Siga-me no TWITTER

    follow me on Twitter

    terça-feira, 29 de dezembro de 2009

    Tinha de ser o carrasco da Copa de 1950? // O uruguaio Alcides Edgardo Ghiggia, aos 83 anos, é a centésima estrela do futebol a colocar os pés na Calçada da Fama do Maracanã/RJ. // Depois de 59 anos, Ghiggia viveu uma emoção que nunca imaginou, a exemplo daquele dia em que fez um País inteiro chorar, no mesmo Maracanã, quando marcou o 2º gol dos uruguaios e conquistou a Copa do Mundo na casa do anfitrião. // Por mais que ele fale, se desculpe, relembre o lance, inocente o goleiro Barbosa, reafirme sua missão patriótica, a torcida brasileira não esquece aquele dia fúnebre. // Agora, Ghiggia está eternizado onde plantou o marco zero do futebol brasileiro. // Até agora, somente pés bem-vindos haviam pisado aquela Calçada, como o chileno Figueroa, o paraguaio Romerito, o português Eusébio, o alemão Beckenbauer e o sérvio Petkovic - único ainda em atividade. // Francamente, que destino desse Ghiggia! Bem que poderia ter sido diferente.

    segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

    SÉRGIO ALVES E O DILEMA DA PARADA

    Tem momento mais difícil na vida que o tal "saber a hora de parar", até mesmo quando não se faz algo prazeroso, mas necessário? Imagina quando o que se faz é prazeroso, como a relação de Sérgio Alves com o futebol, em mais de 20 anos de profissão. "Parar de atuar" é o grande dilema da maioria dos atletas. Felizmente, o dilema de Sérgio Alves era "parar de jogar" em plena forma, apesar dos 39 anos de idade.

    Para muitos dirigentes, cronistas e torcedores, o "Carrasco" ainda atuaria bem no campeonato estadual de 2010. Ele também deve ter pensado assim, por alguns instantes, enquanto conflitava as ideias. Essa sensação de "ainda poder" é que leva muitos jogadores ao desgaste. Romário é o exemplo mais recente que temos.

    A razão do cidadão Sérgio Alves de Lima falou mais alto e acertadamente. Abandonou o jogador antes de ser abandonado por ele. Há duas temporadas, quando deixou o Ceará Sporting, Sérgio Alves viu seu prestígio diminuir. Primeiro, jogou no Ferroviário (oscilando a titularidade); depois, jogou no Guarany de Sobral/CE, pela 2ª divisão, onde reconquistou a credibilidade de artilheiro.

    Ao voltar ao time do Ceará, Sérgio Alves não conseguiu manter a titularidade como nos bons tempos, mas fez gols importantes, ajudou na campanha de acesso à 1ª divisão do Brasileiro e recuperou o prestígio. Nas homenagens, prestadas pela Assembleia Legislativa e pela Câmara de Vereadores, foi lembrado com símbolo alvinegro. Não poderia esperar por momento melhor.

    Não deve ter sido fácil tomar a decisão. Mas seria inevitável. Se não parasse, agora, correria o risco de ser parado já-já. A idade é implacável e não suporta maquiagem. Fica uma rica história, espalhada por clubes como Sport Recife, Central/PE, Salgueiro/PE, Santa Cruz/PE, Bahia, Sion/Suíça, Joinvile/SC, Fluminense/RJ, Ponte Preta/SP, Guarani/SP, CRB/AL, Potiguar de Mossoró/RN, ABC/RN, onde também foi ídolo, entre outros clubes.

    O pernambucano Sérgio Alves inicia a função de auxiliar-técnico pela porta da frente, sem pedir favor e sem receber a lamentável "ajudinha" - comum a muitos ex-jogadores. São poucos os que encerram a carreira com a consciência do dever cumprido e a vida resolvida. O exemplo mais recente que temos é Cleisson, atual auxiliar-técnico do Fortaleza.

    Brilhantes craques não souberam se preparar para o fim da carreira. Passaram momentos de dificuldades, perderam a família, perderam tudo que ganharam e precisaram da lamentável "ajudinha". O meia Zé Eduardo, craque da década de 1970, quando parou de jogar ficou desencontrado, não sabia o que fazer. Felizmente, deu a volta por cima. Sérgio Alves escreve uma história diferente - exemplo para quem ainda está em atividade.

    quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

    'TROQUEM' OS PRESENTES!

    Estou saindo por aí com o meu saco de presentes

    Espero encontrar muita gente feliz

    Sei que vou encontrar muita gente triste, cansada, desconsolada...

    Não gostaria que fosse assim

    É a vida!

    Se saíssemos com o saco da felicidade todos os dias

    Certamente, um dia, não conseguiríamos esvaziá-lo

    Certamente, todos estariam menos tristes, desolados, carentes...

    O problema é que guardamos o tal saco (de Papai Noel) o ano inteiro

    Acumulamos presentes e desejos

    Outros, acumulam desespero, desesperança, sofrimento...

    No final do ano, as contas não batem

    Por mais rico que seja o saco

    Por maior que seja nossa turma

    Milhares de corações continuarão vazios.

    terça-feira, 22 de dezembro de 2009

    ÁFRICA DÁ LIÇÃO NA COPA 2010

    Não posso negar que tenho feito comentários (no blog, no twitter, na rádio, no botequim...) a favor da realização da Copa 2014, no Brasil. Da mesma maneira, não devo esconder uma certa preocupação com a facilidade brasileira das más intenções. Minhas orelhas esquentaram ao ler esse texto, escrito pelo repórter Jorge Luiz Rodrigues, de O Globo, logo que retornou da África do Sul, ainda este mês.
    -
    Jorge Luiz cita, especificamente, o estádio Maracanã (Rio de Janeiro), mas é possível imaginarmos o estádio Presidente Vargas (Fortaleza), estádio da Fonte Nova (Salvador), estádio Morumbi (São Paulo), estádio Vivaldão (Manaus), estádio Mané Garrincha (Brasília), entre outros. Leiam:
    -
    "…acabo de voltar da África do Sul, onde, em sete dias, visitei cinco estádios novinhos em folha da Copa-2010. Após essa experiência, não temo escrever que não temos no Brasil um só projeto decente de estádio para 2014.
    -
    Além de atrasado e de não ter consistência, o novo projeto de reforma do Maracanã encarece o custo (por baixo, R$ 500 milhões) por causa de uma constatação básica: qualquer remodelação de um estádio com 60 anos de uso precisará recorrer a artifícios para atender às exigências da FIFA.
    -
    E, sabe-se, artifícios geram custos, encarecem obras e nem sempre atendem os objetivos. Ninguém reparou, mas há outro fato grave no projeto… O entorno do Maracanã, exceto pelo estacionamento na Quinta da Boa Vista, não tem plano algum. Planos de transporte, de escoamento, de acesso.
    -
    Também porque, em vez de construir alternativas para o Parque Aquático Júlio de Lamare e o Estádio de atletismo Célio de Barros, prefere-se mantê-los ali, sem chance de transformá-los em pistas e piscinas de primeiro mundo noutro lugar.
    -
    Em Durban, Porto Elizabeth, Nelspruit, Polokwane e no Soccer City de Johanesburgo, onde estive, houve estouro de orçamentos, atrasos, custo mais alto, mas fizeram-se novos estádios, modernos, sem vícios e a custo às vezes menor (exceto Soccer City e Durban) do que o apresentado para reformar o Maracanã. Vale a pena reformar ou construir um novo?
    -
    Já foram R$ 200 milhões para o Pan, serão R$ 500 milhões para 2014, quantos mais para a Rio-2016? O Brasil ridicularizou a África do Sul. Falou-se que os africanos não conseguiriam fazer o Mundial. Está correto que há graves problemas de transporte e de hospedagem por lá. Mas não de estádios.
    -
    Mas, por aqui, há dois anos, desde a confirmação do Brasil como sede do Mundial-2014, o que vemos são muitos seminários e blablablá. Muita conversa fiada, sem conteúdo. Muita falação, pouca e quase nenhuma ação.
    -
    Nenhum projeto está atrasado. Mas em 1º de março, quando começará o prazo para o início das obras nas 12 cidades, veremos que nada terá começado. Até no Maracanã. Lá no fim, virá a conta. E os R$ 500 milhões ultrapassarão facilmente o R$ 1 bilhão. Mais do que o Soccer City e o Moses Mabhida de Durban novinhos em folha.
    -
    O Patrimônio Histórico faria um enorme favor se permitisse a demolição do Maracanã, em nome de um estádio mais moderno, capaz de atrair investidores, capazes de explorá-lo. Mas já se perderam dois anos e dois meses. Agora, a corrida é contra o tempo. Certamente o Maracanã-2014 não só terá deixado de ser o maior do mundo como também não será o melhor."

    domingo, 20 de dezembro de 2009

    CEARÁ VAI DE PROF. RENÊ SIMÕES

    O professor Renê Simões será apresentado, na tarde dessa segunda-feira (21/12/2009), como técnico do Ceará para a temporada 2010. // Renê Simões é um estudioso e já transitou por vários caminhos do futebol, inclusive o feminino (Medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de 2004), com sete títulos internacionais e seis títulos no Brasil. // Em 2005 foi campeão baiano pelo Vitória; em 2007 foi campeão brasileiro da Segundona pelo Coritiba. // Treinou as seleções da Jamaica e Costa Rica. // O último desafio foi remotivar o time do Fluminense (RJ) em um momento de crise técnica. // Se os (famigerados) resultados não atrapalharem, Renê Simões tem muito conhecimento para colaborar com a caminhada do Ceará Sporting Clube.

    sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

    RIVALDO CONSEGUIU, PELÉ NÃO!

    Para relembrar o meia-esquerda Rivaldo (como já não existe), em 1992, quando ainda jogava no Carrossel Caipira (Mogi Mirim). Naquele time, comandado pelo Vadão (Oswaldo Alvarez), também jogavam Válber, Admilson, Leto entre outros cobras. Saudades do meia-esquerda original!

    quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

    PAPAI NOEL EXISTE, SIM!

    Muita gente pode não entender assim, mas Papai Noel é sinônimo de credibilidade. Certa vez, o jornal norte-americano The Sun recebeu a seguinte carta: "Caro editor, tenho oito anos. Alguns dos meus amiguinhos dizem que Papai Noel não existe. Mamãe disse-me: 'Se o The Sun diz que ele existe, é que existe mesmo'. Por favor, diga-me a verdade. Existe Papai Noel?"

