridas.

    Viva a última rodada do Brasileirão.

    Ceará x Cruzeiro em jogo tira teima




    No primeiro turno do Brasileirão, 18ª rodada, o Cruzeiro venceu o Ceará, em Sete Lagoas/MG, por 1 x 0, gol de Montillo. De lá até aqui, muita coisa mudou na vida dos dois clubes. Os treinadores não são os mesmos e os times também sofreram várias mudanças.

    O jogo de hoje tem clima de decisão. Ninguém pode perder. Quem perder estará caminhando para a segundona ano que vem. Por isso tudo, será o jogo tira teima.

    Nesse momento, o Ceará tem vantagem. O time está com a autoestima elevada. O técnico Dimas Filgueiras conseguiu corrigir algumas dificuldades táticas da equipe, principalmente pelo meio campo. A entrada de Juca deu ganho de qualidade à equipe.

    sexta-feira, 25 de novembro de 2011

    Meia Marinelson na mira do Fortaleza




    O volante e meia Marielson, de 26 anos, está na mira do Fortaleza Esporte Clube para temporada 2012.

    Como os dirigentes do Fortaleza não conseguem guardar segredo, a informação terminou vazando, embora o jogador ainda esteja atuando pelo ASA de Arapiraca/AL. Quem o acompanha avaliza a contratação. Quem não o acompanha, mas checa seus vídeos passa a acreditar no aval.

    Sem dinheiro e com inúmeros problemas financeiros para administrar, o Fortaleza não terá outra saída melhor que garimpar jogadores pelo Nordeste do país e pelo interior do Estado. Não resta dúvida que o resultado pode ser melhor que as "importações do sul maravilha", como alguns gostam de chamar.

    É bom lembrar que alguns jogadores da temporada passada podem continuar no Pici uma vez que não tiveram contratos rescindidos. Outros, mesmo com os contratos encerrados, não receberam o que tinham direito e a permanência será uma alternativa para evitar a famigerada reclamação trabalhista.

    O goleiro Lopes, por sinal, está de volta. Aguardem o retorno de outros.

    Mais um pouco de Marinelson

    quinta-feira, 24 de novembro de 2011

    Alerta aos goleiros nas finais do Brasileirão 2011

    O Brasileirão 2011 está chegando ao final com rodadas decisivas. Portanto, nunca é demais fazer um alertar aos goleiros. Chegou a hora de jogar feio e garantir o placar a favor das equipes em que jogam.

    quarta-feira, 16 de novembro de 2011

    Ceará perde de novo e fica à beira do abismo

    Ramirez precisou de 6 minutos para ganhar o jogo

    A torcida do Ceará viu, esta noite, no estádio Presidente Vargas, o mesmo filme de outras derrotas sofridas nesse Brasileirão. O alvinegro jogou melhor no 1º tempo, mas não foi eficiente, não fez o gol. O Corinthians melhorou no 2º tempo com a queda de rendimento físico do Ceará e ganhou o jogo. Ramirez entrou no lugar de Danilo, aos 30 minutos, e fez o gol da vitória seis minutos depois.

    A derrota do Ceará combinada com a vitória do Atlético paranaense sobre o São Paulo, por 1 x 0, e o empate do Cruzeiro com o Avaí, em 0 x 0, aumentou a distância entre o alvinegro e a permanência na Série A do Brasileirão. Também aumentou a necessidade do Ceará vencer o Grêmio no jogo de sábado, no estádio Olímpico, em Porto Alegre/RS.

    A 35ª rodada será fechada com o Atlético/PR na 17ª posição (37 pontos), Ceará na 18ª posição (35 pontos), América/MG na 19ª posição (34 pontos) e Avaí na 20ª posição (30 pontos). O Cruzeiro está imediatamente acima dos quatro últimos colocados da competição, na 16ª colocação, com 38 pontos, e será o penúltimo adversário do Ceará, no PV. Será um confronto direto que o Ceará não poderá perder.

    O jogo foi favorável ao Ceará, mas o Corinthians foi eficiente.

    No 1º tempo, o Ceará criou três boas oportunidades e desperdiçou todas: João Marcos, aos 7'; Felipe Azevedo, aos 20; bom momento com a bola aérea, aos 32', ficando apenas com o escanteio. O Corinthians só teve um bom momento, aos 23', quando o goleiro Fernando Henrique defendeu uma bola dividida com William. O Coringão não andou; o Vovô foi ineficiente.

    No 2º tempo, a partida ficou equilibrada. Aos poucos, o Corinthians foi aumentando o volume de jogo. O goleiro Fernando Henrique viu uma bola se chocar no poste direito dele, aos 23', e salvou o Ceará ao evitar o gol de Fábio Santos, aos 25'. Três minutos depois, Osvaldo esteve bem perto do gol em dois momentos: primeiro, o goleiro Júlio César defendeu a bola; depois Osvaldo chutou para fora.

    A bola castiga mesmo. O treinador Tite colocou  Ramirez no lugar de Danilo, quando o Ceará voltava a crescer. O goleiro Júlio César chegou a tirar uma bola quase em cima da linha do gol. Seis minutos depois da substituição, saiu o gol da vitória corinthiana. Ramirez fez o que Osvaldo não soube fazer no 1º tempo. Passou pelo zagueiro Fabrício e tirou a bola do goleiro Fernando Henrique: 1 x 0 Corinthians.

    O torcedor alvinegro mais otimista vai seguir fazendo contas até onde der. Matematicamente, não dá para afirmar que tudo está acabado para o alvinegro. O complicador é que o time não mostra eficiência e ainda passou a necessitar de tropeços dos concorrentes diretos. O torcedor menos otimista enrolou a bandeira e vai contar com ajuda da esperança.      

    segunda-feira, 14 de novembro de 2011

    Robério Lessa no Fórum Esportivo




    O jornalista Robério Lessa esteve no programa Fórum Esportivo, às 20h das segundas-feiras, na Rádio Globo Fortaleza, 620 Khz, para falar de automobilismo cearense e internacional. Lessa é parceiro no nosso blog com o site http://www.carrosecorridas.com.br.

    Em 1 hora de programa, Robério Lessa conversou comigo e com Renato Abreu sobre as aspectos do automobilismo. Ouçam o papo.

    domingo, 13 de novembro de 2011

    Nicácio perde pênalti e deixa Ceará na mão



    Na luta para não cair, o Ceará perde uma batalha importante, em casa, para o time reserva do Santos. 

    A torcida compareceu ao estádio Presidente Vargas acreditando que o time do Ceará iria tirar proveito da situação, mas quando a bola rolou o Santos não teve comportamento de time reserva. Perdeu o primeiro tempo no detalhe, por 2 x 1, mas fez dois gols e não levou nenhum no 2º tempo. O atacante Marcelo Nicácio perdeu um pênalti, aos 27 minutos, e, no contra-ataque, Diogo fez o gol da vitória santista: 3 x 2.

    O Ceará errou muitos passes no 1º tempo, ainda assim fez dois gols, tirando a vantagem construída pelo Santos com o gol de Bruno Aguiar, aos 9 minutos. Osvaldo sofreu o pênalti convertido por Felipe Azevedo, aos 25 minutos, e fez o gol do desempate, aos 35 minutos. 

    Com a vantagem no placar, eu esperava um Ceará mais acertado na volta do vestiário. Não foi assim. O Santos sabia se defender e saia rápido ao ataque. O gol do empate santista saiu de uma cobrança de falta, aos 6 minutos, quando Bruno Aguiar acertou uma "bomba" no ângulo de Fernando Henrique.

    O jogo seguia equilibrado até que Osvaldo sofreu outro pênalti. Marcelo Nicácio tinha acabado de entrar no lugar de Boiadeiro e pediu para cobrar. Foi um erro? O técnico Dimas Filgueiras e o capitão Fabrício acham que não houve erro. A verdade é que Nicácio "telegrafou" e Aranha defendeu a cobrança. 

    Foi incrível. Aranha reiniciou o jogo e o atacante Diogo recebeu a bola perto da linha lateral da grande área do Ceará, pelo lado esquerdo da defesa, e chutou dali mesmo. "Pegou na veia", no ângulo, sem chance para Fernando Henrique. "Desabou um iceberg" sobre o time do Ceará. A torcida ficou muda e o time tonto.

    No vestiário, o clima era de desesperança, embora o discurso fosse positivo. Ceará não dependia de ninguém até aqui. O problema é que não tem feito a parte dele quando é possível. Venceu o Avaí, precisará vencer o Cruzeiro e já teria dado um passo largo se tivesse vencido o Santos.

    A partir de agora, o Ceará começa a depender dos outros. E não é fácil depender dos outros para ganhar a salvação.      

    domingo, 6 de novembro de 2011

    Ceará surpreende e sai da zona

    Goleiro Fernando Henrique comemora boa atuação

    O goleiro Fernando Henrique tem todo o direito de vibrar porque foi decisivo na vitória do Ceará, por 2 x 1, sobre o Avaí, na Ressacada/SC, nessa 33ª rodada do Brasileirão. O Avaí pressionou bastante e só não atrapalhou a vida do alvinegro porque FH operou "milagres" no finalzinho do jogo. Com a vitória, o Ceará saiu da zona de rebaixamento e respira aliviado.

    De novo, o Ceará também contou com ajuda externa. A goleada do Flamengo (5 x 1) empurrou o Cruzeiro para a 17ª posição - cabeça da zona. Agora, cabe ao alvinegro tirar pontos dos próximos adversários (Santos,  Corinthians, Grêmio e Bahia) e vencer o Cruzeiro, adversário direto na briga para sair da degola. Eu diria que o Ceará fez metade do "serviço".

    Se o Ceará desse jogo voltou a cometer pecados na ligação entre o meio campo e o ataque, teve bom aproveitamento nas finalizações. Os dois gols foram originados em falhas da zaga do Avaí, mas em outros jogos não houve a mesma eficiência. Dessa vez, Thiago Humberto e Felipe Azevedo foram precisos.

    No primeiro tempo, aos 15', Felipe Azevedo foi rápido no contra-ataque e Thiago Humberto foi preciso na finalização da jogada. Depois do gol, o Avaí exerceu forte pressão porque a bola não ficava no campo de ataque do Ceará. A bola ia e voltava constantemente. Esse é um problema grave que sufoca os jogadores de marcação.

    No segundo tempo, o Avaí começou pressionando. Kaíque entrou para organizar o meio e conseguiu. O goleiro Fernando Henrique fez defesa espetacular, aos 4', em bola chutada por Kaíque. O Ceará chegou ao 2º gol, aos 12', quando Felipe Azevedo aproveitou trapalhada dos zagueiros do Avaí.

    William diminuiu, aos 15', com um gol de cabeça, após cruzamento de Kaíque. Dessa vez, a defesa do Ceará foi que fez trapalhada sem que o goleiro FH pudesse fazer nada. Daí em diante, só deu Avaí. Dimas promoveu três alterações e o panorama do jogo não mudou. Foi aí que FH cresceu embaixo das traves.

    Depois do jogo, o técnico Dimas Filgueiras disse que Osvaldo só entrou no jogo porque Felipe Azevedo se machucou. A resposta dele teve endereço, isto é, aqueles que o criticaram pela decisão de colocar o atacante no banco de reservas.

    O Avaí perdeu com Felipe, Daniel (Kaíque), Gian, Caçapa e Fernandinho; Bruno Silva, Pedro Ken (Marcos Paulo), Robinho e Lincoln; Cleverson e William. O Ceará ganhou com Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Daniel Marques e Vicente (Edmilson); João Marcos, Eusébio, Juca e Thiago Humberto (Leandro Chaves); Felipe Azevedo (Osvaldo) e Washington.

    Ufa! A torcida alvinegra vê uma luz no fim do túnel.   

    sexta-feira, 4 de novembro de 2011

    Sem gol, Osvaldo para no banco

    Dimas manda atacante Osvaldo para o banco e gera polêmica 

    Aonde quer que eu chegue, o torcedor do Ceará só faz uma pergunta: - O Ceará cai?

    Imagina o que acontece com o técnico Dimas Filgueiras em suas andanças pela cidade. Diferente de mim, Dimas não tem apenas que responder aos torcedores. Dimas tem o dever de buscar alternativas para evitar que o alvinegro caia para a 2ª Divisão do Brasileirão 2012.

    Como não pode mais contratar reforços, a saída mais imediata é mexer no time, trocando esquema tático ou trocando jogadores. É exatamente isso que Dimas tem procurado fazer, desde que assumiu a equipe, na rodada passada, antes do jogo contra o Fluminense. E o primeiro resultado não foi positivo.

    Lembram-se que Dimas não contava com o lateral Boiadeiro, com os volantes Michel e João Marcos? Além das três mexidas forçadas, o técnico alvinegro ainda processou três mudanças no time: Edmilson entrou na zaga, Thiago Humberto no meio campo e Felipe Azevedo no ataque. Na prática, nenhuma melhora técnica.

    Para o jogo de domingo, contra o Avaí/SC, na Ressacada, Dimas perdeu o volante Heleno (suspenso) e segue sem o volante Michel (no Departamento Médico). Em busca de melhor qualidade técnica no time, Dimas retornou Daniel Marques à zaga, promoveu a estreia do volante Juca e trocou Osvaldo por Felipe Azevedo.

    Com Daniel Marques ao lado de Fabrício, Dimas espera ter uma zaga mais equilibrada. Com Edmilson, a zaga ficou "mamãe", leve, fácil de ser penetrada. Com Juca, o time deve compensar as ausências de Michel e Heleno com mais força na marcação. Com Felipe Azevedo, Dimas busca o gol tão necessitado.

    Claro que Osvaldo não gostou da notícia. Boa parte da imprensa e da torcida alvinegra anda contestando a decisão do técnico. Eu, não. Os números mostram que Osvaldo não marca há 16 rodadas. Nesse período, o Ceará marcou 16 gols, insuficiente para mantê-lo fora da zona do rebaixamento. E Osvaldo afundou junto.

    Se vai dar certo ou não, só o jogo dirá. O Ceará ainda tem duas cartadas decisivas para fugir do rebaixamento: vencer o Avaí e o Cruzeiro por serem concorrentes diretos. Depois, tirar pontos do Santos, Corinthians, Grêmio, Cruzeiro e Bahia. Dimas vive o dilema da falta de qualidade no grupo.

    Osvaldo marcou três gols no Brasileirão 2011: 3ª rodada, Ceará 2 x 2 Botafogo; 8ª rodada, Ceará 3 x 0 Atlético/MG; 16ª rodada, Corinthians 2 x 2 Ceará. Pelo critério artilharia, Marcelo Nicácio poderia estar reclamando a titularidade. Se é que não reclama à "boca pequena".