    Assinado: Virgínia O'Hanton.

    Respondeu o jornal The Sun: "Virgínia, teus amiguinhos estão errados. Foram afetados pelo ceticismo de nossa era. Pensam que nada pode existir que não esteja ao alcance da mente humana. Sim, Virgínia. Papai Noel existe. Existe tão certamente quanto existem o amor e a generosidade e a dedicação".

    Prossegue o The Sun: "Como o mundo seria horrível se não houvesse Papai Noel! Seria tão horrível como se não houvesse Virgínia. Não haveria fé, nem poesia, nem romance para tornar tolerável esta existência... Ninguém vê Papai Noel, mas as coisas mais reais do mundo são aquelas que nem os adultos podem ver".

    Finaliza o The Sun: "Não haver Papai Noel! Graças a Deus, ele vive, e viverá para sempre. Daqui a mil anos, Virgínia, ele continuará a fazer alegre o coração da infância."

    Assinado: Pharcelles Church.

    terça-feira, 15 de dezembro de 2009

    FORTALEZA EFETIVA AUXILIAR LUIZ MÜLLER

    Miguel Luiz Müller, 48 anos, ou simplesmente Luiz Müller, ex-ídolo do Sport, fiel escudeiro do técnico Roberto Fernandes, deve ser anunciado na manhã dessa terça-feira como técnico do Fortaleza Esporte Clube. A informação foi confirmada pelo presidente Renan Vieira, durante uma festa de premiação, na noite dessa segunda-feira - 14 de dezembro.
    -
    O técnico Roberto Fernandes também confirmou ao repórter Aloísio Lima (Rádio Globo Fortaleza) que Luiz Müller foi convidado pelo Fortaleza para assumir a função que era dele, até o final dessa temporada, quando o tricolor foi rebaixado para a Série C do Brasileiro. Müller só não foi localizado pelo repórter para dar o carimbo oficial à informação. Desligou o telefone.
    -
    Indefinição virou uma rotina na vida do Fortaleza Esporte Clube. Até chegar ao auxiliar Luiz Müller, Renan Vieira patinou em vários nomes. Viu o técnico da base Cleisson como saída, mas recuou. Pesaram as dúvidas quanto a inexperiência do ex-meia tricolor. Müller tem dez anos de estrada como auxiliar, desde que parou de jogar.
    -
    Assim como Renan, resta saber se Müller mudou de ideia. Em dezembro de 2007, um jornal pernambucano publicava: "Ao contrário da esmagadora maioria dos assistentes-técnicos, Luiz Muller garante que não tem como objetivo se tornar treinador".
    -
    Em novembro passado, quem mudou de ideia foi o presidente do Sport de Recife, Sílvio Guimarães, após rebaixar o time para a Série B. Desistiu de contratar Luiz Müller para ser diretor de futebol, remunerado, mesmo tendo anunciado a contratação.
    -
    Como jogador, Luíz Müller foi revelado nas categorias de base do São Paulo, depois jogou em vários clubes, entre eles, Sport, Guarani, Santos, Portuguesa paulista, Juventude e Remo. Parou de jogar em 1999, aos 38 anos, no Bragantino. Ajudou o time paulista a conquistar o título de 1990, sob o comando do emergente Vanderlei Luxemburgo. No ano seguinte, sagrou-se vice- campeão brasileiro com Carlos Alberto Parreira.
    -
    Para quem não lembra, Müller fez sucesso pelo Sport, onde sagrou-se bicampeão pernambucano em 1996 e 1997. Foi ídolo da torcida do Leão da Ilha. Como auxiliar técnico teve passagem pelo Japão, no Gamba Osaka, onde foi campeão da Copa Imperador em 1991.
    -
    Não dá para advinhar o que pode acontecer essa manhã. Renan ou Müller pode mudar de ideia. Caso não mudem, só o tempo dirá se a decisão tomada foi correta. Se não houver coragem, de um ou de outro, jamais teremos uma resposta. Só é preciso saber, agora, se Renan tem convicção sobre o que está decidindo ou se continua patinando na indecisão.

    domingo, 13 de dezembro de 2009

    Rapadura Cearense FC é Campeão Brasileiro

    Eu não sabia. Muita gente não sabe. O Rapadura Cearense Futebol Clube é o único time de baixinhos (anões) de Fortaleza. É o primeiro campeão brasileiro. // Em 14 de novembro passado, no Rio de Janeiro, os baixinhos cearenses empataram com o RJ, em 2 x 2, (venceram, por 4 x 2, nos pênaltis) e venceram o SP, por 2 x 0. Trouxeram o 1º título nacional da categoria. // Ainda não há competições estaduais por falta de times, mas vem aí uma competição nacional e o time cearense estará presente. // O jogador e líder do grupo, Faltino Filho, procura mais anões-jogadores e patrocinadores. Contatos pelo telefone: 0xx-85-8706-0073.

    sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

    COPA DO BRASIL É PORTA DA ESPERANÇA

    Chegado o fim do ano é hora de zerar tudo. Mudar o calendário, refazer os planos, traçar novas metas, festejar os acertos e corrigir os erros. No futebol, tudo acontecesse rigorosamente assim. Os títulos de 2009 não valem para 2010 e os fracassos de 2009 podem ser superados em 2010. Com a virada do ano, os dois extremos podem construir uma nova história vitoriosa. É o grande presente que Papai Noel dá ao futebol.
    -
    Pensando assim, a próxima temporada pode ser amarga para o Ceará ou para o Fortaleza no campeonato estadual. De qualquer maneira, abre oportunidades iguais, a partir de fevereiro, quando a Copa do Brasil começar. Os dois cearenses estreiam longe de casa, mas não enfrentam adversários complicados.
    -
    O Ceará vai jogar fora de casa contra o time do Esporte Clube Tigres do Brasil, do distrito de Xerém, em Duque de Caxias (RJ), fundado em 2004. O Fortaleza também vai jogar fora de casa contra o time da Sociedade Esportiva de Picos, da cidade de Picos (PI), fundada em 1976. Quem (dos visitantes) vencer seu jogo com diferença de dois gols já estará na segunda fase.
    -
    Caso o Fortaleza passe para a segunda fase, o adversário será o vencedor do jogo Araguaína (TO) x Guarany (SP). No caso do Ceará, o adversário será o vencedor de Corinthians (PR) x Juventude (RS). Somente a partir daí pode-se prever dificuldades.
    -
    A Copa do Brasil não permite escolher ou saber quem será o adversário da segunda fase em diante, mas permite saber o caminho que pode ser percorrido. No caso do Ceará, se passar para as fases seguintes, vai enfrentar vencedores de Naviraiense (MS) x Santos e São Mateus (ES) x Remo (PA).
    -
    O Fortaleza, caso passe para as fases seguintes, vai enfrentar vencedores do Souza (PB) x Vasco da Gama e ASA (AL) x Nacional (AM). Não é uma tarefa simples, afinal, todos vão lutar pelo caminho mais curto para chegar à Copa Libertadores da América. Também não é uma tarefa para tirar o sono de qualquer time que planeja uma temporada vitoriosa.
    -
    A Copa do Brasil é a mais democrática das competições nacionais. Além do gordo prêmio em dinheiro (em 2009, só o campeão ganhou mais de R$ 3 milhões), a disputa dá visibilidade, cria expectativa a cada jogo e promove boas rendas. Principalmente para quem não terminou 2009 bem, a Copa é o melhor caminho para o sucesso depois do campeonato estadual. Aproveitem!

    terça-feira, 8 de dezembro de 2009

    TV ARTILHEIRO - PARTE 1

    O Debate Artilheiro é comandado pelo repórter Danilo Queiroz, com participações de Adriano Junior, Ronaldo Deber e Jota Lacerda. // Podem fazer perguntas e comentários para o próximo programa.

    TV ARTILHEIRO - PARTE 2

    TV ARTILHEIRO - PARTE 3

    O debate está postado, também, no site www.artilheiro.com.br

    segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

    PARABÉNS, MENGÃO!

    A conquista do hexacampeonato brasileiro tem vários significados. A vitória da humildade do técnico Andrade, a vitória da resistência nordestina do zagueiro Ronaldo Angelim, a vitória de jogadores da base que foram valorizados por Andrade, a vitória de veteranos como Petkovic e o próprio Angelim - exemplos de atletas profissionais. // Viva a resistência, o trabalho sério, a competência, a honestidade! // FICHA TÉCNICA DE FLAMENGO 2 X 1 GRÊMIO // Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) / Data: 6 de dezembro de 2009 (domingo) / Hora: 17 horas (de Brasília) / Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR) / Assistentes: Alessandro Rocha (Fifa-BA) e Carlos Berkenbroch (Fifa-SC) / Renda: R$ 2.030.400,00 / Público total: 84.848 torcedores / Cartões amarelos: David, Willians (Flamengo), Douglas Costa, Marcelo Grohe, Lúcio, Adílson (Grêmio) / GOLS: FLAMENGO: David, aos 30 minutos do primeiro tempo, Ronaldo Angelim, aos 25 minutos do segundo tempo / GRÊMIO: Róberson, aos 21 minutos do primeiro tempo / FLAMENGO: Bruno; Leonardo Moura, Ronaldo Angelim, David e Juan; Aírton, Toró (Everton), Willians e Petkovic (Fierro); Zé Roberto (Kleberson) e Adriano / Técnico: Andrade / GRÊMIO: Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Willian Thiego, Léo e Fábio Santos; Adilson (Mithyue), Túlio, Maylson e Lúcio; Douglas Costa e Róberson (Bergson) / Técnico: Marcelo Rospide /

    sábado, 5 de dezembro de 2009

    UMA PITADA DE ÉTICA NO FUTEBOL

    "Futebol não tem ética." Embora tenha generalizado, concordo com a declaração do técnico do Palmeiras, Muricy Ramalho, rebatendo críticas do colega Wanderley Luxemburgo. De forma deselegante e boçal, Luxemburgo disse que teria sido campeão, com rodadas de antecedência, caso ainda estivesse no comando do Palmeiras. Esse é apenas um caso, mas poderíamos listar uma dezena de situações parecidas.