    Se Dimas Filgueiras não voltar atrás, o Ceará enfrentará o Avaí com Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Daniel Marques e Vicente; João Marcos, Juca, Eusébio e Thiago Humberto; Felipe Azevedo e Washington. Ainda viajaram Diego, Thiago Matias, Edmilson, Erivélton, Leandro Chaves, Paulinho, Marcelo Nicácio e Osvaldo. Um deles será cortado no vestiário.  

    sábado, 29 de outubro de 2011

    Nem São Dimas segura o Ceará




    Convido o torcedor do Ceará Sporting, que não teve a oportunidade de ver o jogo Ceará 1 x 2 Fluminense, a dar uma olhada com atenção nesse compacto para não sofrer pela ansiedade.

    Antes, durante e depois do jogo, o torcedor não faz outra pergunta: "O Ceará vai cair, ainda tem jeito?". Eu respondo, sempre: "Se vencer, escapa, mas o time não esboça capacidade de reação (...)". Evito ir mais longe, porque não tenho capacidade de adivinhar.

    O óbvio que digo é reforçado, na maioria das vezes, pelos resultados da rodada. Nessa rodada, por exemplo, o Santos goleou o Atlético-PR, por 4 x 1, e o Botafogo ganhou o Cruzeiro, por 1 x o. Somente o Ceará não fez a parte dele. Só falta a rodada do domingo ser favorável ao Ceará também.

    Como posso eu ficar fixado na ideia que a presença "milagrosa" de Dimas Filgueiras vai resolver tudo? A "estrela" de Dimas não conta com um time lúcido, capaz, inteligente, qualificado... O gol de Felipe Azevedo saiu aos 7 minutos, fruto de um erro do zagueiro Márcio Rosário. A zaga do Flu deu mais dois gols e o Ceará não aproveitou. Faltou qualidade.

    Do outro lado, Deco não ia bem, o time andava nervoso e desencontrado. Quando Fred fez o papel de Deco, colocou Rafael Sóbis entre os zagueiros alvinegros. E no que deu? Gol de empate: 1 x 1. Eis a diferença estabelecida entre os dois times.

    No 2º tempo, o que se viu foi Fred meter bola no poste esquerdo de Fernando Henrique, perder boas jogadas de ataque e forçar o goleiro alvinegro a praticar defesa do tipo "pagou ingresso". O Deco também. Enquanto isso, contamos um chute perigoso (raspando o gol) de Eusébio, de fora da área, substituições e mais nada.

    Em relação aos jogos anteriores, o que mudou?

    Mudou a disposição, é verdade. Mas o "milagre" foi só esse? Quem não corria para Mancini e Estevam correu para Dimas! Definitivamente, para não cair, o Ceará precisará produzir mais. O meio campo continuou com a mesma dificuldade de criação e aproximação ao ataque. A bola vai e volta seguidamente.

    Jogando assim, tipo ping-pong, não há defesa que se sustente. O goleiro é o destaque do time quase sempre, mas não será imbatível sempre. Assim foi o jogo desse sábado, como tem sido há algum tempo. Quando o técnico resolve mexer na equipe, nada acontece. Então, está claro que o problema é carência de qualidade técnica no elenco (titulares e reservas).

    Não respondo mais a esta pergunta: "O Ceará vai cair?". O time terá de responder em campo com vitórias, mesmo que tenha de contar com o presença "milagrosa" de Dimas Filgueiras. Caso contrário...

    quinta-feira, 27 de outubro de 2011

    Adeus, Luiz Mendes "Minha Gente"!




    Cada familiar que nos deixa para a eternidade, dói muito.

    Cada amigo que nos deixa, dói também.

    Mesmo quando não é amigo nem familiar, dói do mesmo jeito.

    Quando não é familiar, não é amigo, mas está ligado a nós por algum motivo, não deixa de doer.

    A separação para sempre, dói em todos nós.

    Por isso, o Brasil está sentindo a dor da morte do comentarista esportivo, Luiz Mendes, ocorrida nesta quinta-feira, aos 87 anos de idade, em consequência de complicações decorrentes de uma leucemia linfocítica crônica. Deus foi generoso e não permitiu que Mendes passasse mais que nove dias internado no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital São Lucas, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

    Tudo foi longo na vida de Luiz Mendes. O casamento durou 64 anos com a radialista e atriz Daisy Lúcidi, com quem teve um filho. Foi fundador da Rádio Globo, em 1944. Saiu brevemente e voltou para ficar até o último minuto da sua vida. Nos últimos meses já não saia de casa, mas participava da programação esportiva da emissora por linha telefônica.

    Das 19 Copas do Mundo, participou de 16 como narrador e comentarista esportivo. Só não esteve nas Copas de 1930, 1934 e 1938 porque ainda era menino. Em 1950, nem imaginava que estava imortalizando a própria voz quando narrou o gol de Gigghia, no Maracanã, que deu o título aos uruguaios na fatídica Copa brasileira. É o único registro de voz (embargada) que resta daquele dramático momento.

    Luiz Mendes vai para a eternidade e deixa uma história de dedicação e profissionalismo. O maior exemplo para os cronistas foi torcer para o Grêmio e Botafogo, mas nunca ter utilizado a crônica para exaltar os clubes preferidos. Exemplo de Mestre, que não impediu a lembrança dos clubes queridos.

    Adeus, "Minha Gente"!

    sexta-feira, 21 de outubro de 2011

    Engoliram a Lei Geral da Copa 2014

    Joseph Blatter tem o poder paralelo

    A Lei Geral da Copa, um catatau de normas que regulam o funcionamento do Mundial 2014, descansa nas gavetas da Câmara dos Deputados, em Brasília, por um simples motivo: o político brasileiro pensa e repensa antes de tomar qualquer atitude quando percebe que não receberá palmas e tapinhas nas costas.

    Fosse uma atitude simpática aos brasileiros, a LGC já teria sido assinada, assim como aconteceu com o caderno de intenções, quando o Brasil pretendia ter aqui a Copa do Mundo da Fifa. Agora, não adianta dizer que ninguém sabia das regras impostas pela entidade patrocinadora da competição.

    Como é próprio do brasileiro, somente depois que assina o caderno de intenções, garantindo a realização da competição por aqui, as autoridades ficam embaraçadas para admitir publicamente que tinham conhecimento das regras. Se não tinham conhecimento, ficam embaraçadas de novo para admitirem que foram negligentes.

    As regras da Fifa são claras e ficam mais rigorosas a cada Mundial, afinal, a entidade persegue a qualidade, a organização e a consolidação de "melhor evento esportivo do planeta". A Fifa não anda de porta em porta pedindo licença para realizar a competição. Ao contrário, sobram concorrentes.

    Nas últimas horas, recebi xingamentos, provocações, cobranças e outros impropérios como se fosse eu o responsável pela vinda da Fifa ao Brasil com o Mundial 2014. Não tenho de responder nada. Perguntem aos governantes.

    Minha postura não é de defesa, nem de ataque. Sou expectador privilegiado. Entendo que as peculiaridades legais e os direitos do consumidor devem ser respeitados, mas o Poder não é meu, nem está comigo. Cabe a quem tem o Poder jurídico e político negociar os pontos que deveriam ter sido negociados antes da assinatura do contrato.

    O que pega mal é ouvirmos da Fifa que a Rússia, anfitriã da Copa 2018, já assinou a Lei Geral da Copa de lá, enquanto nós outros de cá não sabemos o que dizer ao povo sobre o que deixamos de fazer (defender os interesses do país no tempo certo) e ficamos protelando um compromisso legal por populismo.

    Aliás, na Alemanha, em 2006, e na África do Sul, em 2010, a Fifa negociou pontos da LGC. Cada país precisa discutir suas peculiaridades e as discute sem traumas. A diferença é que há cuidados com os compromissos e o estrelismo não toma o lugar da razão.

    O que posso pedir é que os governantes brasileiros deixem de chorar como coitados, digam ao povo o que realmente eles assinaram lá atrás, conversem com a Fifa e assumam o que tiverem de assumir. Em alguns casos, como meias entradas, o caminho será a negociação de valores e aplicar subsídios. Por que não assumem isso logo?

    Nem a Fifa quer mandar no Brasil, nem a presidente Dilma tem que ser mais realista que a rainha nesse episódio da Lei Geral da Copa. As regras são conhecidas e o Brasil já concordou com elas. Agora, é hora de ter habilidade para negociar. É apenas mais um ôba-ôba com o jeito brasileiro de fazer média nacional.             

    quarta-feira, 19 de outubro de 2011

    Chilenos dão 'banho' no Flamengo




    A verdade é que o time do Flamengo é sofrível.

    A goleada aplicada pelo time da Universidad do Chile, por 4 x 0, no Engenhão, demonstra o quanto o Flamengo precisa melhorar para não continuar passando a falsa impressão ao torcedor rubro-negro menos atento. O time dá para o gasto doméstico e só.

    O gol de Lorenzetti, fechando a goleada, foi uma aula de contra-ataque. Oportunismo, velocidade, frieza, precisão e competência na finalização. O placar poderia ter sido maior e a humilhação bem pior.

    Preferi postar os gols dessa goleada de 7 x 0, aplicada pelo Flamengo, em 1999, pela Copa Mercosul, para consolar a torcida rubro-negra. Melhor rever Caio, Romário, Marco Antonio e Rodrigo Mendes. O Flamengo até já perdeu para os chilenos, mas nunca com essa indiferença dos jogadores.

    Gostaria de ouvir explicações de Wanderley Luxemburgo sobre alguns jogadores nos quais ele aposta todas as fichas. O volante Airton, limitado e porradeiro, é um deles. Prefiro Ronaldo Angelim, apesar da idade. A experiência e a qualidade do magro superam a limitação técnica deles.

    sábado, 15 de outubro de 2011

    Ceará perde e reclama do apito



    Esse jogo não foi igual àquele que passou.

    O Ceará perdeu para o Flamengo, por 1 x 0, gol de Deivid, aos 41' do 1º tempo, e saiu de campo com outros prejuízos nessa 30ª rodada do Brasileirão. O volante Heleno foi expulso, aos 6' do 2º tempo, juntamente com Ronaldinho Gaúcho, depois que os dois trocaram cotoveladas em lance lateral ao campo. O atacante Osvaldo foi derrubado dentro da área, no finalzinho do jogo, reclamou a marcação do pênalti, mas recebeu cartão amarelo. Osvaldo insistiu na reclamação e recebeu o 2º cartão amarelo e, consequentemente, o cartão vermelho.

    Antes do início do jogo, já no estádio Presidente Vargas, o meia Rudnei não gostou de ter sido cortado da relação dos 20 concentrados e deixou o vestiário reclamando em voz alta e foi para casa. O dirigente Robinson de Castro não gostou do comportamento de Rudnei, mas admitiu que uma conversa com mais calma pode esclarecer a atitude do jogador. Apesar disso, o dirigente deixou claro que vai cobrar mais comprometimento do grupo.

    O árbitro André Luiz Castro exagerou nas expulsões de Heleno e Ronaldinho Gaúcho. Não havia motivos para cartão vermelho direto. O jogo perdeu a qualidade após as expulsões. O Flamengo saiu mais prejudicado, porque perdeu a articulação de Ronaldinho. O Ceará passou a pressionar mais, contudo seguiu errando na finalização das jogadas e o gol do empate não saiu.

    O técnico Wanderley Luxemburgo colocou Negueba e Diego Maurício na tentativa de puxar contra-ataques, ainda assim o Ceará seguiu com maior volume de ataque. As alterações do técnico Estevam Soares também não surtiram o efeito desejado. As entradas de Felipe Azevedo, Washington e Enrico também pouco acrescentaram na criação e na qualidade das jogadas de ataque.

    Enfim, o Ceará terá uma semana para administrar os problemas internos, se é que existem, uma vez que a diretoria os nega. O certo é que pelo menos Marcelo Nicácio e Rudnei terão de passar por conversas de pé de ouvido para que Estevam Soares receba ou não o sinal verde para aproveitá-los nos próximos jogos. O próximo compromisso será domingo, em Coritiba/PR, contra o Atlético.

    Ah! O meia Leandro Chaves recebeu o 3º cartão amarelo e está fora do time para o próximo jogo.

    Lembram-se da Copa do Brasil 2011?



    O Ceará enfrenta o Flamengo esta tarde/noite, no Estádio Presidente Vargas, pela 30ª rodada do Brasileirão, precisando vencer para fugir da zona de rebaixamento. O Flamengo precisa vencer para se aproximar do G-4.

    Será um jogo com características de decisão. Quando o jogo ganha esse clima, o time alvinegro costuma pregar peça nos adversários, como aconteceu nesse jogo da Copa do Brasil 2011. É o que todos esperam nessa jornada.

    quarta-feira, 12 de outubro de 2011

    Vovô dá presente 'gordo' ao Coelho


    No Dia das Crianças, o Coelho não poderia ter recebido presente melhor.

    Como franco atirador, o lanterna América/MG explorou os contra-ataques e venceu o Ceará Sporting, em Sete Lagoas/MG, por 4 x 1, na 29ª rodada do Brasileirão 2011. Acredite! O Ceará começou o jogo com um futebol displicente e desarticulado, foi surpreendido aos 25' do 1º tempo, com um gol de pênalti, e não conseguiu se encontrar mais em campo.

    Eu nunca acreditei que seria fácil vencer o América só porque o time mineiro está na lanterna. Sempre disse que esse seria o tipo do jogo perigoso. Foi sempre assim. O América vem trabalhando em busca da reabilitação e o dia D foi contra o alvinegro cearense.

    Um veterano técnico mineiro, chamado João Francisco, dava palpites sobre o placar do jogo logo que a bola rolava. E quando jogo começou, o Ceará não deu a impressão que faria uma boa partida. O time parecia disperso, desarticulado e não tinha motivos para isso, afinal, estava completo. João não erraria esse palpite.

    Aos 25 minutos, Leandro Chaves cometeu pênalti. Fábio Júnior cobrou e converteu, dando início ao pesadelo alvinegro. O primeiro tempo terminou sem uma tomada de atitude da equipe de Estevam Soares. Mesmo sem um futebol brilhante, o América seguiu jogando melhor.

    O panorama não mudou na segunda etapa. Estevam tentou melhorar a estrutura tática da equipe com alterações previsíveis e nada conseguiu. Rudnei deu lugar a Felipe Azevedo, Leandro Chaves deu lugar a Thiago Humberto e Róger deu lugar a Washington. Para cada alteração, um gol do adversário.

    Foram quatro gols nos últimos 25 minutos do jogo. Aos 20', Rodriguinho chutou de longe e fez o gol que começou a afundar, emocionalmente, o Ceará. O lateral Gilson entrou na área quase livre para fazer o 3º gol, aos 34'. Felipe Azevedo diminuiu para 3 x 1, aos 38', mas o time não reagiu como precisava.

    E quando todos esperavam um pouco mais de alma no time alvinegro, o América ganhou mais fôlego e fechou a goleada com o 4º gol, aos 45'. Os jogadores alvinegros não encontraram explicações para a goleada, mas os jogadores mineiros festejaram a vitória com o alívio de quem está reagindo na fuga do rebaixamento.