    Sem falso moralismo, é preciso combater esse tipo de comportamento. Luxemburgo chega à penúltima rodada do Brasileirão, com o Santos na 11ª posição, se arrastando para assegurar uma vaga na Copa Sul-Americana. Não tem nenhum direito de criar constrangimento para um colega de profissão, mas os passionais acham tudo isso muito normal.

    A disputa acirrada na última rodada do Brasileiro também abriu espaço para comentários maldosos, insinuações de dirigentes sem escrúpulos, manifestações de jogadores de caráter duvidoso e até debates sobre "ser ou não ser" o momento de jogar sério ou não. Uma vergonha abrir debate sobre ilicitude.

    A crônica já está preparada para cobrir a festa do título do Flamengo. O Grêmio já perdeu o jogo, independente do time que colocar em campo; Inter, Palmeiras e São Paulo não são considerados como potenciais candidatos ao título. É só dar uma olhada na tabela para observar que o Flamengo leva vantagem somente em caso de vitória - um empate pode tirar-lhe o título: http://www.artilheiro.com.br/v2/aovivo.asp?camp=4 .

    Essas viagens na imaginação acontecem com frequência no futebol. Na série B, a última rodada teria gerado inúmeros comentários maldosos se o Fortaleza não tivesse sido rebaixado uma rodada antes. Tudo porque o Ceará empatou, em 0 x 0, com o América de Natal, resultado que derrubaria o Fortaleza para a Série C.

    Em vez de dizer que o Ceará não conseguiu vencer o América, o maldoso logo diria que o Ceará não quis vencer o América para derrubar o Fortaleza. E nesse caso, o Ceará tinha bom motivo para vencer o jogo, isto é, a segunda posição na tabela. O discurso que já estava engatilhado, perdeu o sentido.

    Nesse domingo, muitos discursos prontos poderão perder o sentido. Somente a torcida do Flamengo sofrerá duro golpe caso o time não consiga uma vitória dentro de campo. O clima de já ganhou está instalado. O Grêmio já perdeu. Inter, Palmeiras e São Paulo também já perderam ou empataram seus jogos. Na mídia, Flamengo é campeão. Cuidado! Nem sempre a mídia ganha.

    Opinião de um rubro-negro que defende a moralidade também no futebol.

    sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

    RELEMBRAR NUNCA É DEMAIS!

    FICHA TÉCNICA - Último jogo da decisão de 1992 /// 19 de julho de 1992 - Estádio Maracanã - Rio de Janeiro /// Público: 122.001 pagantes // Renda: Cr$ 1.936.000,00 (cruzeiro) // Árbitro: José Roberto Wright // Gols: Pichetti, aos 38 do 2º, e Valdir, aos 43 do 2º (B) e Junior, aos 42 do 1º, e Julio César, aos 10 do 2º (F). // Expulsões: Renê e Wilson Gottardo (B) // Flamengo: Gilmar; Charles Guerreiro, Gelson, Wilson Gottardo e Fabinho (Mauro); Uidemar, Júnior e Zinho; Julio César, Gaúcho (Djalminha) e Piá. Técnico: Carlinhos // Botafogo: Ricardo Cruz; Odemilson, Renê, Marcio Santos e Válber; Carlos Alberto Santos, Pingo e Carlos Alberto Dias; Vivinho (Jéferson Gaúcho), Chicão (Pichetti) e Valdeir. Técnico: Gil. // Tal qual naquele ano, técnico e jogadores da casa foram os responsáveis pela construção de uma grande campanha. // Claro, o Flamengo ainda não é campeão a essa altura, mas vale a pena relembrar.

    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

    BOMFIM CAI COM REBAIXAMENTO

    O presidente do Fortaleza, Lúcio Bomfim, não suportou a pressão e renunciou ao cargo no final da noite dessa terça-feira, durante reunião de diretoria, quando mais da metade dos assistentes já havia deixado as dependências do Círculo Militar - cerca de 80 pessoas. Se fosse um divórcio, diríamos que houve incompatibilidade de gênios. Mesmo assim, segundo Renan Vieira, que assumiu o cargo, "Lúcio Bomfim tem um gênio forte, de difícil relacionamento com a torcida".

    Não foi só isso. O próprio Bomfim ainda admite que enfrenta divisões dentro do Conselho Deliberativo. Já havia entregue uma carta-renúncia, mas não foi aceita. Depois, começou a enfrentar divisões dentro da família. No último domingo, 29/11, reuniu-se com a mulher e filhos e decidiu que não ficaria mais. Ainda relutou e esperou que a reunião dos verdadeiros tricolores pudesse servir para selar a paz. Puro engano. A renúncia foi inevitável.

    Incrível é que somente o vice-presidente, Renan Vieira, parece satisfeito. A torcida segue dividida e o Conselho, certamente, vai esperar pelo tempo. Lúcio Bomfim promete continuar ajudando, agora sem cargo. Renan Vieira garante que não vai acumular com a direção de futebol e sinaliza com forte apoio financeiro de 30 amigos: R$ 150 mil mensais.

    Frases mais importantes da reunião:

    * Lúcio Bomfim - "Não tive empatia com a torcida. A torcida não gosta de gestor, gosta de populista" // "O que a gente pregou, que era a união, em nenhum momento houve" // "A gente vai continuar ajudando o Renan até o final de 2010" // "Domingo fiz uma reunião com a minha família e decidi que iria renunciar".

    "Em quase um ano e meio, salvamos o time da queda em 2008, fomos tricampeões, nos saimos bem na Copa do Brasil e faturamos R$ 4 milhões com venda de jogadores" // "Em janeiro de 2010, vou para a Copa São Paulo de Junior, Copa Votorantim e quero ir para a Itália, com o Sub 20, em fevereiro".

    * Renan Vieira - "Eu sei quem é quem no Fortaleza. Eu não vou acumular" // "Lúcio tem um gênio muito forte. Essas coisas dificultam o relacionamento com a torcida" // "Tenho uma pessoa forte para convidar, mas não posso adiantar o nome" // "Apresentei a proposta de ajuda de 30 pessoas que entram com R$ 150 mil mensais. Não aceitaram".

    * Edilson José - "É uma pena que o trabalho do Lúcio tenha sido derrubado pelo futebol".

    Após a renúncia, Lúcio Bomfim confirmou que mantém entendimentos com um grupo português para a construção de uma arena, no município do Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza, "mas alguns conselheiros acham que é um projeto lunático". O investimento superior a R$ 200 milhões consta de estádio para 40 mil torcedores, shopping, hotel, entre outros equipamentos não revelados. Garante que vai perseguir a ideia, mesmo sem apoio, apostando no seu perfil de executivo.

    terça-feira, 1 de dezembro de 2009

    MERECE MESMO UMA PLACA?

    "É um gol de placa, então merece uma placa. Foi de primeira, do meio de campo. Lindo como poucos vi igual". A declaração foi de Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente do Palmeiras, para justificar a ideia de homenagear Diego Souza pelo gol que marcou na vitória, por 3 a 1, sobre o Atlético mineiro, no último domingo, estádio Palestra Itália. //// O gol de Diego Souza foi marcado aos 16 minutos de jogo, logo após o Atlético ter empatado a partida em 1 a 1. Em um recuo errado de Éder Luís, o goleiro Carini teve que sair nos pés de Vágner Love para evitar o domínio do atacante. A bola então foi rebatida para o meio-campo, onde Diego pegou de primeira, no alto, e acertou um lindo chute por cobertura. //// Você daria uma placa ao Diego Souza?

    domingo, 29 de novembro de 2009

    EVO E CRISTINA DARIAM JEITO EM CAMBISTAS

    Quem diria!
    O presidente da Bolívia, Evo Morales, está preocupado com a qualidade do futebol boliviano e anuncia que vai estatizar o esporte em seu país, depois das eleições gerais de dezembro, quando espera ser reeleito. Na Argentina, o governo da presidente Cristina Kirchner já deu sinal da estatização no futebol para democratizar a transmissão esportiva pela TV. Aqui, o governo evita interferir em questões que prejudicam o futebol com medo da palavra estatizar.
    -
    Não há verdade absoluta. No Brasil, no entanto, criam essas verdades com base em fatos passados, reforçando bandeiras políticas ou pseudo-ideológicas. Sustentam a tese de que o governo não pode criar regulamentações porque seria uma intromissão, como se fosse um pecado criar mecanismos para corrigir erros ou acabar com a má-fé de aproveitadores.
    -
    Vou direto à questão desses cambistas, contratados por dirigentes inescrupulosos, que escondem os ingressos dos grandes jogos e exploram os torcedores atrasados com ágios absurdos. Os espertalhões estavam cobrando R$ 300 para quem chegou em cima da hora, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas (SP), nesse domingo, para assistir Corinthians e Flamengo.
    -
    A torcida do Ceará Sporting pagou caro para participar do jogo festivo, no estádio Castelão, na última rodada da Segundona, contra o América. Um dia antes do jogo, na sexta-feira, o ingresso que custava R$ 20 na bilheteria já estava sendo vendido por mais de R$ 30. A irregularidade está no fato de que o cambista não comprou o ingresso.
    -
    Muita gente foi explorada, muita gente desistiu de ir ao estádio. Os dirigentes anunciam venda total dos ingressos, mas quando o borderô é apresentado aparecem ingressos devolvidos. Fica claro que alguém desviou ingressos da bilheteria para os cambistas, ficou caracterizado um ato criminoso (alguém, deslealmente, tirou vantagem de inúmeras pessoas), mas ninguiém se manifesta contra.
    -
    E não é só isso. Transferências abusivas de jogadores das divisões de base dos clubes, burlando órgãos do fisco, burlando os próprios clubes. Enfim, começamos a precisar de Evos e Cristinas por aqui para moralizar o futebol brasileiro.

    quarta-feira, 25 de novembro de 2009

    GEORGE BEST, O PELÉ BRANCO

    George Best viveu 59 anos. Morreu há exatos quatro anos. Brilhou no clube inglês do Manchester United F.C., na década do 60, consagrando-se duas vezes campeão. Ganhou a Copa da Europa, em 1968, mesmo ano em que recebeu o prêmio a Bola de Ouro. Há quem diga que era tão craque quanto Pelé. Chegou a ganhar o apelido de "Pelé branco". Você acha que era mesmo? A grande diferença era na maneira de viver. George Best bebia muito e enfrentou problemas de saúde por causa do vício. Morreu com problemas pulmonares no dia 25 de novembro de 2005.