    O técnico Estevam Soares também não encontrou explicações para a derrota, mas o que mais intrigou foi a maneira como o time foi goleado. Estevam teve até o cuidado de explicar que o time chegou em Sete Lagoas/MG com antecedência para ninguém reclamar de cansaço. O que foi, então?             

    domingo, 9 de outubro de 2011

    Ceará 1 x 1 Figueirense. Replay

    Árbitro Wilton Pereira Sampaio andou exagerando no rigor 

    Ceará 1 x 1 Figueirense, pela 28ª rodada do Brasileirão, foi um filme repetido da rodada passada, em Sete Lagoas/MG, quando o árbitro alagoano Francisco Carlos do Nascimento comprometeu o bom andamento do jogo Atlético/MG 1 x 1 Ceará. Como sempre acontece, coincidência ou não, o time visitante terminou saindo com o prejuízo pelos equívocos do árbitro Wilton Pereira Sampaio/DF. O Ceará, por sua vez, não tirou proveito da vantagem numérica no 2º tempo.

    Logo, é bom lembrar que as decisões do árbitro candango não influenciaram, diretamente, no placar, mas deixaram o Ceará com dois jogadores a mais nos 20 minutos finais do jogo. Aos 19' do 2º tempo, o meia Maicon, que já havia recebido cartão amarelo, retardou o reinício do jogo e foi advertido com cartão e a expulsão em seguida. Aos 25', o lateral direito Bruno simulou falta dentro da área e foi punido com o 2º amarelo e a expulsão em seguida.

    A sequência de cartões também deixou o Ceará sem o zagueiro Fabrício para o próximo jogo fora de casa, contra o América/MG, pelo 3º amarelo da série. O jogo ficou prejudicado, a partir das expulsões, porque o árbitro começou a cometer equívocos, parando o jogo seguidamente e, assim, travando o ritmo das jogadas de ataque 

    - Como o árbitro pecou? Alguém perguntaria.

    O árbitro pecou no exagerado rigor das avaliações na aplicação dos cartões amarelos. Quando percebeu que estava estragando o jogo começou a usar de artifícios que todo árbitro (infelizmente) usa quando teme que pode influenciar no resultado, isto é, começa a parar o jogo. 

    Valeu pelo primeiro tempo. O Ceará foi melhor, criou inúmeras oportunidades de gol e Thiago Humberto foi quem mais desperdiçou chances de marcar. O Figueirense ficou atrás, jogando nos contra-ataques, e surpreendeu com uma jogada rápida do lateral esquerdo Juninho, aos 43'. O atacante Washington empatou três minutos depois, com um gol de cabeça, após cruzamento do lateral Vicente.

    Sobre o 2º tempo, o jogo seguia com ligeira vantagem do Ceará em ações ofensivas até que a sequência de expulsões estragou tudo. O Figueirense somou seis jogos sem perder fora de casa. O Ceará desperdiçou a oportunidade de subir na tabela e continua próximo da zona de rebaixamento, na 15ª posição, com 32 pontos ganhos.

    Apesar de ter jogado sem quatro titulares, o presidente do Ceará, Evandro Leitão, reconheceu que faltou competência ao time alvinegro para vencer o Figueirense e ficar mais próximo da classificação para a próxima temporada. E foi isso mesmo. Nem o desentrosamento prejudicou o alvinegro mais que a falta de pontaria nas jogadas de ataque.

    Depois do jogo, a polícia fez o registro de uma tentativa de morte contra o torcedor da Cearamor, Marcos Vinícius Cavalcante Costa, 35 anos, morador do Conjunto Ceará. Segundo os primeiros relatos, o ataque foi feito a tiros de revólver, nas proximidades do estádio PV, por dois homens que ocupavam uma moto. Marcos Vinícius chegou ao Pronto Socorro do IJF em estado grave e seguiu direto para a sala de cirurgia. Caso sob investigação policial.   

    sexta-feira, 7 de outubro de 2011

    Calendário 2012 premia as mulheres

    Ednaldo Rodrigues defende o fim da Série D

    O calendário do futebol para 2012 acaba de ser publicado pela Confederação Brasileira de Futebol sem maiores novidades que possam revolucionar o primeiro esporte nacional. A edição feminina da Copa do Brasil, de 3 de março a 12 de maio, aparece como a única atração realmente nova da próxima temporada. A CBF cumpre a promessa de investir no futebol feminino, mas as federações ainda estão na contramão.

    Os campeonatos estaduais vão começar mais tarde, de 22 de janeiro a 13 de maio, permitindo uma pré-temporada mais tranquila àquelas equipes que disputam o Brasileirão da Série A, que será disputado de 20 de maio a 2 de dezembro. A Copa do Brasil será disputada entre 7 de março e 25 de julho. As mulheres seguem ganhando espaço também no futebol, mas deveriam jogar nas preliminares como atrativo.

    As Séries C e D também cresceram, com disputas a partir de 27 de maio. A Série C termina em 7 de outubro e a Série D termina em 30 de setembro. A Série B será disputada entre 19 de maio e 24 de novembro. A CBF atende solicitação dos clubes quando aumenta o tempo de disputa da Terceirona, diminuindo um hiato que existia entre os estaduais e a competição. Agora, resta melhorar a competição na estrutura econômica.

    Mais uma vez, a CBF fica indiferente ao Campeonato do Nordeste que surgiu como real opção para movimentar as equipes da região em datas alternativas. O presidente da Federação Baiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, incentivador da competição, defende o fim da Série D por ser deficitária e até já sugeriu o preenchimento dessas datas com o Campeonato do Nordeste, mas a CBF faz ouvido de mercador.

    Até hoje não entendo porque os clubes abriram mão do processo indenizatório que moviam contra a CBF já que a entidade jamais deu demonstração de apoio ao Campeonato do Nordeste. O acordo deve ter sido bom para alguns, nunca para todos. Algo precisa ser feito para revitalizar agremiações de Belém, do Amazonas, da Paraíba, do Piauí, de Sergipe, de Maranhão no eixo Norte e Nordeste do país.

    Irrita saber que nas próximas eleições da CBF, o presidente Ricardo Teixeira voltará a defender os interesses dele, sem qualquer preocupação com os clubes ou com as regiões em desvantagem, e ainda assim terá forças para dirigir a votação. Por extensão, irrita saber que os clubes seguem os presidentes da federações, mesmo os que estão em estado de penúria, sem qualquer sinal de melhora.       

    quarta-feira, 5 de outubro de 2011

    Trailer Oficial Bahêa Minha Vida



    Uma homenagem aos tricolores da Boa Terra. Somente quem já esteve na arquibancada de um grande estádio de futebol em dia de clássico; somente quem já esteve lá dentro de campo, embalado por milhares de alucinados na arquibancada; somente quem já narrou essas emoções podem dimensionar os "exageros" que saem da boca de cada uma dessas pessoas.

    No fundo não há "exageros", há paixão mesmo!

    domingo, 2 de outubro de 2011

    Chicão complica, Fernando Henrique salva o Ceará

    Fernando Henrique jogou pelos dois alvinegros expulsos 

    Aconteceu o que já era previsto na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas/MG, no jogo Atlético-MG 1 x 1 Ceará, pela 27ª rodada do Brasileirão 2011. O árbitro alagoano Francisco Carlos Nascimento complicou uma arbitragem que teria sido tranquila com um árbitro de melhor qualidade e quase influenciou diretamente no resultado final. O Ceará teve dois jogadores expulsos em campo e um no banco de reservas, mas até os mineiros reclamaram do árbitro.

    Já comentamos essa situação aqui. A Comissão Nacional de Arbitragem paga para ver e, segundo minha saudosa mãe, Dona Nissinha, "quem espera pra ver, vê demais, e não gosta". Lamentável é que a Conaf segue indiferente com tantas lambanças de árbitros ainda despreparados para apitar jogos mais complexos. Os equívocos desencadearam as expulsões de Michel, João Marcos e Róger.

    Não vou utilizar os equívocos do árbitro para recorrer ao surrado jargão: "juiz ladrão!". Não é o caso. Prefiro afirmar que o árbitro não melhorou, tomando como base vários jogos que já assisti com o alagoano no apito. Ele inverte as faltas, exagera na dose de rigor, vê falta onde não há e termina criando um clima tenso entre os jogadores das duas equipes. Foi o que aconteceu nesse jogo nervoso por natureza.

    O Atlético abriu o placar, aos 13', com um gol do lateral direito Carlos César, em lance de indecisão da defesa do Ceará. Aliás, espelhando a pressão atleticana, Carlos César foi o melhor atacante deles, mesmo como defensor. O goleiro Fernando Henrique defendeu o pênalti cobrado pelo artilheiro Magno Alves, aos 34', e deu gás ao time. O jogo ficou mais truncado, veio o gol de empate de Leandro Chaves e a expulsão de Michel, aos 46' do jogo.

    Os dois times voltaram nervosos para o 2º tempo por motivos óbvios. O Ceará com um jogador a menos tentaou segurar o empate e o Atlético aumentou a pressão. Aos 7', Chicão aplicou cartão amarelo em João Marcos e, segundo ele, o expulsou por xingamentos. O jogo ficou parado por quase cinco minutos e a "pilha" aumentou.

    Com dois jogadores a menos, pressão total do Atlético, equívocos do árbitro, ocorreu uma sequência de episódios que prejudicaram a arbitragem. O Ceará já havia sido punido com um cartão amarelo que tirou o volante Rudnei do próximo jogo, contra o Figueirense, por ter acumulado o terceiro cartão da série. No finalzinho, o atacante Róger (substituído) foi expulso no banco de reservas, segundo o árbitro, por ter desrespeitado um dos assistentes.

    Jogadores mineiros e o técnico Cuca também reclamaram do árbitro Francisco Carlos Nascimento. Aliás, o técnico Estevam Soares deu um abraço de solidariedade no técnico Cuca, mostrando a insatisfação dos dois. O jogo terminou assim, com insatisfação geral. O que ficou de bom foi a exibição espetacular do goleiro Fernando Henrique, que fez inúmeras defesas e garantiu o empate. 

    É inevitável destacar que o pobre futebol do Atlético justifica a 17ª posição, dentro da zona de rebaixamento, tendo perdido mais uma posição na rodada. O time mineiro jogou 35 minutos com dois jogadores a mais e não conseguiu furar o bloqueio alvinegro. O Ceará segue na 15ª posição. São as duas faces da medalha.

    sexta-feira, 30 de setembro de 2011

    Sobra torcida, falta bola no Nordeste




    O blog "Pombo sem asa", escrito pelo jornalista Bernardo Pombo, no site globo.com, apresenta uma estatística com 100 clubes das quatro séries do Campeonato Brasileiro 2011. Sete clubes do Nordeste e um do Norte do país estão entre os 25 melhores colocados no ranking.

    O melhor posicionado é o Santa Cruz/PE com a média de 33.450 pagantes por jogo, somando 167.250 torcedores em cinco jogos da Série D, números que o Santa arrasta desde a temporada passada, quando aumentou a pressão pelo retorno à Série C.

    O Esporte Clube Bahia é o quarto colocado com média de 21.060 torcedores por jogo, somando 273.785 pagantes em 13 jogos na Série A. O Sport do Recife é sexto colocado com média de 17.698 pagantes por jogo, somando 230.074 torcedores em 13 jogos na Série B.

    Na 15ª colocação está o Ceará Sporting com 11.201 pagantes por jogo, somando 145.612 torcedores em 13 jogos na Série A. O Náutico é outro pernambucano ocupando a 21ª posição com 9.704 pagantes por jogo, somando 116.444 torcedores em 12 jogos na Série B.

    O Esporte Clube Vitória é o segundo baiano, ocupando a 22ª posição com média de 9.501 pagantes por jogo, somando 114.012 torcedores em 12 jogos na Série B. O Fortaleza Esporte Clube é o 25º colocado com média de 8.503 pagantes por jogo, somando 34.013 torcedores em quatro jogos na Série C.

    Alguns números causaram espanto na mídia do Sul e Sudeste, que insiste em fazer "vistas grossas" para o potencial de público das regiões mais pobres do país. O Paysandu/PA, por exemplo, se arrasta na Série C, mesmo assim ostenta a 17ª posição no ranking, acima do Vasco da Gama/RJ, líder do campeonato.

    Lamentável que o cenário favorável, quando o assunto é potencial de torcida, não seja aproveitado com administrações capazes de garantir finanças saudáveis e, consequentemente, equipes competitivas no gramado. Temos o Remo/PA, outra força na arquibancada, fora das quatro divisões nacionais.

    Estados como Manaus, Maranhão, Piauí, Paraíba e Sergipe, cujo povo é apaixonado pelo futebol, estão fora do cenário nacional por força da desordem administrativa que campeia no futebol do Norte e Nordeste e pela forma discriminatória como essa banda do Brasil sempre foi tratada pela CBF.

    quarta-feira, 28 de setembro de 2011

    Fortaleza ganha no tapetão, mas tem recurso

    Carlinhos Bala foi o "vilão" da história

    Um primeiro tempo que durou mais de 5 horas, na Segunda Comissão Disciplinar do STJD, terminou com goleada do Fortaleza sobre o Campinense/PB e mais uma vez o meia Carlinhos Bala foi o centro das atenções. Diferente do campo de jogo, agora, Bala foi penalizado com suspensão de seis jogos e multa de R$ 10 mil reais, enquanto o Fortaleza foi multado em R$ 25 mil e absolvido da acusação de ter combinado resultado com o CRB/AL dentro de campo, o que equivale a permanecer na Série C.

    O Fortaleza foi multado em R$ 20 mil pelo atraso de jogo no 2º tempo e em R$ 5 mil pelo arremesso de uma garrafa no gramado. O CRB também foi multado em R$ 20 mil pelo atraso de jogo. Carlinhos Bala foi multado em R$ 10 mil reais e suspenso por seis jogos por ter faltado com o fair play. Quanto aos jogadores do CRB, Paulo Rodrigues pegou um jogo de suspensão, Cristiano pegou dois e Maisena foi absolvido.

    Não vi novidade alguma. Já previa esse encaminhamento, embora não tivesse externado meu pensamento para evitar certos comentários tendenciosos. O Campinense não apresentou novidades contundentes. O vídeo que circulou na web tem falhas de edição e textos com deliberada intenção de macular o resultado daquele jogo Fortaleza 4 x 0 CRB/AL, realizado no Estádio Presidente Vargas, sob a tensão da ameaça de rebaixamento.