    terça-feira, 24 de novembro de 2009

    CONVITE A AJUDAR OS BIPOLARES

    Não quero ser alarmista, mas ando preocupado com essa história de depressão que tem abatido pessoas próximas e distantes. Eu mesmo tenho estado vigilante para não cair no traiçoeiro estado bipolar - também conhecido como psicose maníaco depressiva, uma desordem cerebral que causa alterações incomuns no humor, energia e capacidade de desempenhar funções. Os danos podem levar a pessoa até ao suicídio.
    -
    No último dia 10, o mundo foi surpreendido com a notícia do suicídio do goleiro alemão do Hannover, Robert Enke, 32 anos, bem casado, titular da seleção alemã. Enke não conseguiu superar a morte da filha, com dois anos de idade, ocorrida em 2006, em consequência de uma parada cardíaca. Há oito meses, o casal adotou uma menina. Não adiantou.
    -
    No último dia 18, zona sul de São Paulo, um consultor de empresas, 30 anos, jogou o filho do terraço de um prédio e pulou em seguida. O menino tinha dois anos de idade e virou escudo da separação do casal. Apaixonado, sem conciliação, ele não superou o vazio da vida solitária e afundou.
    -
    No último dia 23, o brasileiro Marcelo da Silva Moço, 30 anos, foi encontrado morto dentro do apartamento da namorada, na Áustria, com suspeitas de suicídio. Marcelo jogava no ASK Bruck Leitha, time filiado a uma das Ligas do País. Era irmão do ex-meia Marco Aurélio, o Jacozinho, ex-Flamengo, Sport, entre outros clubes.
    -
    Vamos parar por aqui. Desses casos citados, Enke deixou uma carta, escolheu a estação de trem de Hannover para buscar seu trágico fim; o consultor não precisou deixar escrito o que sentia; Marcelo deixou dúvidas e trabalho para a polícia da Áustria. Problemas diferentes, pessoas diferentes, infelizmente decisões parecidas.
    -
    Devemos estar atentos a variações de comportamento das pessoas que nos rodeiam. Devemos estar atentos às nossas variações de comportamento. Esse tal "estado bipolar" não pede licença nem manda explicações para invadir o coração - "sagrado lar" de cada um de nós. Tenho observado muitas pessoas assim: vacilantes, confusas, desanimadas, irredutíveis.
    -
    Quando nos faltar desejo de viver; quando parecer que não há saída; quando nos tirarem a esperança, lembremos que milhares de pessoas estão esperando por nós outros para viver. Por coincidência ou não, o Hemoce está comemorando dez anos da campanha de manutenção de doadores de sangue. E olha que não é a única forma de doarmos um pedaço da vida.
    -
    Eu ando ausente. Prometo que voltarei às doações. Prometa você, também, que vai exercitar uma das inúmeras formas de ajudar a espantar esse mal que preocupa o mundo. O silêncio nos engana. Só percebemos que há algo errado quando não há mais jeito. Por isso, mãos à obra.

    DIFERENÇA ENTRE MIRANDINHA E PC GUSMÃO

    Qual é a diferença entre estes dois treinadores?

    Se você respondeu, simplesmente, que um (Mirandinha) foi dispensado pelo Fortaleza, após a conquista do título estadual de 2009, e o outro (PC Gusmão) subiu o Ceará para a Série A, em 2010, permita-me acrescentar: Mirandinha não convenceu dirigentes desastrados; PC Gusmão encontrou ambiente propício para formar um elenco comprometido e competente.

    No dia 23 de maio passado, ainda no vestiário do estádio Castelão, sentindo a "fritura", Mirandinha prestou entrevista que deveria ter sido pauta de reunião com seus dirigentes, mas eles não queriam ouvi-lo. Leia o post enumerando os problemas citados pelo técnico: http://jotalacerdacomenta.blogspot.com/2009/05/o-dia-do-cacador-mirandinha-aponta-10.html . Mirandinha foi demitido e o Fortaleza iniciou uma série de contratações equivocadas.

    Enquanto isso, dois dias antes, o Ceará havia anunciado a contratação do treinador PC Gusmão - criticado por muitos por não ter fama. Talvez fosse esse o "defeito" de Mirandinha. O tempo passou, a diretoria alvinegra fortaleceu a liderança de PC Gusmão, atendeu às solicitações dele, contratou jogadores indicados por ele, formou um elenco barato, profissional e competente.

    Poderia escrever 100 páginas para justificar o sucesso dos alvinegros e o fracasso dos tricolores, mas estaria fazendo o óbvio. Cada um pode tirar suas conclusões. Ao longo da competição, o torcedor já manifestava o sentimento que tinha pelas duas campanhas. Na enquete do blog, 71% dos votos foram para a subida do Ceará contra 14% dos descrentes; 28% dos votos foram para o rebaixamento do Fortaleza contra 21% dos que não acreditavam no fracasso.

    O Fortaleza não aprendeu a lição, ainda esta década, quando subiu e caiu duas vezes para a Segundona. O torcedor tricolor cansou das chacotas dos adversários e resolveu revidar contra os próprios dirigentes - criou até site para desmoralizá-los. Resta esperar que o Ceará tenha chegado à Série A com maturidade. O deslumbramento nessa hora pode colocar tudo a perder.

    sábado, 21 de novembro de 2009

    CEARÁ VOLTA À PRIMEIRA DIVISÃO

    Foram 16 anos de espera da torcida alvinegra. Nessa longa espera, muitas vezes a torcida viu o time à beira do rebaixamento, consequência da desunião, da desorganização e da montagem de times ruins. Bastou um toque de organização e a montagem de um time responsável. Com uma campanha incontestável, o Ceará Sporting Club está na 1ª divisão do Campeonato Brasileiro. // O time jogou com Lopes, Arlindo Maracanã, Fabrício, Erivélton e Fábio Vidal (Jorge Henrique); Michel, João Marcos, Heleno e Geraldo (Reinaldo); Preto (Wellington Amorim) e Mota. Técnico: PC Gusmão.

    CEARÁ MAIS PRÓXIMO DA FELICIDADE

    Desde que jogaram, pela 28ª rodada da Segundona, no estádio Castelão, com vitória alvinegra, por 1 x 0, Ceará e Fortaleza trilharam caminho paralelo em que um ajudaria o outro a atingir objetivos comuns na competição. O Ceará fez a parte dele e está a um passo da Série A; o Fortaleza não fez a parte dele e está a um passo do rebaixamento para a Série C.

    Nos oito jogo realizados atá agora, o Ceará venceu quatro, empatou dois e perdeu dois; o Fortaleza perdeu quatro, ganhou dois e empatou dois. Pelos aproveitamentos em campo, as campanhas estão justificadas. Fora de campo, os fatos também justificam as duas distintas campanhas.

    Faltando duas rodadas para o término do campeonato, o Ceará pode carimbar o acesso ao grupo da elite com uma vitória ou até mesmo uma derrota para a Ponte Preta, em Campinas (SP). O ideal será vencer para não depender de tropeços de Figueirense e Portuguesa. Fortaleza espera por um verdadeiro milagre: ganhar os dois jogos que restam e contar com tropeços do América de Natal e Brasiliense nos jogos deles.

    O treinador PC Gusmão deu sinais de que pretende surpreender a Ponte Preta. Resta saber se vai mesmo confirmar Arlindo Maracanã e Preto no time. Ceará jogará com Lopes, Boiadeiro (Maracanã), Fabrício, Erivélton e Fábio Vidal; Michel, Heleno, João Marcos e Geraldo; Wellington Amorim (Preto) e Mota.

    Em situação diferente, o treinador Roberto Fernandes não deve sair do previsto. Fortaleza jogará com Douglas, Dedé, Gilmack, Édson e Eusébio; Coutinho, Leandro, Élton e Ricardinho; Luiz Carlos e Marcelo Nicácio. O lateral-direito Marcos Tamandaré pediu rescisão de contrato, Everaldo não treinou durante a semana, Ticão e Jean estão retornando de contusões.

    Comento, no estádio Castelão, Fortaleza x São Caetano, pela Rádio Globo Fortaleza: http://www.radioglobofortaleza.com.br/

    Acompanhe os resultados da rodada e a classificação em tempo real: http://www.artilheiro.com.br/v2/aovivo.asp?camp=5

    quinta-feira, 19 de novembro de 2009

    LÁ VÊM OS GAÚCHOS DE NOVO!

    O presidente do Ferroviário, Ribamar Soares, deve anunciar, nas próximas horas, o nome do treinador da equipe para 2010. O mais cotado é o gaúcho de Uruguaiana, Armando Severo Desessards, de 42 anos, com passagens por clubes gaúchos, catarinenses e rondoniense. Ele está aqui e, desde que chegou, mantém-se reunido com os dirigentes, conhecendo o projeto da nova diretoria coral.
    -
    Segundo o diretor de Marketing, Evandro Gomes, será anunciada uma posição ainda nesta sexta-feira. As primeiras notícias que deram conta da presença de Armando Desessards na Barra do Ceará provocaram um verdadeiro alvoroço entre torcedores do Ferrão. Somente depois, começou a repercutir o trabalho que Desessards tem feito ao longo da carreira.
    -
    A reação da torcida e até de segmentos da imprensa tem relação direta com a desastrosa opção da diretoria do Fortaleza este ano. Quem não se lembra da comissão técnica e quase um time de gaúchos trazidos para o Pici? E quem não se lembra no que deu? Falar em gaúchos dá arrepio, mas ninguém tem o direito de pensar assim.
    -
    Armando Desessards começou em 1993, na escola do Internacional, depois transitou pelo futebol gaúcho, com destaque no SC Ulbra, onde foi vice-campeão em 2004; e no Ulbra Ji-Paraná, onde foi campeão estadual de Rondônia em 2008.
    -
    Desessards era o treinador do Brasil de Pelotas (RS), em janeiro deste ano, quando aconteceu o acidente com o ônibus do clube no retorno de um jogo amistoso. Naquela noite, morreram o atacante Cláudio Millar, o zagueiro Régis e o preparador de goleiros Giovane Guimarães. O Brasil terminou rebaixado para a segunda divisão em 2010.
    -
    Há duas semanas tive a oportunidade de entrevistar o presidente Ribamar Soares e o diretor Evandro Gomes, na Rádio Globo Fortaleza, quando destacaram que o Ferroviário vai desenvolver um projeto inovador, focado nas potencialidades da região da Barra do Ceará. A partir daí, vai explorar a divisão de base e investir no patrimônio - a começar pelo estádio.
    -
    Os novos dirigentes precisam ter uma fórmula inteligente para trabalhar em várias frentes, simultaneamente, sem perder o foco: reconstruir o Ferroviário. Caso contrário, sem o time na Série D ou até rebaixado no campeonato cearense, os dirigentes corais terão poucas chances de sucesso.
    -
    O Ferroviário, portanto, está bem enquadrado no penúltimo post do blog com o título: "Bagunça achata o futebol nordestino". Não será fácil devolver ao Ferrão o status de terceira força do futebol cearense. E cuidado para não repetir a desastrosa façanha do Icasa de Juazeiro do Norte (CE) - subiu para a Série B do Brasileiro, depois de rebaixado para a segunda divisão cearense.
    -
    Boa sorte, corais!

    quarta-feira, 18 de novembro de 2009

    JEITO MANEIRO DE FAZER O TIME JOGAR

    Não faltou quem sugerisse esse treinador para um time bem alí. Acho uma sugestão de mal gosto, mas alguns jogadores devem mesmo precisar de duras lições para entender que futebol é coisa séria. Claro, o vídeo é uma brincadeira.

    terça-feira, 17 de novembro de 2009

    BAGUNÇA ACHATA O FUTEBOL NORDESTINO

    Assim como o mapa sugere, o Brasil é o país do futebol.