    O advogado Osvaldo Sestário trabalhou para livrar o CRB da acusação indireta, o que enfraqueceu a tese do Campinense, cujo advogado Carlos Portinho terminou enfrentando um "batalhão" de advogados. Contra ele, ainda trabalharam Paulo Rubens pelo Fortaleza, Marcelo Desidério e Jorge Mota pela Federação Cearense de Futebol e Alessandro Carracena pelo árbitro Gutemberg de Paula Fonseca, que terminou absolvido, apesar de ter cometido falhas na súmula.

    Os auditores não acompanharam a iniciativa do procurador William Figueiredo, para quem "os artigos indicados nos permitem até anular essa partida para que esse campeonato não fique manchado", sentenciou.  Os auditores entenderam até que houve pressão de alguns jogadores do Fortaleza em determinados momentos, mas nunca combinação de resultados dentro de campo.

    O árbitro Gutemberg de Paula Fonseca também foi absolvido. A única penalidade que poderia ter sofrido seria relacionada a falhas na súmula do jogo. O árbitro não relatou, por exemplo, que jogadores do Fortaleza foram até as proximidades do banco de reservas do CRB para pressionar o atacante Aloísio. Quanto aos xingamentos dentro de campo, ele considerou fato corriqueiro. De fato, não há novidade.

    Carlinhos Bala confessou que xingou jogadores do CRB e, por isso, foi severamente punido. Ninguém mais confessou delito algum e, por isso, ninguém mais foi punido. As multas estavam previstas. Os jogadores do CRB foram punidos pelas expulsões, com exceção do lateral Maisena que apenas disse: "Deixa eu fazer", já explicado por ele mesmo que se oferecera para cobrar o tiro de meta, mas o momento não era aquele do vídeo.

    É quase certo que o Campinense vai recorrer da decisão no pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Se isso ocorrer, o Fortaleza terá de jogar o 2º tempo desse embate. Por outro lado, é certo que o Fortaleza vai tentar reverter a condenação de Carlinhos Bala com outra alternativa de punição. Mais certo ainda é que o Fortaleza deixou o Tribunal com a sensação de que o pesadelo não acabou. 

    O Fortaleza ainda será julgado em outro processo que envolve o Flamengo/RJ. O time carioca reclama da arrecadação apresentada (cerca de 17 mil pagantes), em jogo pela Copa do Brasil 2011, no Estádio Presidente Vargas. Segundo denúncia, teriam sido vendidos mais de 25 mil ingressos na véspera do jogo de um total de 50 mil ingressos colocados nos pontos de venda.

    Haja fôlego para o 2º tempo!

    domingo, 25 de setembro de 2011

    Róger faz a diferença na vitória do Ceará

    Róger fez um golaço de bicicleta

    O Ceará Sporting conquista o primeiro resultado positivo sob o comando do técnico Estevam Soares, depois de um jogo difícil, contra o Coritiba/PR, no Estádio Presidente Vargas, em que o atacante Róger fez a diferença com dois gols (o primeiro de bicicleta) e o zagueiro Edmilson cobrou uma falta com maestria. O Coxa vendeu caro a derrota por 3 x 2 e lutou pelo empate até o minuto final.

    Ao cessar uma sequência de seis jogos sem vencer, o Ceará dá uma respirada, sobe para a 14ª posição e fica um pouco mais distante da zona de rebaixamento, com 30 pontos ganhos. Uma derrota ainda não deixaria o alvinegro na zona, mas permaneceria bem próximo dela, com apenas dois pontos de diferença do Atlético/MG, seu próximo adversário.

    O jogo teve uma marcha de placar empolgante porque os dois times buscaram o caminho do gol o tempo inteiro. Enquanto o Coritiba pressiona a tabela em busca das primeiras posições, o Ceará entrou em campo com a pressão psicológica da necessidade de reabilitação. O técnico Estevam Soares arriscou tudo quando promoveu quatro mudanças na equipe sem ter tido tempo para treinar.

    João Marcos foi mantido na lateral direita, Edmilson entrou na zaga, Eusébio substituiu Heleno (suspenso), Leandro Chaves substituiu Thiago Humberto de última hora e Róger entrou no ataque. Foram mudanças surpreendentes, mas cada uma delas não ficou sem explicações do técnico Estevam Soares.

    A estreia de Leandro Chaves foi a única que fugiu à opção técnica. Somente depois do jogo é que veio a explicação que Thiago Humberto sentiu uma contusão após o treino apronto. Estevam arriscou e Leandro não decepcionou na estreia inesperada. Com boa qualidade no passe e bem articulado, Leandro fez o lançamento do golaço de Róger e contribuiu bem com a vitória.

    Edmilson cumpriu a função dele sem comprometer e ainda fez um golaço de falta. Róger fez um golaço de bicicleta (o primeiro do jogo), fez o gol da vitória e se movimentou bem durante o jogo, tirando as dúvidas do torcedor sobre a qualidade do futebol que motivou sua contratação.

    No geral, o time do Ceará jogou buscando equilíbrio nos três setores. Não houve preocupação exagerada com o defensivismo, embora o Coritiba tenha o melhor ataque da competição, com 44 gols. Por isso, o placar foi frenético. Róger abriu o placar aos 9', Bill empatou aos 20', Edmilson desempatou aos 40' e o Ceará fechou o 1º tempo com 2 x 1.

    No início do 2º tempo, o atacante Bill empatou de novo em lance de desatenção do time alvinegro. Róger desempatou aos 23', mas em nenhum momento o Ceará ficou sossegado com a vitória. Dessa vez, as alterações de Estevam Soares deram certo e mantiveram o equilibrio da equipe.

    O Ceará jogou com Fernando Henrique, João Marcos, Fabrício, Edmilson e Vicente; Michel, Eusébio (Boiadeiro), Rudnei (Marcelo Nicácio) e Leandro Chaves (Egídio); Osvaldo e Róger. O árbitro carioca, Marcelo de Lima Henrique, auxiliado por Rodrigo Pereira Jóia (RJ) e Márcio Correia Dias (PA), está entre os melhores que apitaram por aqui nessa temporada.         

    sábado, 24 de setembro de 2011

    Mais um capítulo do caso Fortaleza x CRB/AL



    O Superior Tribunal de Justiça Desportiva julga na terça-feira a polêmica em torno do jogo Fortaleza 4 x 0 CRB/AL, pela Série C, acatando denúncia oferecida pelo Campinense/PB. O tricolor do Pici é acusado de ter combinado o resultado com o time alagoano.

    Um festival de vídeos aparece na web apontando para todas as direções. Neste vídeo, o produtor faz uma defesa do Fortaleza com boa sustentação de fatos. Soube, inclusive, que o Departamento Jurídico do tricolor recorreu ao material para fortalecer a defesa que será apresentada naquela côrte.

    Até que termine o julgamento mais aguardado do ano, continuemos a apreciar a criatividade da turma que manipula bem a tecnologia da informática.

    quinta-feira, 22 de setembro de 2011

    Palmeiras vence Ceará com gol contra e ajuda do apito

    Zagueiro Thiago Mathias fez gol contra

    O Ceará Sporting enfrentou um Palmeiras rápido e "porradeiro" e ainda teve contra si a falta de atitude do árbitro carioca, Wagner Magalhães, principalmente no primeiro tempo, segurando o cartão. O resultado foi uma bola cruzada na área por Márcio Araújo, Luan escorou e o zagueiro Thiago Mathias cortou contra a própria meta. Com um gol contra, aos 43 minutos, o Palmeiras se manteve à frente do placar até o fim do jogo.

    Não adiante reclamar e não foi somente a falta de cartões para punir as jogadas desleais do Verdão que determinaram a derrota do Ceará, mas é preciso reforçar que as fracas atuações disciplinares dos árbitros novatos estão prejudicando algumas equipes, principalmente as tidas como menores.

    Na dividida nem é preciso dizer quem leva vantagem. Marcos Assunção merecia ter recebido o 2º cartão amarelo, no 1º tempo, e Wagner Magalhães foi omisso. No finalzinho do 2º tempo, a bola foi cortada duas vezes com o braço dentro da área do Palmeiras e o árbitro mandou seguir o jogo. A imprensa paulista também viu pênalti a favor do Verdão. Não adianta ficar reclamando. Vamos ao jogo.

    É verdade que a força e a velocidade do Palmeiras devem ser levadas em conta. É o que sobra. Futebol de qualidade não existiu em campo. No 2º tempo, o Ceará melhorou a posse de bola, jogou mais no campo adversário, mas pecou muito nas finalizações. Essa diferença básica no comportamento das equipes ajuda a explicar porque o goleiro Deola pouco jogou enquanto Fernando Henrique foi o melhor do Ceará.

    No 2º tempo, a Palmeiras administrou mais que transpirou. O Ceará jogou melhor articulado com as entradas de Eusébio, Thiago Humberto e Marcelo Nicácio. Luis Felipe Scolari mudou mais por questões táticas para preservar o resultado. Afinal, ao Palmeiras interessava vencer independente de placar.

    O Ceará volta para casa sem Heleno (3º cartão amarelo). Terá o retorno de Osvaldo para o jogo de domingo, às 18h, no Estádio Presidente Vargas, contra o Coritiba. Apesar da derrota, o alvinegro segue fora da zona de rebaixamento, mas está bem próximo dela (16ª posição, com 27 pontos) e assim será até o final da competição caso não volte a vencer seguidamente.       

    Ceará contrata zagueiro e volante. Cadê o meia?



    Conheça um pouco do novo zagueiro do Ceará Sporting, Daniel Marques, 28 anos, um paulista de Jaú, que estava atuando no Grêmio Barueri. Fica claro que foi indicação do técnico Estevam Soares. Trata-se de um zagueiro vigoroso.

    O Ceará também contratou o volante Juca, 31 anos, gaúcho de Passo Fundo, que estava sem contrato. Atuou no espanhol La Coruña, na temporada passada, depois de ter jogado em clubes brasileiros como Internacional, Criciúma e Botafogo para não citar todos.

    Ah! Juca é sobrinho de Paulo Cézar Carpegiani e filho de Roberto, ex-Internacional.

    A diretoria ainda havia dito que contrataria um meia, de preferência que jogasse pela direita, correspondendo à carência da equipe. Mesmo com atraso, o Ceará correu por fora do mercado inflacionado, fez algumas contratações, mas não reforçou o time como era esperado.

    Até o final da tarde, dessa quinta-feira, podem surgir novidades, além do aniversário do volante Eusébio. 

    terça-feira, 20 de setembro de 2011

    Carlinhos Bala esclarece polêmica




    O jornalista Marcelo Bloc, do jornal Diário do Nordeste, conversou com o meia-atacante Carlinhos Bala, do Fortaleza, na tentativa de esclarecer a polêmica gerada com a goleada de 4 x 0, aplicada sobre o CRB/AL, na última rodada da fase de classificação da Série C. Pivô das polêmicas, o meia tem dado explicações à mídia nacional.

    Bala é acusado de ter combinado o resultado do jogo com alguns jogadores adversários. O jogador admite que disse "só falta um", mas estava fazendo um desabafo e reforçando o desejo do Fortaleza, que era golear o CRB para evitar qualquer chance de rebaixamento.

    Outros jogos, cujos resultados favoreceram a equipes que precisavam golear ou a equipes que precisavam apenas empatar, também geraram polêmicas, mas nunca nessas proporções. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva aguarda as denúncias, que não chegam de nenhuma equipe entre as que estão protestando.

    domingo, 18 de setembro de 2011

    Lágrimas, suor e dúvidas no Ceará e no Fortaleza




    A rivalidade é isso aí.

    Já aconteceu de tudo depois da tarde desse sábado, quando o Fortaleza conseguiu fugir do rebaixamento para a Série D do Brasileirão e o Ceará Sporting foi goleado pelo São Paulo. Ninguém tem dúvidas quanto aos quatro gols sofridos pelo alvinegro, mas a vitória tricolor...

    Quanto ao placar (4 x 0), coincidentemente, confortou a torcida do Fortaleza e decepcionou a torcida do Ceará. Não se fala nisso. Mas no jogo em si, a torcida do Ceará não para de fazer críticas, levantando suspeitas sobre a vantagem no saldo de gols, construída pelo Fortaleza nos minutos finais da partida .

    Além do vídeo acima, com o propósito de fazer insinuações (de armação) contra o Fortaleza, recebi ligações telefônicas insinuando que a torcida do Ceará (fingindo ser do CRB/AL) teria ido ao Estádio Presidente Vargas para desestabilizar o Fortaleza.

    Mais que isso. A torcida teria sido paga para fazer o serviço. Fato é que nem um lado nem outro prova nada. Tudo não passa de insinuações. A torcida do Ceará, ressaqueada com a goleada sofrida, cutuca a torcida rival, que revida com velhas táticas de acusar sem provar.

    A verdade é que a torcida do Fortaleza não para de comemorar a permanência na Série C, como se fosse a conquista de um título, o pentacampeonato, por exemplo. É exagero, sim. Mas cada um comemora o que conquista e o Fortaleza não foi além disso nessa temporada.

    A torcida do Ceará está, digamos, desconfiada com o futuro. A derrota para o São Paulo poderia ter sido encarada como normal se não fosse a goleada. O Palmeiras será o próximo adversário e não será nada fácil. Os mais críticos estão divididos entre culpar a diretoria ou o técnico Estevam Soares.

    Prefiro não levar em consideração tudo isso. Continuo afirmando que os dirigentes são os primeiros responsáveis por tudo que acontece. Depois, a responsabilidade é dividida entre comissão técnica e jogadores. O calvário do Fortaleza cessou na Série C. O Ceará segue na disputa da Série A.

    Os dirigentes tricolores ganharam mais tempo para refletir. Os dirigentes alvinegros não dispõem do mesmo tempo, mas todos precisam refletir rapidamente sobre o futuro de suas gestões enquanto é tempo. No futebol não dá para contar com a sorte o tempo inteiro.

    sábado, 17 de setembro de 2011

    Um vídeo para filosofar




    Aproveitando o fim de semana para fazer reflexões sobre as derrotas e as vitórias. Alguns reclamam, outros festejam. Nunca estarão todos satisfeitos. Alguém vai estar, sempre, em desvantagem mesmo que lute bastante pela vitória.

    No futebol é bem assim: uma torcida sorri, a outra chora. No fundo, ninguém quer sofrer, mas nem todos serão vencedores. O consolo é saber que o vencedor de hoje pode ser o perdedor de amanhã.

    Mais que isso, é importante saber que as derrotas farão parte das histórias do passado em breve. As vitórias vão permanecer latentes em nossas vidas. Usemos, pois, as vitórias acumuladas para "descontar" o saldo negativo das derrotas.

    Vitórias e derrotas existem e são inevitáveis.

    Melhor, então, aprendermos a dosar as emoções. Melhor entendermos que os derrotados precisam ser consolados para que nos consolem quando forem vencedores. É verdade que alguns vencem mais que perdem; outros perdem mais que vencem. E daí?

    Por tudo isso, a vida fica melhor quando aprendemos a ponderar, a escutar, a refletir e a filosofar.