    Do ponto de vista geográfico, o Brasil é o país do futebol desigual. Nenhuma culpa da geografia. Culpa do calendário, da desorganização, do amadorismo dos dirigentes, enfim. Afinal, a geografia não impediu o Sport (PE) e o Paysandu (PA) de terem disputado Libertadores da América, sem falar em destacados feitos de outras equipes menos conhecidas.

    Pelo contrário, a geografia permite a criação de competições mais democráticas, a exemplo dos Campeonatos Regionais, na década de 1990 - logo extintos por interesses camuflados. A geografia permite ainda a realização de quatro Campeonatos Brasileiros - dois (A e B) em paralelo e outros dois (C e D) em datas distintas -, além da Copa do Brasil.

    Que bom seria se a geografia fosse respeitada pelos dirigentes em suas potencialidades. Como explicar a falência de equipes como Sport, Náutico, Santa Cruz (três pernambucanos), Remo, Paysandu (dois paraenses), ABC, América (dois norte-rio-grandenses), Botafogo, Fluminense (dois cariocas), Bahia, Fortaleza, sem citar alguns que desapareceram do mapa?

    Todos eles têm o principal gerador de receita: grandes torcidas. Mesmo caindo pelas tabelas de classificação, eles ainda arrastam multidões em seus estádios. Mas é verdadeiro, também, que essas torcidas não resistirão aos massacres das derrotas. Em breve, estarão recolhidas à comodidade do sofá, pagando pay-per-view, para "satisfação econômica" de alguns.

    Até que seria possível admitir a presença do Sport, Náutico, Bahia, Fluminense, Botafogo na Série B; Fortaleza, ABC, América, Paysandu, Campinense na Série C; Remo, Santa Cruz e outros menos cotados na Série D, desde que recebessem tratamento igual da CBF. Desde que essas divisões não significassem purgatórios e inferninhos.

    Quanto mais distante a divisão estiver da Série A (a chamada elite), as equipes que lá estiverem estarão mais próximas do desaparecimento. Por esse processo, já desapareceram representantes do Amazonas, do Piauí, de Sergipe e das Alagoas. Algumas regiões como Acre, Tocantins e Mato Grosso já estão se acostumando com o pobre futebol nativo.

    Em 2010, provavelmente, a Série A só terá dois nordestinos (Vitória e Ceará); a Série B, provavelmente, terá quatro nordestinos (Bahia, ASA alagoano, Icasa-CE, América de Natal ou Fortaleza); a Série C, provavelmente, terá seis nordestinos (ABC e Alecrim de Natal, CRB alagoano, Campinense-PB, Salgueiro-PE, Fortaleza ou América de Natal).

    E os maiores índices de público estão nos estádios do Nordeste. É ou não é um futebol desigual?

    domingo, 15 de novembro de 2009

    SÓ FALTAM TRÊS PONTOS

    Não dá para afirmar que o apagão, no estádio Castelão, atrapalhou ou não atrapalhou o desempenho dos jogadores do Ceará. A verdade é que muitos torcedores não acreditavam mais que a derrota fosse evitada. Quando João Marcos empatou o jogo, milhares de torcedores já estavam voltando para casa. Com o empate, o Ceará minimizou as ameaças e precisa vencer um dos dois jogos restantes para garantir a vaga na Série A de 2010.

    sexta-feira, 13 de novembro de 2009

    QUEM DIRIA! DECISÃO ATÉ A ÚLTIMA RODADA

    Faltam três rodadas para terminar a Segundona e a disputa continua acirrada nos dois extremos (G-4 e Z-4). A 36ª rodada começou com a consagração do Vasco da Gama, retornando à Série A, agora, oficialmente. Na outra ponta, as confirmações dos rebaixamentos de ABC-RN e Campinense-PB. Três outros nordestinos (Fortaleza, Bahia e América-RN) estão ameaçados e fogem das duas vagas restantes.

    A única notícia boa é que o Ceará pode seguir o caminho do Vasco, neste sábado, caso vença o Guarani de Campinas, no Castelão, pela primeira vez em 12 jogos. A briga pelo acesso está acirrada. Portuguesa e Figueirense pressionam Ceará e Atlético goianiense, virtualmente donos das vagas. A torcida alvinegra já comprou mais de 20 mil ingressos e sonha com a vitória.

    Longe de casa, o Fortaleza joga solitária, também neste sábado, contra o Vila Nova goianiense, com a necessidade de uma vitória para continuar alimentando a esperança de sair da degola. Para sair do Z-4, são necessárias duas vitórias. Ainda existe a possibilidade da repetição da façanha do ano passado, quando o tricolor escapou na última rodada.

    Se isso ocorrer, o destino do Fortaleza estará nas mãos do Ceará, que jogará em casa contra o América de Natal. O tricolor, por sua vez, jogará em Curitiba contra o Paraná Clube. Aliás, desde a 29ª rodada, após o clássico-rei, Ceará e Fortaleza têm trilhado caminhos inversos, mas os interesses de resultados têm sido semelhantes.

    Por ironia do destino, a última rodada pode ser a bola da vez.

    quarta-feira, 11 de novembro de 2009

    BARRADÃO NASCE PARA GERAR CRAQUES

    O Estádio Manoel Barradas, localizado no bairro de Canabrava, periferia de Salvador, está completando 23 anos de inaugurado oficialmente. Naquele dia 11 de novembro de 1986, Vitória e Santos empataram em 1 a 1. Depois disso, o Barradão passou por uma ampliação e foi reinaugurado, no dia 29 de abril de 1992, com outro empate: Vitória 1 x 1 Olímpia do Paraguai. Em casa, o Vitória jogou 464 partidas, ganhou 294, perdeu 76 e empatou 94 vezes.

    Tive a felicidade de vivenciar parte dessa história. Trabalhei, inclusive, como repórter nesses dois jogos de inauguração. Depois que passou a ter casa para criar a família (divisão de base) e receber seus adversários, o Vitória ficou mais fortalecido, ganhou projeção nacional, conquistou títulos e passou a ser mais respeitado pelos grandes clubes.

    Para contar melhor a história rubro-negra, os conselheiros Alexandro Ramos Ribeiro e Luciano Sousa Santos escreveram o livro que leva o título "Barradão: Alegria, Emoção e Vitória". Não li ainda, mas imagino quão rico é o conteúdo da obra. Vale a pena imortalizar nomes como Manoel Barradas Carneiro, ex-presidente que dá nome ao estádio Barradão.

    Somente uma obra assim poderá contar em detalhes, por exemplo, como um time jogado às moscas, vizinho de um aterro sanitário, transforma-se em uma usina geradora de craques e devoradora de conquistas. Depois que construiu casa, o Vitória gerou Dida, Vampeta, Alex Alves, Paulo Isidoro, Bebeto Campos, Allan Dellon, Fernando e muitos outros.

    História que também ajudou a projetar craques como Ramon Menezes, Agnaldo, Índio, Petkovic, Dudu Cearense, Adoilson, enfim. Vou até lembrar alguns craques consagrados que vestiram a camisa rubro-negra como Bebeto, Túlio Maravilha, Edilson e tantos outros. O artilheiro Neto Baiano fez o milésimo gol do Barradão, no dia 29 de abril de 2009, quando o Atlético mineiro foi derrotado por 3 a 0. Foi o terceiro gol, aos 34', no segundo tempo.

    Por isso, não tenho dúvida que nenhum clube vencerá a crise sem começar o trabalho pela infraestrutura. Ceará, Fortaleza e Ferroviário só terão solidez quando tiverem seus estádios para mandar grandes e pequenos jogos. Aliás, não é só isso. O estádio Barradão faz parte do Complexo Maneca Tanajura, onde estão os campos de treinamento e toda estrutura de apoio logístico.

    O Fortaleza está bem perto disso. Pena que a área do Pici não permita avanços nas obras. O Ceará também pensa em ter sua casa, em Porangabuçu, mas o espaço físico é limitado. São casos que precisam ser repensados. Já o Ferroviário tem espaço físico para ampliação e anuncia um projeto arrojado para modernizar a Vila Elzir Cabral.

    Querem saber. Imitem o Barradão e serão felizes!

    domingo, 8 de novembro de 2009

    PARABÉNS, VASCÃO!

    A torcida do Vasco da Gama chorou quando o time caiu para a Segundona. O presidente Roberto Danimite arregaçou as mangas e trabalhou duro, sem dinheiro, sem time, sem crédito com a torcida... O trabalho e a disciplina renderam frutos. O técnico Dorival Junior foi mantido mesmo quando o time experimentou crise técnica. O indisciplinado Carlos Alberto se enquadrou no espírito coletivo da equipe e a classificação foi construída com suor e dedicação de todos. Parabéns, Vasco da Gama.

    quinta-feira, 5 de novembro de 2009

    JOGO DA MORTE: BAHIA JÁ ESTÁ GOLEANDO!

    Quem diria! Bahia e Fortaleza inverteram os papéis. Nos tempos de glória dos dois clubes, a torcida iria esgotar os ingressos para ver o show de bola de Baiaco, San Filipo, Zé Eduardo, Osni, Emo, Ubaldo, Douglas, Canhoteiro, Biribinha e tantos outros craques do Bahia; Lucinho, Hamilton Melo, Pedro Basílio, Mirandinha, Luizinho das Arábias, Sérgio Monte, Júlio Ceza "Uri Geller", Ronaldo Angelim e Celso Gavião entre outros tantos craques do Fortaleza.

    Nos tempos de hoje, cerca de 25 mil ingressos foram vendidos um dia antes do jogo por causa do apelo misericordioso dos dirigentes. A única diferença é que um tricolor é baiano e o outro é cearense, mas os interesses são comuns: salvar a cabeça da degola da Segundona. Por já conhecer o inferno da Série C, o Bahia tem motivos de sobra para convocar os "soldados" do Esquadrão de Aço.

    Assustado, o Fortaleza não pode fazer o mesmo uma vez longe de casa. Sozinho, só com a "escolta" da imprensa, o Leão aposta na ressuscitação. O segredo é a arma do treinador Roberto Fernandes. Arma que ainda não funcionou. E se não funcionar dessa vez, a degola estará encomendada.

    Cheio de problemas de ordem médica, o Bahia tem time quase definido com Marcelo; Vinícius, Nem e Menezes; Marcos, Léo Medeiros, Hernani, Paulo Isidoro, Ananias e Alex Maranhão; Jael (Nadson). O treinador Bonamigo não confirma. Na 16ª colocação, com 38 pontos, tem os desfalques dos volantes Leandro e Bruno Silva.

    Para a última cartada, o Fortaleza é uma incógnita. Pode jogar com Douglas; Dedé, Gilmack, Everaldo e Eusébio; Coutinho, Ticão, Élton e Cristian (Rocha); Marcelo Nicácio (Luiz Carlos) e Rogerinho. O treinador Roberto Fernandes pode mudar o esquema para 3x5x2. Na 19ª colocação, com 33 pontos, tem o desfalque de Leandro.

    Antes do jogo começar, o Bahia já ganhou: goleada na arquibancada e tabu na estatística. A única vez que o Fortaleza ganhou, em Salvador, faz 17 anos, no dia 1º de maio de 1982, com o placar de 1 x 0, gol de Geraldinho. Foram sete vitórias baianas e quatro empates em 12 jogos. Definitivamente, o Fortaleza ressuscita ou morre!

    O FIM DE UM LONGO JEJUM

    O Fortaleza não ganhava o Campeonato Cearense há sete anos. A decisão do campeonato de 2000 foi realizada no estádio do Junco, em Sobral, no interior do Estado. A torcida tricolor viajou mais de 200 km e não se arrependeu. Voltou com o título de campeão. Daniel Frasson fez o gol. Será mesmo que ele não é mais tricolor?

    CAMPANHA VITORIOSA DO ICASA/2009

    O Icasa de Juazeiro do Norte (CE) fez uma campanha regular e subiu para a Série B do Campeonato Brasileiro de 2010. Antes, havia caído para a Série B do Campeonato Cearense por ter realizado um primeiro turno fraco, embora tivesse realizado uma boa campanha da Copa do Brasil. Que coisa louca: disputar a 2ª divisão cearense e logo depois a disputada Segundona do Brasileiro. Que os tropeços de 2009 tenham servido de lição para os dirigentes do Verdão do Cariri.

    terça-feira, 3 de novembro de 2009

    CEARÁ AVANÇA A PASSOS DE VOVÔ

    O Ceará caminha firme na Segundona, embora, a passos de vovô. Para variar, dois 'vovôs' (Sérgio Alves e Geraldo), foto acima, comandaram a vitória sobre o Bragantino, por 2 x 0, no estádio Castelão, na abertura da 34ª rodada, nesta noite de terça-feira de lua cheia. Além do mais, os números estão casados com o Vovô. Só falta o Atlético goianiense ganhar do Guarani para a vice-liderança ser mantida ao final da rodada.

    Técnicamente não foi um bom jogo, pouco importa. Sérgio Alves estava impedido no segundo gol, pouco importa. O primeiro tempo foi sofrível. O Ceará, no entanto, tem a virtude de jogar com inteligência, sem afobação, tirando proveito da falta de qualidade do adversário. Ninguém gosta de jogo feio (nem eu), mas o torcedor alvinegro olha para a tabela e vibra. Importa mais.

    Esqueçamos o primeiro tempo. Mas o segundo... A tática é a mesma: entra Misael no lugar de Wellington Amorim e aumenta a pressão no ataque. O zagueiro Kadu, do Bragantino, foi expulso e o treinador PC Gusmão fez o bê-a-bá: tirou o volante Careca e colocou o meia-atacante Reinaldo. Depois, quase simultaneamente, foi expulso Mário, do Bragantino; o atacante Sérgio Alves entrou no lugar do lateral-esquerdo Fábio Vidal.

    Tudo foi conspirando a favor do gol alvinegro. Era inevitável e Reinaldo foi feliz, aos 28', quando recebeu a bola e girou para chutar no canto direito do goleiro Gilvan. A seguir, Sérgio Alves e Mota perderam o segundo gol no mesmo lance. Nove minutos depois, cerca de 40 mil alvinegros vibravam de novo com o gol de cabeça de Sérgio Alves. Ah! Estava impedido. Coisas da bola.

    Foi uma vitória construída com paciência, inteligência e competência. Jogar é isso aí: saber tirar proveito das falhas do adversário, explorando essas potencialidades. De forma diferente é difícil vencer. Para muitos, o Ceará está se arrastando em campo; para mim, o Ceará está conseguindo administrar bem as partidas. Às vezes, não vence. Faz parte do risco.

    Michel recebeu o 3º cartão. Não faz mal, Heleno está de volta. O pior que ainda poderá acontecer, até sábado, será a vitória do Guarani, em Goiânia, recuperando a segunda posição. Ainda assim, a diferença entre o Ceará e o quarto colocado (Portuguesa ou Figueirense) será de seis pontos. Importa é que o Vovô está com os pés na 'elite'.

    ACCIOLY APIMENTA A 'MALA' DO BAHIA

    A Segundona esquentou de vez. Os quatro times do G-4 (Vasco, Guarani, Ceará e Atlético goianiense) não têm motivos para preocupação com a injuriada 'mala-branca'. Os quatro do Z-4 (América-RN, Campinense-PB, Fortaleza e ABC-RN), no entanto, começam a ouvir e dizer o que não devem. O Bahia, quinto nordestino, também ameaçado pelo rebaixamento, resolveu jogar pimenta no salão.
    -
    O presidente do Conselho Deliberativo do Bahia, Ruy Accioly, embarcou na canoa furada dos jogadores do Barueri, Renê e Val Baiano, que alardearam recebimento de 'mala-branca' para vencerem o Flamengo. O Barueri puniu os dois com suspensão no último jogo e ainda correm o risco de serem denunciados na Justiça Desportiva.
    -
    Às vésperas de um jogo decisivo, contra o Fortaleza, no estádio de Pituaçu, em Salvador, o dirigente do Bahia resolveu confirmar que o time baiano mandou 'mala-branca' para o Bragantino vencer o Fortaleza. E venceu bem, por 4 a 1, em Bragança Paulista (SP). Alguns conselheiros não gostaram. Accioly aumentou o número de descontentes com ele.
    -
    Agora, a pergunta é óbvia. Para onde ele vai mandar a 'mala-branca'? O Bahia é o 16º colocado e não pode perder. O América recebe o Vila Nova goianiense, em Natal, e precisa vencer para fugir da degola. Estará Ruy Accioly mandando uma 'mala-branca' para Goiânia? E aos jogadores dele, que 'mala' mandará?
    -
    Pior que sair com esse tipo de 'solução' no final do campeonato é a estupidez de não conhecer o CBJD - Código Brasileiro de Justiça Desportiva, mesmo sendo presidente do Conselho Deliberativo de um dos clubes mais tradicionais do Brasil. Poucos conhecem Regulamentos, Regras e Ética. Alguns, desconhecem o próprio Estatuto dos clubes que dirigem.
    -
    O que muitos não sabem é que o crime esportivo não se resume a receber a 'mala-preta'. Mandar ou receber qualquer 'mala' é crime esportivo. Leiam sobre os artigos 242 e 243 do CBJD. E avisem ao Ruy Accioly: http://cev.org.br/comunidade/legislacao/debate/mala-branca-especulacoes-final-brasileirao/
    -

    sexta-feira, 30 de outubro de 2009

    DUAS MANEIRAS DE MORRER NO FUTEBOL

    A morte de Everton Coelho Lima (de camisa amarela), aos 21 anos, vítima de acidente de veículo, na manhã dessa quinta-feira, reacende o debate sobre o fosso criado pelo calendário nacional nas atividades da maioria dos times profissionais do Brasil. Times como o Horizonte Futebol Clube, da cidade de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza, que só disputam o estadual, empurram seus jogadores para a várzea no restante dos meses do ano.

    O zagueiro Tom-Tom, embora de boa qualidade técnica, não foi aproveitado por nenhum time das quatro divisões especiais. Estava disputando a 3ª divisão cearense pelo Clube Atlético Pacajus, também da RMF. Como em outras profissões mal remuneradas, Tom-Tom, Jr. Cearense, Kiko, Romarinho e Jr. Moura viajavam para fazer um bico (jogo amistoso), em Mombaça, a 296 km de Fortaleza.

    Jr. Cearense nega excesso de velocidade e confessa que derrapou o veículo numa curva, o que provocou o capotamento. Tom-Tom foi o único que não colocou o cinto de segurança, o único que morreu. Claro que a falta de um calendário uniforme não justifica o acidente, mas o acidente mostra como vivem os profissionais que não fazem parte da "elite" do futebol.

    FORTALEZA "MATA" UM ÍDOLO

    Infelizmente, existem inúmeras maneiras de morrer. Felizmente, o ex-volante, Daniel Frasson, morreu para alguns dirigentes tricolores, apenas, na memória. Em mais um capítulo das trapalhadas, os representantes do clube que estavam no Pici, na tarde dessa quinta-feira, não foram capazes de reconhecer Frasson como um ídolo da torcida, mas, como um espião vascaíno.
    -
    O gerente, Sérgio Papelin, tentou explicar que houve falha da portaria e uma visita inoportuna de Frasson. Bem que ele poderia recorrer a outros argumentos para tentar justificar a indelicadeza cometida com o ex-jogador que tirou o Fortaleza de um jejum de sete anos. Relembrando: em 2000, no estádio do Junco, em Sobral, Fortaleza 1 x 0 Ceará, gol de Daniel Frasson. Eu estava lá e lembro ainda.
    -
    O atual treinador, Roberto Fernandes, não tem obrigação de saber disso, mas Sérgio Papelin tem. O nobre gesto de pedido de licença seria melhor compreendido até mesmo por um espião que fosse. A indelicadeza e o constrangimento "matam", na memória do clube, um ídolo vivo na memória da torcida.
    -
    Não dá para acreditar que o treinador do Vasco, Dorival Junior, dependa da "espionagem" de Daniel Frasson para enfrentar o Fortaleza, amanhã, no estádio Castelão. Também não dá para acreditar que o treinador tricolor, Roberto Fernandes, tenha preparado tantas surpresas sssim para liquidar o adversário. Senhores, exageraram na dose de mais uma trapalhada.

    quarta-feira, 28 de outubro de 2009

    FORTALEZA FAZ TRAPALHADA DE R$ 1 MILHÃO

    O futebol tem todo direito de ser louco dentro de campo, mas fora dele tem o dever de ser equilibrado, pensado por cabeças recheadas de boas ideias. Um placar inesperado, por exemplo, nunca é bem digerido pela torcida, mas entra na conta das zebras e vai para o baú da história. Agora, as trapalhadas dos dirigentes deixam marcas eternas.

    O que dizer do atual momento em que vive o Fortaleza? Se não quisermos contar uma lorota, basta relembrarmos as decisões equivocadas (ou algumas delas) que seus dirigentes tomaram ao longo dessa temporada. Os péssimos resultados poderão até ser esquecidos caso o time não caia para a Série C do Brasileiro, mas as trapalhadas, não.

    A primeira do ano foi aquela de contratar o gaúcho Paulo Pelaipe. Em dezembro de 2008, quando a notícia saiu, a imprensa gaúcha escrevia: "Fortaleza quer mesmo ficar parecido com o Grêmio". Pior que contratar Pelaipe, foi deixá-lo trazer quem bem desejou. Nenhum dos seus deu certo.

    Quando resolveram tomar atitude e pedir licença ao Pelaipe e sua turma, a esperança foi renovada no Pici, mas, infelizmente, as trapalhadas continuaram. Apesar de tudo, veio o título estadual de 2009. Mirandinha tentou estabelecer a ordem, como chefe da comissão técnica, e foi mandado embora.

    Daí para a frente, ninguém acertou mais nada. Contratações equivocadas (de técnicos e jogadores), muito disse-me-disse, ordens e contra-ordens e a indisciplina reinando entre alguns jogadores. Sem delongas, todos já estão cansados de saber sobre o episódio Luiz Carlos (foto). Ao que parece, só mesmo o corte de cabelo dele mudou no Pici.

    A queda-de-braços entre dirigentes e conselheiros contratou e descontratou várias vezes. Até um Pai-de-Santo entrou nessa ciranda em um dos momentos de crise. Luiz Carlos foi demitido e readmitido em 72 horas. Agora, uma oferta de R$ 1 milhão para evitar o rebaixamento do time foi anunciado e desmentido logo depois.

    É nesse confuso ambiente que o time do Fortaleza precisa vencer quatro dos seis jogos que ainda restam. O problema é que o time herdou, definitivamente, a cara dos dirigentes, com mais trapalhadas do que acertos. Não dá para prever nada. Até o fim da Segundona, a torcida tricolor dormirá como uma criança que espera Papai Noel na janela.

    terça-feira, 27 de outubro de 2009

    UM PASSEIO NA REAL FORTALEZA BELA

    Uma relíquia esse filme em preto e branco. Nostálgico para os mais antigos; curioso para os mais moços; interessante para quem não conhece a moderna capital cearense com seus imponentes prédios, moderna arquitetura, suas cobiçadas praias e seu povo cheio de humor e generosidade. Apesar dos distantes 46 anos, ainda é possível reconhecer alguns locais.

    segunda-feira, 26 de outubro de 2009

    CHINESINHO HERDA MALDIÇÃO DO VESTIÁRIO

    Em pé: Cícero, Pedro Basílio, Zé Paulo, Wilkson , Joãozinho e Douglas. Agachados: Nado, Rubens Salim, Erandy, Chinesinho e Mimi. Time do Fortaleza da década de 1970.
    -
    Francisco Gomes de Sousa, hoje com 62 anos de idade, já não tem a força que o notabilizou como médio-volante nas peladas do bairro Varjota. Dalí, guiado pelo supervisor do Calouros do Ar, Martins Monteiro, esbanjou vitalidade. Naquela época, sobrava qualidade técnica, mas a preparação física deixava a desejar. Os massagistas aplicavam os famigerados "complexos" para aumentar a correria em campo e as agulhas contaminavam muitos jogadores.
    -
    Centenas de ex-jogadores herdaram a Hepatite C, uma inflamação no fígado, que pode levar à morte toda pessoa que não iniciar logo o tratamento. Chinesinho faz parte dessa estatística e lembra bem dos "complexos" que tomou para aumentar o fôlego. O ex-lateral da Seleção Brasileira, Marinho Chagas, também lembra que "antigamente, os médicos usavam aquelas agulhas de ferro. Depois da primeira aplicação, continuavam aplicando em outras pessoas".
    -
    O que antes era um "complexo" para esbanjar fôlego a milhares de torcedores, hoje virou pesadelo para esses ex-jogadores. Chinesinho, longe da plateia, assistido pela esposa, D. Rina Márcia, luta contra a doença com a ajuda de outros "complexos" e tratamentos caros. Não só a torcida desapareceu. No caso dele, felizmente a família o segue até hoje.
    -
    O quadro de saúde de Chinesinho ficou mais grave há cerca de um ano. As dificuldades aumentaram. A Agap - Associação de Garantia ao Atleta Profissional, como a maioria dessas entidades, não tem ajudado na proporção da necessidade do ex-jogador. Para D. Rina, toda ajuda é válida, e disponibiliza até o telefone pessoal: 0xx-85-9625-6285.
    -
    Fica o alerta aos que insistem em contrariar a lei natural do corpo e aos que se arriscam compartilhando drogas e seus métodos de uso.

    sábado, 24 de outubro de 2009

    Um gol que aumenta a gordura no G-4

    O gol de Geraldo contra o Duque de Caxias, na 32ª rodada da Segundona, mantém o Ceará na 3ª posição do G-4, com três pontos à frente do Atlético goianiense - 4º colocado. Nos demais critérios de desempate, Ceará e Atlético estão empatados. Por isso, vencer é a palavra de ordem para quem quer chegar entre os quatro melhores da competição.

    sexta-feira, 23 de outubro de 2009

    CEARÁ PRECISA AUMENTAR A GORDURA

    Os jogos da Segundona vão ficando cada vez mais decisivos. A 31ª rodada, que começa, hoje, devolve a oportunidade ao Ceará para avançar no G-4 e de permanecer por lá - mesmo que perca. Mas a gordura está acabando. Um resultado negativo, no Castelão, às 20h, contra o Duque de Caxias (RJ), seria um péssimo negócio. Por isso, é decisivo vencer o Duque, a exemplo do primeiro turno, no Rio, quando o alvinegro aplicou 2 x 1.
    -
    Para o Fortaleza, o jogo será mais decisivo ainda, também às 20h., no estádio Nabi Abi Chedid, contra o Bragantino, em Bragança Paulista (SP). Uma derrota pode representar um afundamento maior na zona de rebaixamento. A derrota dramática para o Atlético goianiense ainda não está cicatrizada. Eis o perigo.
    -
    O Ceará já tem time confirmado com Lopes; Boiadeiro, Fabrício, Erivélton e Fábio Vidal; Michel, Careca, Heleno e Geraldo; Misael e Preto. Treinador PC Gusmão ainda sem Mota (catapora) e Wellington Amorim (3º cartão). O Duque terá importantes desfalques: o zagueiro Santiago e o volante Mancuso.
    -
    O Bragantino só não terá o zagueiro Robson (3º cartão). O Fortaleza tem dois desfalques sérios: o lateral Dedé e o meia Élton (3º cartão). O time tem dúvidas com Douglas; Marcos Tamandaré, Gilmack, Everaldo e Eusébio; Leandro (Saulo), Coutinho, Ticão e Rogerinho; Marcelo de Faria e Vanderlei.
    -
    Leia mais sobre a rodada: http://www.artilheiro.com.br/
    -
    Estarei comentando Bragantino x Fortaleza, pela Rádio Globo Fortaleza, AM 620 khz: http://www.radioglobofortaleza.com.br/
    -
    Acompanhe a rodada, pelo site Artilheiro, em tempo real: www.artilheiro.com.br/v2/aovivo.asp?camp=5

    quinta-feira, 22 de outubro de 2009

    UMA LENDA CHAMADA MANÉ

    A imagem central - de um homem preocupado - não combina com a história de Manoel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, que se tivesse vivo teria completado, no último dia 18, 76 anos de idade.
    -
    Tal qual suas pernas e seus dribles foi sua vida. Alguém tem dúvida que ele driblou esses três marcadores que aparecem na primeira foto? No entanto, muita gente teve dúvida quanto a eficácia dessas pernas que caminhavam em ziguezague.
    -
    Difícil foi acreditar que um dia o talento seria silenciado. Aos 33 anos, Garrincha ainda disputou uma Copa do Mundo - a da Inglaterra. Veio a decadência, trôpegas tentativas de salvar um ídolo e a morte precoce, aos 50 anos de idade. O fim da vida é inevitável.
    -
    Passados 26 anos, Garrincha vilou lenda. Poderia ter virado, também, exemplo de vida para não imitarem-no. Mas a vida é única, cada um de nós tem a sua. Viver parece mesmo ser um eterno repetir... Uns, repetem os melhores; outros, ainda que não tenham a essência, repetem o lado doloroso.
    -
    Visitem esse link e leiam o texto com o título "Simplesmente, Mané Garrincha". Título simples para um texto original, pertinente, escrito pelo blogueiro Carlos Pizzatto: http://carlospizzatto.blogspot.com/2007/10/man-garrincha.html .

    Pernas tortas, zagueiros tontos, cabeça oca

    Lamentável. É inevitável o comentário porque os lances desse tal Mané Garrincha nos remetem a um mundo de sonhos e ilusões. Infelizmente, alguns que trilham o mesmo caminho do Sr. Manoel Francisco dos Santos (futebol boêmia) não deixarão legado algum. Pior pra eles.

    quarta-feira, 21 de outubro de 2009

    IMPERADOR TIRA A COROA DO REI LEÃO

    Jogadores e dirigentes do Fortaleza resolveram testar a capacidade de reação da torcida com três "torpedos" em 72 horas. Primeiro, dirigentes anunciaram a dispensa do atacante Luiz Carlos por indisciplina; no dia seguinte, o time realiza a partida mais convincente e dramática das 31 realizadas na competição e perde com um gol contra a seis minutos do final; por último, venceu a queda de braço pró-Luiz Carlos: o Imperador venceu o Rei e está de volta ao Pici.

    Felizmente, todos sobreviveram aos "torpedos". A torcida garante estar preparada para qualquer desgosto futuro - até o indesejável rebaixamento. A dramática derrota dessa terça-feira, para o Atlético goianiense, foi amargamente engolida. O que os sensatos não conseguem engolir é a forma camaleônica como os dirigentes agiram no episódio Luiz Carlos.

    Segundo o diretor de futebol, Renan Vieira, o treinador, Roberto Fernandes, entendeu a decisão de aceitar o jogador de volta, mas nem sabe qual será a reação do grupo que pediu a cabeça do desafeto. O time está em Bragança Paulista (SP) e, dessa vez, não foi consultado sobre o perdão. Ao Fernandes caberá a missão de informar sobre o "arrependimento".

    Também não ficou claro sobre quem estendeu a bandeira do "arrependimento". Renan preferiu dizer que o Fotaleza é mais importante. Disso todo mundo sabe. Outra certeza é que Luiz Carlos vai continuar gordo (mais de 5 kg acima do peso), vai continuar na balada, não vai se desculpar dos companheiros e voltará a liderar um dos grupinhos do Pici.

    Está claro que Coutinho e Ticão não estão no grupinho LC. Quem mais não está? A doação dramática no jogo contra os goianos foi um divisor entre os períodos com LC e sem LC? Qual foi mesmo o motivo do perdão? Com tantas perguntas sem respostas, o torcedor tricolor não tem mais motivos para acreditar que o Rei é o Rei.

    terça-feira, 20 de outubro de 2009

    FORTALEZA JOGA POR ELE E PELO VOVÔ

    Inseparáveis pelo destino, nessa reta final da Segundona, Ceará e Fortaleza voltam a jogar, hoje, pela 31ª rodada. Uma vitória do alvinegro, às 18h30min, sobre a Portuguesa, no estádio João Paulo II, em Mogim Mirim (SP), o deixará com um pé na série A, restando-lhe outras sete rodadas para a consolidação da classificação.
    -
    Seja qual for o resultado, os alvinegros vão ficar de olho no jogo do Fortaleza, às 20h50min, no estádio Castelão, contra o Atlético goianiense. Uma vitória tricolor servirá para renovar suas esperanças e afastar os goianos da disputa por uma das vagas do G-4. O Ceará torcerá pelo Fortaleza, que jogará por ele e pelo Ceará.
    -
    União por interesses diferentes. Dentro e fora de campo também trilham caminhos diferentes. O time do Ceará já está decorado na cabeça do torcedor: Lopes; Boiadeiro, Fabrício, Erivélton e Fábio Vidal; Michel, Heleno, João Marcos e Geraldo; Wellington Amorim e Misael (Mora recupera-se da catapora).
    -
    A dispensa do atacante, Luiz Carlos, por atos de indisciplina, agitou os bastidores do tricolor do Pici. O treinador, Roberto Fernandes, não confirmou o time que começa o jogo. O artilheiro Nicácio pode até jogar (estava tratando uma tendinite no tendão). Assim, somente a defesa confirmada: Douglas; Dedé, Gilmack, Everaldo e Jean; Leandro, Coutinho, Ticão e Élton; Marcelo de Faria (Vanderlei ou Nicácio) e Rogerinho.
    -
    A Portuguesa faz uma campanha forte com o treinador Vágner Benazzi: 20 pontos ganhos em 10 jogos - 67% de aproveitamento. Defende uma invencibilidade de quatro jogos, mesmo jogando fora do Canindé - por punição do STJD. O time está definido com Muriel; Bruno Rodrigo, Thiago Gomes e Domingos; Simão, Ygor, Marco Antônio, Preto e Marco Aurélio; Fellype Gabriel e Zé Carlos.
    -
    O Atlético goianiense sonha com a quarta vaga do G-4, depois de ter permanecido lá dentro, mas vem tropeçando. No último jogo, perdeu para a Portuguesa, por 1 x 0. O treinador Artur Neto tem o desfalque do zagueiro Jairo (expulso), mas tem o retorno do volante Pituca. Time escalado com Márcio; Rafael Cruz, Antônio Carlos, Gilson e Allyson; Leandro Carvalho, Pituca, Róbston e Elias; Juninho e Marcão.
    -
    Vou comentar Fortaleza x Atlético, pela Rádio Globo Fortaleza - AM 620 khz, a partir das 19h: http://www.radioglofortaleza.com.br/
    -
    Acompanhe a rodada, em tempo real, pelo Artilheiro: http://www.artilheiro.com.br/v2/aovivo.asp
    -
    Siga-me no twitter e leia notícias atualizadas: www.twitter.com/jlacerdacomenta

    segunda-feira, 19 de outubro de 2009

    O IMPERADOR LUIZ CARLOS E O REI RENAN

    O anúncio da rescisão de contrato do atacante, Luiz Carlos, pelo diretor de futebol do Fortaleza, Renan Vieira, nessa segunda-feira, criou um verdadeiro alvoroço na torcida tricolor. Até setores da imprensa tomaram partido da situação. Houve quem saísse em defesa do jogador. Uns, por interesses pessoais; outros, talvez, para ficarem ao lado da maior parcela da torcida, que teme pelo rebaixamento sem Luiz Carlos no ataque.

    Logo, vou adiantar que não estou de lado algum. Muito menos estou disposto a julgar quem quer que seja. Na rádio, sobre o assunto, fiz questão de analisar a decisão dos dirigentes, baseada nos fatos apresentados como motivadores da querela. Fora disso, são inúmeras as versões dos dois lados. Pouco a imprensa publica porque ninguém assume de forma oficial.

    As grandes decisões são dolorosas. Um lado sempre sofre mais. A ordem, no entanto, precisa ser restabelecida quando o controle está sendo perdido. Geralmente, quem toma a decisão é quem está perdendo o controle e não quem está "roubando" o controle. Quando é preciso tomar a decisão, pouco importa o dia, a hora, nem o local.

    Talvez, Luiz Carlos achasse que era mesmo o Imperador - que tudo pode. Esqueceu-se que o "poder" dele era limitado à relação gol-torcida e extrapolou. Achou que poderia viver na noite, ficar gordo como um Rei-Momo, criticar treinadores e companheiros de equipe, chegar atrasado e muito mais. Fez tudo que não devia. Nunca cobrou de si mesmo a forma física desejável.

    No jogo de sábado, contra o América (RN), cobrou empenho de Coutinho e Ticão - tudo certo até quando agrediu os companheiros verbalmente. Na reapresentação, chegou atrasado, discutiu, invadiu a sala de reunião e verberou. O treinador, Roberto Fernandes, irritado, entregou o cargo. Os jogadores repudiaram as atitudes de Luiz Carlos. E agora?

    Não está em discussão o artilheiro. Esse parece ter ficado em casa. Aliás, também esteve "ausente", em Natal, quando o time perdeu por 2 x 1, com gol de Dedé. Renan Vieira fez "mea culpa" e admitiu que demorou muito para tomar tal decisão. Mas, agora, não tinha outra saída. Alguém teria? Até mesmo a indisciplina tem limite. E para o Imperador, acabou.

    Por conta de "empurrar com a barriga", o Fortaleza contratou muito e mal, cometeu equívocos nas trocas de treinadores, jogou dinheiro no lixo, gerenciou mal as crises salariais e enfiou a cabeça no buraco negro. Sair ou não sair depende da competência em campo. Mas nenhum time, mesmo competente, jamais vai brilhar se não houver harmonia fora e dentro de campo.

    O Imperador acertou quando disse que os dirigentes contrataram mal, quando alertou Ticão e Coutinho sobre a marcação, quando disse que faz gols e a defesa deixa passar fácil. O Imperador só errou quando achou que era mais realista do que o Rei. Os gols de Luiz Carlos poderão até fazer falta, mas a harmonia do grupo poderá ser decisiva para salvar a cabeça do Leão da forca.

    Pode parecer contraditório, mas não é ficção nem paixão. Mais difícil é entender o que acontece intramuros de um clube de futebol. Nem sempre a conquista de títulos significa paz, nem sempre a permissão da indisciplina resultará em ambiente feliz e vitórioso. Não queiram mais fazer comparações com craques "barqueiros" do passado. Os dois (Luiz Carlos e Fortaleza) mostram que ainda têm muito que aprender com o mundo da bola.

    sábado, 17 de outubro de 2009

    A SAGA DOS AMEAÇADOS PELA DEGOLA

    Uma brincadeira, é verdade, mas retrata a angústia de quem está à beira do abismo. Bom para relaxar. Não levem a sério.

    sexta-feira, 16 de outubro de 2009

    O dia em que um time parou: Viana 11 x 0 Chapadinha

    O futebol do Maranhão arrebata o título de "Maior Imoralidade 2009".-------- O Moto Clube tentava voltar à 1ª divisão. Ganhava o Santa Quitéria, por 5 x 1, e estava dentro. O concorrente Viana precisava ganhar o Chapadinha por uma diferença de 4 gols. Estava vencendo, por 2 x 0, quando chegou a notícia da classificação do Moto Clube.-------- Para salvar o Viana, o Chapadinha exagerou: sofreu 8 gols em 10 minutos. Perdeu o jogo por 11 x 0, tirou a classificação do Moto Clube e jogou o futebol maranhense na lama.------- Agora, a Justiça Desportiva vai julgar um rosário de irregularidades. Pelo menos a imagem não mente. Resta saber quem será o classificado em meio a tanta maracutaia.------- Outra pergunta inocente: alguém será punido?